Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

Bandeira angolana brilha nos palcos do mundo

Francisco Carvalho - 10 de Junho, 2019

Singue Kinkete exibe bandeira de Angola em Marrocos

Fotografia: DR

O Sensei Eduardo Diakubikua assegurou que "com a criação de uma Associação, o sambo vai ser melhor desenvolvido em Luanda e nas restantes províncias ". A presença massiva de jovens interessados à modalidade "garante o crescimento ". Em Luanda, o sambo é praticado em quatro academias localizadas nos Distritos da Petrangol, Sapú, Prenda e Palanca. Mais de 200 atletas estão inscritos.
No percurso histórico, Angola esteve presente no Campeonato Mundial de Japão, em 2014. Em 2015, Eduardo Kano levou a bandeira de Angola ao terceiro lugar do pódio do campeonato Africano em Marrocos. Em 2018, Foi a vez de Singue Kinkete hastear a bandeira de Angola no terceiro lugar de pódio do Africano. Tunis foi o palco da consagração. Em 2018, Angola participou também do Mundial de Bucareste com Singue Kinkete e Francisco Lucas.
Angola falhou a participação nos Africanos de 2016 e 2017 por dificuldades financeiras.
Sambo é uma arte marcial mista moderna desenvolvida na ex-União Soviética no início do século XX. É reconhecido como desporto pela URSS desde 1938 e engloba técnicas de várias disciplinas de combate. A palavra SAMBO é um acrónimo em russo (SAMozashchita Bez Oruzhiya) que significa "autodefesa sem arma ". É gerido mundialmente pela FIAS (Federação Internacional Amadora de Sambo). Em África é coordenada pela CAS (Confederação Africana de Sambo) que tem a sede social no Reino de Marrocos.