Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

Benfica arrebata título de provincial

Gaudêncio Hamelay, no Lubango - 11 de Novembro, 2016

A Academia do Benfica Petróleo do Lubango sagrou-se vencedora do 8º campeonato provincial de júnior masculino em taekwon-dó

Fotografia: Jornal dos Desportos

A Academia do Benfica Petróleo do Lubango, ao arrebatar quatro medalhas de ouro e três de prata, sagrou-se vencedora do 8º campeonato provincial de júnior masculino em taekwon-dó, disputado na cidade do Lubango, inserido nas comemorações do 41º aniversário da Independência Nacional, a assinalar-se hoje, sexta-feira, em todo país.

A segunda posição da competição coube a academia dos Dragões da Arimba, ao totalizar duas medalhas de ouro, uma de prata e uma de bronze. O terceiro lugar, recaiu para o Clube Desportivo da Huíla (CDH), com 1 medalha de ouro, 2 de prata e 1 de bronze. A equipa da Força Aérea Nacional, contentou-se com o quarto lugar ao conquistar 1 medalha de ouro, 1 de prata e 1 de bronze. A academia do 8 de Março da Tchavola, ocupou o último com uma medalha de prata.

O título do 7º campeonato provincial, nos escalões de juvenis, ficou com a academia do Colégio Emefel ao somar 4 medalhas de ouro e 3 de prata, secundado pelo Benfica do Lubango, com 3 medalhas de ouro e 3 de prata.

O interclube da Huíla saiu no terceiro posto fruto da conquista de 2 medalhas de ouro e 2 de bronze. Na última posição, quedou-se o Clube Desportivo da Huíla, com 2 medalhas de prata e igual número em bronze.

Em individual, Aniceto Carreira, do Benfica Petróleo do Lubango, sagrou-se campeão provincial na categoria dos -25kg, secundado por Graciano Bento, da academia do Colégio Emefel. Nos -29 kg, o triunfo sorriu para Agelo Filipe, do Benfica Petróleo do Lubango, enquanto António Tchitangue, da academia do Colégio Emefel, ficou em segundo lugar.

Ginaldo da Silva, do Benfica Petróleo do Lubango, venceu nos -30kg,  seguido por António Feliciano, academia do Colégio Emefel. A categoria dos -32 kg, o troféu ficou com Adriano Bento, academia do Colégio Emefel. Pedro Bento, arrebatou a medalha de ouro na categoria dos -33kg. António Francisco, Abel Bento (academia do Colégio Emefel),  Victorino Jamba (8 de Março da Tchavola) e Flávio Masseno (Interclube da Huíla, conquistaram as medalhas de ouros nas categorias dos -36,  -39, -41 e -44ks respectivamente.

Nos escalões de juniores Atlenio António, do Benfica Petróleo do Lubango, arrebatou o troféu, na categoria dos -44kg. Nos -47kg, a vitória sorriu para Herculano Camilo, dos Dragões da Arimba.

O título provincial na categoria dos -49kg, ficou com Salomão Miguel,  do Benfica Petróleo do Lubango. Já Felino Masseno, da academia do Colégio Emefel, chamou a primazia na categoria dos -50kg. Nilson Caterça, do Benfica Petróleo do Lubango, contentou-se com o primeiro lugar na categoria dos -54kg. Abílio Calandula, do Sporting Clube do Lubango, arrebatou a medalha de ouro na categoria dos -56kg, enquanto Leonardo Capetango, CDH, conquistou a medalha de ouro na categoria dos -58kg. Erkison Baptista (Dragões da Arimba), Erkison António (Benfica Petróleo do Lubango) e Francisco António (força Aérea Nacional), venceram nas categorias de -60, -61 e -66kgs, respectivamente.


Taekwon-dó
Associação da Huíla aposta na massificação


A Associação Provincial de Taekwon-Dó da Huíla traçou como meta a atingir até o primeiro semestre do próximo ano, 500 praticantes nos escalões de juvenis e juniores em ambos sexos.

David Lelo, secretário-geral da associação,  assegurou, que para a concretização do desiderato, todos os clubes estão engajados na massificação com objectivo da descoberta de novos talentos para a modalidade.

De acordo com aquele responsável, dos 468 atletas controlados pelo órgão reitor da modalidade nas terras Altas da Chela, 280 são dos escalões de juvenis e juniores em ambos os sexos. Ressaltou que face a isso, a associação continua apostada na massificação. “Se formos a falar em desporto individual particularmente de lutas, o taekwon-dó é a modalidade que tem estado a massificar mais estes escalões. E, é para ver que até agora, somos campeões nacionais nestes escalões e temos estado a massificar cada vez mais para atingir outros patamares a nível internacional”, sublinhou.

David Lelo perspectivou que o sonho dos técnicos que trabalham na massificação é ver os seus formandos a competir em jogos da CPLP, Lusofonia até mundiais destes escalões. Destacou que em termos de massificação, as academias e clubes que movimentam o taekwon-dó nomeadamente Benfica do Lubango, Clube Desportivo da Huíla, Sporting Clube do Lubango, Interclube da Huíla,  Força Aérea, Dragões da Comuna da Arimba, Colégio Emefel e a escola 8 de Março da Tchavola, estão empenhados fortemente neste processo a nível do município sede (Lubango).

“O objectivo é superar cada vez mais porque até o primeiro semestre do próximo ano, queremos atingir a meta de 500 atletas na massificação inscritos na associação”, apontou.

Sustentou que a nível dos municípios arredores da cidade do Lubango,  tem sido um pouco difícil levar a massificação tendo em conta o horário de treino que começam às 5h00 até 7h00. “E isso, para os escalões de juvenis e juniores tem sido mais difícil”, disse.

Anunciou que a associação debate-se com dificuldades de ordem infra-estruturais (campos polivalentes e pavilhões) até materiais desportivos. O secretário-geral da associação de taekwon-dó da Huíla acrescentou que apesar disso, tem estado a remediar com o pouco material disponível. “Temos dificuldades de campos polivalentes para podermos praticar o taekwon-dó e também os pavilhões onde possamos realizar as nossas provas. Aliado, a isso também aquilo que tange o material de treino. Já não temos praticamente recebido como acontecia antigamente quando os atletas fossem combater, traziam. Mas devido a divisa que está difícil a sua aquisição, temos estado a remediar com o que dispomos.

Não vamos jogar culpa a ninguém, porém, vamos trabalhar com o pouco material existente para o desenvolvimento da modalidade nesta província”, referiu.
Gaudêncio Hamelay, no Lubango