Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

Atleta surdo disputa final

03 de Fevereiro, 2014

O caminho de Derrick para a elite do futebol norte-americano não foi fáci

Fotografia: AFP

Derrick Coleman não foi um jogador coadjuvante no Super Bowl disputado na madrugada de hoje nos Estados Unidos. O fullback do Seattle Seahawks é o primeiro surdo a disputar o jogo mais importante do ano no futebol norte-americano dos Estados Unidos e entrou para a história no duelo que definiu o campeão da época, contra o Denver Broncos.Coleman é surdo desde os três anos. Ajudado por dois dispositivos que carrega discretamente atrás dos ouvidos, o atleta pode recuperar com esse auxílio até 80 por cento da audição, embora o capacete e o suor reduzam essa capacidade para 60 por cento.

O caminho de Derrick para a elite do futebol norte-americano não foi fácil.Alvo de piadas desde pequeno e durante todo o ensino médio, o jogador superou os abusos. “Desligue o aparelho auditivo. É o que o meu pai costumava dizer”, relembrou Coleman.Por outro lado, desenvolveu outras técnicas que lhe serviram de mais para o futebol norte-americano. Por exemplo, é especialista em ler lábios de rivais. A sua surdez, como se pode ver, não o privou de poder jogar na NFL e também competir no Super Bowl.A superação de Coleman faz até ser admirado por rivais, como David Bruton, do Denver Broncos, encarregado de marcar o jogador no Super Bowl.