Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

Austríacos recebem ameaças

06 de Fevereiro, 2014

Comité organizador anunciou asseguradas condições de segurança.

Fotografia: AFP

O Comité Olímpico da Áustria recebeu uma carta com ameaças de sequestro contra dois atletas que representam o país nos Jogos  Olímpicos de Inverno que começa amanhã em Sochi, na Rússia, disse ontem o dirigente Peter Mennel à agência de notícias« AP».

O dirigente  confirmava  a notícia divulgada pelo jornal «Krone», de que uma  carta aparentemente procedente da Rússia, fazia ameaças contra Marlies Schild, estrela do esqui slalom, e Janine Flock, que disputa a prova do skeleton. Um porta-voz do comité confirmou à «Reuters» que a carta foi recebida, mas não citou nomes.

Militantes islâmicos fazem   ameaças de cometer atentados durante os Jogos Olímpicos de Inverno em Sochi, que fica no oeste do Cáucaso Norte, região russa de maioria muçulmana. Vários comités olímpicos da Europa e dos Estados Unidos receberam no último mês cartas em russo a fazer  «ameaças terroristas», mas os organizadores do evento dizem não haver perigo.

EUA DESVALORIZA AMEAÇAS

Os Estados Unidos consideram que é mais provável que ocorra um ataque terrorista fora de Sochi, a cidade no sul da Rússia que vai ser  a sede dos Jogos Olímpicos de Inverno a partir de amanhã, em áreas com menos segurança e, portanto, mais vulneráveis à «ameaças específicas» que existem contra a competição.

O director do Centro Nacional contra o Terrorismo, Matthew G. Olsen, explicou nesta quarta-feira numa Comissão de Inteligência do Congresso que as ameaças têm «diferentes graus de credibilidade» e que a organização Ismarat Kazkaz (Emirado do Cáucaso) representa o maior perigo.

A guerrilha islâmica do Cáucaso e outros grupos extremistas  ameaçam  os Jogos há meses. As mensagens  intensificaram-se com a proximidade do evento, cuja  inauguração  oficialmente está marcada para  amanhã e encerra no dia 23 do mês  em curso.

O presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, manteve na terça-feira uma reunião com o alto escalão de seu governo para analisar a segurança dos milhares de cidadãos que viajam  para Sochi, um assunto sobre o qual nem ele, nem outros membros importantes da sua Administração esconderam as  preocupações nas últimas semanas.

Os EUA ofereceram  colaboração  à Rússia em várias ocasiões, sobretudo depois de dois atentados terroristas em Volgogrado, também no sul do país, causaram a morte a 30 pessoas no final do ano passado.

Mais de 230 atletas, 270 treinadores, e uns dez mil cidadãos americanos são esperados em Sochi por ocasião dos Jogos Olímpicos de Inverno. Apesar das ameaças, ninguém pensou  num possível adiamento do evento desportivo, que é considerado como o mais caro da história, com  custo estimado de Usd 50 mil milhões.


JOGOS OLÍMPICOS DE INVERNO
Coreia do Norte sem atletas em Sochi


A Coreia do Norte vai falhar os Jogos Olímpicos Sochi'2014, a primeira do país na maior competição olímpica de inverno desde 2002, informou na passada terça-feira a agência sul-coreana “Yonhap”.

Nenhum atleta da Coreia do Norte conseguiu os mínimos para Sochi, nem sequer um “wild card” (convite) das federações internacionais, como confirmou à “Yonhap” uma fonte do Comité Olímpico Internacional (COI).

Na página oficial dos Jogos Sochi'2014, a Coreia do Norte figura entre os países participantes, mas sem nenhum atleta, embora as listas só passaram a definitivas a partir de ontem, quarta-feira, dois dias antes do arranque da competição, que decorre até 23 de Fevereiro.

A “Yonhap” também confirmou junto da organização do evento que a Coreia do Norte vai marcar presença na cerimónia de inauguração, e delegou a representação do país no presidente do parlamento, Kim Yong-nam.

A edição de 2002 dos Jogos Olímpicos de Inverno, em Salt Lake City, tinha sido a última sem qualquer atleta norte-coreano. Em 2006, em Turim, o país esteve representado por seis atletas, enviou dois a Vancouver'2010.

Em toda a história da competição, a Coreia do Norte conquistou duas medalhas de prata, nos Jogos de Innsbruck, em 1964, e Albertville, em 1992.