Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

Barrichello culpa Rosberg

16 de Maio, 2016

O facto de ambos estarem fora depois de algumas curvas é completamente inaceitável", disse Lauda.

Fotografia: AFP

O ex-piloto de Fórmula 1, Rubens Barrichello, considerou Nico Rosberg o maior responsável pelo acidente que  envolveram as duas Mercedes na 1ª volta do GP de Espanha. Nas redes sociais, Robinho entendeu que o alemão atrasou no momento de fechar o lado direito,  que aumentou o risco de colisão, o que acabou por  ocorrer com Lewis Hamilton.

"A agressividade faz parte. E também faz parte o Rosberg fechar. Mas não tão tarde. O primeiro movimento foi do Hamilton", escreveu Barrichello.
"O Rosberg fechou muito tarde. O Ham foi sim agressivo, mas isso faz parte... Fechar muito tarde já não", prosseguiu o ex-piloto da Ferrari.

"Fechar muito tarde é mais perigoso do que ser agressivo na ultrapassagem", respondeu Rubinho aos seus seguidores no Twitter. A análise de Rubinho não é compartilhada por Niki Lauda, presidente não -executivo da Mercedes.

O austríaco apontou Hamilton como o grande culpado pelo acidente. "Lewis foi muito agressivo. O facto de ambos estarem fora depois de algumas curvas é completamente inaceitável", disse Lauda.

REACÇÂO
Mercedes evita apontar culpados


O chefe da Mercedes, Toto Wolff, classificou o incidente entre Lewis Hamilton e Nico Rosberg em Barcelona como uma situação “muito difícil” para a equipa. O dirigente, no entanto, evitou apontar culpados e prometeu reunir-se mais uma vez com os pilotos para avaliarem as imagens .

Não demorou para que Lewis Hamilton e Nico Rosberg tivessem de encarar a fúria da Mercedes após o acidente ,na primeira volta da corrida de ontem. Na saída da curva 3 de Montmeló, o germânico – já líder, depois de uma bela partida – tentou acicatar o rival. O britânico tentou sair por fora, veio para o relvado, e perdeu o carro.

 O que se viu depois foi uma Mercedes descontrolada a acertar em cheio na outra. Com os dois carros destruídos na caixa de brita, o safety-car foi accionado. Sem muita demora, os dois pilotos entraram numa reunião com a cúpula da Mercedes e, pouco depois, Toto Wolff, chefe da equipa apareceu diante da imprensa para classificar a situação como “muito difícil”.

“Nós conversamos com os dois pilotos, não foi uma manobra decente. É uma situação muito difícil para a equipa, já que perdemos 43 pontos”, afirmou. “Você não pode culpar um deles pelo acidente”, comentou.

 “Os dois estão chateados. Depois vamos conversar de novo para olhar as imagens, a telemetria, e evitar que isso se repita.” avisou.  Ainda, Wolff minimizou o facto de Niki Lauda, presidente não - executivo da Mercedes, ter optado em apontar Hamilton como culpado.

  “Niki tem na sua perspectiva de piloto, uma opinião e um instinto, mas quando você olha todos os dados e conversa com os pilotos, isso talvez seja diferente”, concluiu.