Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

"Atletas devem ser mensageiros da fraternidade"

07 de Agosto, 2016

Papa Francisco felicita os desportistas no momento em o mundo está em festa com os Jogos do Rio de Janeiro

Fotografia: AFP

O papa Francisco felicitou sexta-feira todos os atletas que competem nos Jogos Olímpicos Rio2016 e desafiou-os a serem “mensageiros de fraternidade” e do “genuíno espírito desportivo”.

“Felicidades aos atletas do Rio2016! Sejam sempre mensageiros de fraternidade e do genuíno espírito desportivo”, escreveu o papa na sua conta oficial na rede Twitter, numa mensagem traduzida em nove línguas.

Na quinta-feira, o papa lembrou aos atletas que vão participar nos Jogos Olímpicos, que  começam oficialmente no Rio de Janeiro, a importância de construir uma civilização na qual reine a solidariedade.

“Que os Jogos animem todos a travar uma batalha construtiva e a terminarem juntos a corrida, desejando conseguir como prémio não só uma medalha, mas também algo mais precioso: a construção de uma civilização na qual reine a solidariedade”, afirmou o papa.
O sumo pontífice dedicou ao desporto o vídeo que divulga mensalmente por ocasião do Ano Santo Extraordinário, na qual apresenta aos fiéis as suas intenções de oração.

“Com o desporto é possível construir a cultura de encontro entre todos, por um mundo melhor (...) Espero que o desporto fomente o encontro fraternal entre os povos e contribua para a paz no mundo”, referiu.

REFUGIADOS

O papa Francisco escreveu uma carta à equipa olímpica formada por refugiados e pediu que com "a coragem e a força" que levam possam representar "um grito de fraternidade e de paz" ao mundo.

“Quero que recebam a minha saudação e os meus desejos de sucesso nestes Jogos Olímpicos. Que a coragem e a força que levam dentro possam expressar um grito de fraternidade e de paz", diz a carta, publicada ontem, sábado pela "Rádio Vaticano”.
O pontífice manifestou o seu desejo de que a humanidade, com o exemplo destes desportistas refugiados, possa "compreender que a paz é possível”.


“Pelo contrário, com a guerra, tudo se perde. Desejo que o vosso testemunho faça bem a todos", concluiu Francisco.
Esta equipa de refugiados desfilou na noite de sexta-feira sob a bandeira olímpica no estádio de Maracanã, no Rio de Janeiro, e é composta por um total de dez atletas, seis homens e quatro mulheres.

Trata-se de dois nadadores sírios, dois judocas da República Democrática do Congo e seis corredores provenientes da Etiópia e Sudão do Sul, todos eles com o comum denominador de ter fugido da violência em seus países para buscar refúgio em outros Estados.