Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

Benfica de Luanda vence contra-relógio

Álvaro Alexandre, no Lobito - 10 de Outubro, 2015

Ciclistas do Benfica venceram a etapa de ontem denominada Edições Novembro

Fotografia: Dombele Bernardo

A formação do Benfica de Luanda conquistou, ontem, na cidade portuária do Lobito, a terceira etapa da I edição da Volta a Angola em bicicleta. Os ciclistas benfiquistas, papões das anteriores provas, venceram o contra relógio por equipas de 30 quilómetros, disputada no perímetro que liga as cidades de Benguela e Lobito, com o tempo de 33 minutos e 41segundos.

Com a conquista da etapa, o Benfica da capital recebeu um cheque de 350 mil kwanzas das Edições Novembro EP, patrocinador do contra relógio por equipas, etapa baptizada de “Jornal de Angola”. O prémio monetário foi entregue ao ciclista Igor Silva pelo director executivo do Jornal de Angola, Kumuenho da Rosa.

O Clubs de la Defense da França foi agraciado com um cheque de 250 mil kwanzas, pelo segundo lugar. A equipa Jair Transportes de Benguela, terceiro classificada, foi contemplada pelo único diário generalista do país com a quantia de 150 mil kwanzas.

No mesmo acto, realizado nas imediações da Unidade Operativa do Lobito, procedeu-se à premiação dos três melhores da segunda etapa da Volta a Angola. A prova de fundo de 145 quilómetros, disputada na quinta-feira, no percurso Huambo- Ganda (província de Benguela), foi apadrinhada pelo Jornal dos Desportos, um dos títulos das Edições Novembro EP. O director do título, Matias Adriano, premiou o ciclista Igor Silva, do Benfica de Luanda, vencedor do percurso, com 350 mil kwanzas. O segundo classificado, Mário de Carvalho, do Benfica de Luanda, recebeu 250 mil kwanzas da equipa patrocinadora. O ciclista Lucas Camilo, do Jair Transportes de Benguela, aumentou o seu capital com mais 150 mil kwanzas, pela conquista do terceiro lugar.

O contra relógio por equipas foi disputado por 11 formações e teve a duração de 1h30. O percurso foi o seguinte: saída da cidade Benguela em sentido a Lobito, Estação da Graça, da Damba Maria, Aeroporto da Catumbela, Sede da Catumbela, Zona Industrial, Rotunda do Campo do Buraco, Barro da Luz, Bolama e terminou na Rotunda da Unidade Operativa do Lobito.

A classificação Final foi a Seguinte: Benfica de Luanda (33`41), Clubs de la Defense da França (36`519, Jair Transportes de Benguela (36`51), Santos Futebol Clube (37`04), Selecção Nacional de Esperanças (37´32), Nocebo/Cuca do Huambo (37´35), Hotel Luso de Benguela (37´59), Clube D’Helvetia de Portugal (38`45), Selecção de São Tomé e Príncipe (39`05) e Selecção de Cabo Verde/Moçambique (39`11).

VENCEDORES
DAS ETAPAS


O atleta Igor Silva e o Benfica de Luanda dominam o topo da I edição da Volta a Angola em bicicleta. A prova entra hoje na quarta etapa e as anteriores foram vencidas pelo angolano mais referenciado do país.


Hoje
Cuanza Sul acolhe a prova mais difícil


A província do Cuanza Sul acolhe hoje, a partir das 10 horas, a quarta etapa da I edição da Volta a Angola em bicicleta. A prova de meio fundo vai contar com a participação de 85 ciclistas que vão percorrer o troço Sumbe - Gabela.

Os ciclistas não têm como evitar a ronda. A mesma está prevista para ser pedala em duas horas.

De acordo com os entendidos, a verdadeira competição vai ter lugar no Cuanza Sul. Os participantes da volta experimental vão enfrentar o percurso mais difícil das dez etapas programadas.

Após três quilómetros da largada, vão logo sentir a dimensão do percurso. A região conhecida como  Morro do Chingo, tem uma inclinação de 10 por cento. O vencedor da prova vai ser encontrado após a superação da subida que fica a dois ou três quilómetros do término da corrida. A elevação ocupa uma extensão de 22 quilómetros e a sua inclinação é de aproximadamente 7 por cento.

Para valorizar a competição e o esforço que os ciclistas possam empreender a organização institucionalizou um valioso prémio.

O cabeça de série continua a ser o ciclista angolano, Igor Silva, do Benfica, vencedor  das duas primeiras etapas.

 O certame está a contar com os atletas do Sport Luanda e Benfica, Santos Futebol Clube, Hotel, Jair Transportes, Selecção de Esperanças e Nobeco do Huambo, Selecções do Cabo Verde, França, Moçambique, Portugal, Republica Democrático do Congo, São Tome e Príncipe.
Álvaro Alexandre, Benguela


CIDADE DO LOBITO
Munícipes festejam chegada dos ciclistas


A população lobitanga viveu um ambiente de festa e de muita alegria, com a chegada dos ciclistas nacionais e estrangeiros que desafiam os cerca de mil quilómetros por estrada do país, na Volta a Angola, que teve o seu arranque na passada quarta-feira, 7, na cidade do Kuito/Bié, com o término agendado para o próximo dia 18, na centralidade do Kilamba (Luanda).

Várias entidades afectas à governação da província e dos municípios do Lobito e da Catumbela, bem como da sociedade em geral, testemunharam o evento coroado de êxito total. Foi um autêntico alvoroço vivido na manhã desta sexta-feira. A cidade parou. Muita gente foi ver de perto os ciclistas a desafiarem as longas quilometragens de estradas do país em tempo de Paz.

Foi bonito ver um público alegre e com o sentimento de glória que manifestou naquela vibração de boas-vindas a todos os concorrentes. Angolanos, são-tomenses, cabo-verdianos, congoleses democráticos, portugueses e franceses foram, vivamente, aplaudidos, tanto mais que se viu no local, alguns aficcionados a selarem autógrafos dos seus preferidos.

Os ciclistas benguelenses estiveram em evidência. Mostraram o quanto valem, tanto mais que, por intermédio da recém-formada equipa da Jair Transporte, conquistaram a honrosa 3ª posição, por equipas, com o registo de 36 minutos e 51 segundos. Superaram na corrida a formações do Congo Democrático (8ª/37’59’’), de Portugal (9ª/38’54’’), São Tomé e Príncipe (10ª/39’/01’’) e do misto Moçambique/Cabo Verde (11ª/39’11’’).

Apesar de não atingir o pódio, o Hotel Luso, a outra representante da província, deixou a sua marca na 3ª etapa de contra-relógio por equipa de 30 km (Benguela-Lobito). Terminou na 7ª posição, deixando boas referências aos observadores e experts no que de ciclismo diz respeito. E, como se não bastasse, os benguelenses de forma individual também mostraram serviço na prova. 
Júlio Gaiano, no Lobito


DIRECTOR DO JD
Matias Adriano enaltece
 organização da prova


O director do Jornal dos Desportos, Matias Adriano, enalteceu o trabalho desenvolvido pela organização no certame que a cidade do Lobito acolheu, configurado na terceira etapa da Volta Angola por estrada.

De acordo com aquele responsável, foi uma etapa interessante e bastante apertada, na qual os ciclistas tiveram que empenhar-se ao fundo para triunfar. “Assistimos a uma prova com sérios indicadores de que estamos no bom caminho no que de ciclismo diz respeito. Os angolanos foram excepcionais. Foi interessante ver o despique de ciclistas da Jair Transportes e do Hotel Luso a evidenciarem-se nos pedais ao longo do percurso”, referiu.

Sobre a participação dos estrangeiros na prova, o director do JD considerou positiva na medida em que valorizou ainda mais o evento, pelo que espera que nas próximas edições o número se alargue para outros países.
Júlio Gaiano, no Lobito