Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

Ausências marcam hoje GP dos EUA

02 de Novembro, 2014

Equipa da Caterham enfrenta críticos problemas financeiros e a rival Marússia sofre de financiamentos e com o estado de saúde de Jules

Fotografia: AFP

Os adeptos da Fórmula 1 não estão acostumados ao clima estranho, que marca a etapa do Grande Prémio dos Estados Unidos da América, que acontece hoje. No Circuito das Américas, em Austin, a categoria vê-se  envolta em incertezas à respeito do futuro das equipas e  das novidades na segurança da categoria.

Na pista, a incerteza é apenas para definir quem deve lutar pela terceira posição.

Na grelha de partida vão estar apenas 18 carros, resultado das ausências de Caterham e Marússia. Enquanto a primeira equipa vive críticos problemas financeiros, a rival russa sofre com dificuldades de financiamento e com o estado de saúde de Jules Bianchi, hospitalizado desde o GP do Japão. A expectativa, é que as duas equipas regressem no GP de Abu Dhabi, no encerramento da temporada.

Para piorar, Sebastian Vettel não disputou o treino de classificação, de ontem. Com uma troca de motores anunciada e a esperada punição de dez posições na grelha de partida, o alemão da Red Bull preferiu descansar a cabeça e o equipamento.

A grelha de partida é  menor desde os Grandes Prémios de Espanha e do Mónaco de 2005, que contaram também com 18 carros, cada.

Na ocasião, a BAR foi punida após o GP de San Marino, por irregularidades nos tanques de combustível, desta forma, Jenson Button e Takuma Sato desfalcaram a categoria por duas provas, deixaram apenas 18 pilotos em acção, por duas corridas.

A etapa em Austin, pode acompanhar um possível nascimento de uma inusitada medida de segurança. Caso o resultado final seja positivo, a categoria pode vir até a  adoptar a novidade a partir de 2015.

Com tais peculiaridades,  o público não deve esperar novidades nas duas primeiras posições, já que a Mercedes dominou os primeiros treinos livres, na sexta-feira – Lewis Hamilton foi o primeiro em ambos, com Nico Rosberg em segundo. Entretanto, como era esperado, a Mercedes dominou os treinos livres de sexta-feira, para o Grande Prémio dos Estados Unidos, em Austin.

A exemplo do que aconteceu na primeira sessão, o britânico Lewis Hamilton dominou a segunda, deixou  o alemão Nico Rosberg na segunda posição, em ambas.

Fernando Alonso, sexto na primeira sessão, fechou o dia como o terceiro mais rápido. No entanto, com o asfalto pouco emborrachado, os pilotos pouco melhoraram os seus tempos entre uma sessão e outra.


Nos EUA
Vettel vai largar
das boxes no GP


O tetracampeão mundial Sebastian Vettel, da Red Bull, vai começar hoje o Grande Prémio dos Estados Unidos das boxes, por causa de uma penalidade devido ao motor, conforme os organizadores da Fórmula 1. O alemão, que está fora da disputa pelo título e vai deixar a Red Bull no final do ano, usou o sexto composto de pneus completo da temporada, no treino livre, de sexta-feira. Isso, é mais do que as regras permitem e agora, é obrigado a largar do pitlane.

Com o anúncio, Vettel não tem nada a ganhar no treino classificatório de sábado, uma vez que vai largar atrás dos 18 carros, com a ausência das equipas Caterham e Marússia, por razões financeiras.

No entanto, o chefe da Red Bull, Christian Horner, garantiu aos fãs que o piloto vai fazer uma aparição limitada, na pista norte-americana.


Hamilton
em grande nos treinos


Assim como aconteceu na sexta-feira, Lewis Hamilton não deu ontem oportunidade aos adversários e liderou o terceiro treino livre para o Grande Prémio dos Estados Unidos, a ser disputado hoje. O inglês, que já havia sido mais veloz que todos os outros pilotos nas duas actividades anteirores realizadas nos EUA, garantiu mais uma dobradinha da Mercedes ao registrar 1min37s107, 0s883 mais rápido do que Nico Rosberg, que terminou em segundo.

O destaque do treino foi o bom desempenho da Williams, que também conseguiu uma "dobradinha "logo atrás da Mercedes. Líder durante algumas partes da sessão, Felipe Massa terminou como terceiro mais veloz com a marca de 1min38s214. Já Valtteri Bottas foi o quarto, com 1min38s437.
Fernando Alonso não conseguiu manter a terceira posição alcançada no segundo treino, mas melhorou consideravelmente o seu tempo e foi o quinto colocado, 1s620 mais lento do que o líder.

O mesmo aconteceu com Daniel Ricciardo, que foi o sexto, com 1min38s927. Nico Hulkenberg, por sua vez, melhorou e garantiu o sétimo posto, logo à frente de Adrian Sutil. Kimi Raikkonen e Jenson Button fecharam o top 10 ao terminarem na nona e na décima posição, respectivamente.

Sem se preocupar em correr em ritmo de classificação já que largará das boxes devido a uma punição por ultrapassar o limite e utilizar o sexto motor nesta temporada, Sebastian Vettel terminou na última posição, com tempo de 1min43s765.

AUSÊNCIAS
Periódicos ingleses informaram na noite de sexta-feira que três equipas da Fórmula 1 estudam a possibilidade de não disputar o Grande Prémio dos Estados Unidos. O boicote seria em decorrência da falta de perspectivas e respostas do futuro da categoria, que vive uma crise.

Os jornais The Guardian e The Mirror explicam que as equipas Force India, Sauber e Lotus não colocariam os seus monopostos no grid do circuito de Austin, no Texas. A corrida ficaria mais esvaziada, já que Marussia e Caterham não vão alinhar os seus carros nos Estados Unidos.

As três escuderias estão impacientes com os outras equipas pertencentes ao Grupo de Estratégia da F-1 e formam uma aliança que pouco se importa com a situação actual da categoria, segundo palavras do jornal.

A publicação inglesa The Times publicou uma declaração de um dirigente que falou em condição de anonimato. "As equipas reclamaram durante meses e avisaram o que iria acontecer, mas ninguém ouviu", disse.