Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

Ausncia no GP da Austrlia rende milhes de euros a Alonso

22 de Março, 2015

Empresas de Seguros controlam a actividade profissional do bi-campeo mundial de Fmula 1 com a Renault

Fotografia: AFP

Além de ter evitado a participação de Fernando Alonso, no vexame da McLaren no Grande Prémio da Austrália, o acidente sofrido pelo piloto nos treinos colectivos em Barcelona vai render-lhe uma considerável quantia em dinheiro. Coberto pelo seguro das equipas de ponta da Fórmula 1, o espanhol vai receber cerca de 1,88 milhões de euros. A informação é do jornal italiano La Gazeta dello Sport.

Existem dois tipos de seguros na categoria máxima do automobilismo. O primeiro é estipulado pelo próprio piloto e cobre casos mais graves, como morte ou invalidez. O outro cobre corridas perdidas por causa de acidente, como foi o caso do bicampeão.

O valor é calculado em cima da divisão do salário do piloto, pelo número de corridas do calendário - 19 a contar a saída do GP da Alemanha. Como o contrato do espanhol é avaliado em 34 milhões de euros, por época, o total a ser pago pelo seguro é estimada em dois milhões de euros.

A empresa pode negar-se a pagar o valor se for provado que a equipa britânica foi responsável pelo acidente. Nas últimas semanas, a McLaren negou que tivesse qualquer problema com o carro de Fernando Alonso durante a segunda série de testes em Espanha.

Na abertura da época'2015, no último fim de semana, a McLaren teve o pior desempenho da história da equipa. Jenson Button e Kevin Magnussen, substitutos de Alonso, tiveram os piores tempos no treino classificativo e acabaram na última fila da grelha. O britânico foi o último colocado, duas voltas atrás do campeão Lewis Hamilton - resultado que ainda superou o do jovem dinamarquês. Na saída para alinhar na grelha, Kevin Magnussen teve problemas com o seu carro e não largou.

Alonso presente
no GP da Malásia


Fernando Alonso, que sofreu um acidente no passado dia 22 de Fevereiro, durante a pré-época da nova temporada da Fórmula 1, está pronto a correr no Grande Prémio da Malásia, que se disputa a 29. A garantia foi dada por Luís García-Abad, representante do piloto.

“Fernando estará na Malásia”, afirmou García-Abad, durante uma visita ao complexo automobilístico com o nome do piloto, em La Morgal. Por enquanto, Alonso ainda precisa que a Federação Internacional de Automobilismo (FIA) o autorize a regressar, depois de uma série final de exames médicos a que ainda está sujeito. Até lá, o piloto bicampeão mundial de fórmula 1 continua a trabalhar em Woking, Inglaterra, no simulador da MClaren, para estar ao seu melhor.

MUNDIAL DE RALIS
A FIA decidiu, de 1 a 4 de Outubro, a etapa francesa do Mundial não vai ser na Alsácia mas  na ilha que recebeu a competição durante 35 anos consecutivos. O Conselho Mundial, da Federação Internacional do Automóvel (FIA) determinou que o Rali de França, 11ª prova do Mundial, vai regressar à ilha de Córsega, em detrimento da região da Alsácia.

A etapa francesa do Mundial de ralis, que este ano ocorre de 1 a 4 de Outubro, realizou-se na Córsega entre 1973 e 2008. Depois de um ano de ausência, devido ao sistema de rotação de provas, a corrida passou a disputar-se, desde 2010, na Alsácia.
Depois da sua saída do campeonato do Mundo de ralis, o “Tour de Corse”, conhecido como o das 1.000 curvas, passou a integrar o calendário do Campeonato da Europa.