Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

Benfica do Lubango quer crescer at 2020

Gaudncio Hamelay, no Lubango - 03 de Março, 2018

Direco traa projectos que visam elevar a grandeza do clube dos prximos cinco anos

Fotografia: ARO MARTINS | EDIES NOVEMBRO / HULA

A direcção do Benfica Petróleos do Lubango, têm como meta a atingir até 2020, mais de três mil atletas nas diversas modalidades que o clube possui sobretudo basquetebol, atletismo, taekwondó, futebol onze, voleibol, xadrez, ténis de mesa, futebol de salão e ginástica.
A intenção foi manifestada pelo presidente do Benfica Petróleos do Lubango, Jacks da Conceição, no âmbito das comemorações do 86º aniversário da fundação daquela agremiação desportiva, celebrado no pretérito dia 27 de Fevereiro, do corrente ano.
“Temos uma meta para até 2020, em termos aproximadamente no nosso conjunto se tudo correr como está perspectivado no nosso projecto, mais de 3.000 atletas nas diversas modalidades que o clube tem”, anunciou Jacks da Conceição.
O presidente dos encarnados do Lubango sublinhou que a concretização desse desiderato, só será possível caso a direcção do clube consiga implementar o projecto que ganhou com a celebração no passado mês de Janeiro, um Acordo de Cooperação entre a TOTAL E&P Angola, em representação do Grupo Empreiteiro do Bloco 17.
 O presente Acordo que terá a duração de três anos, foi rubricado por parte da direcção do Benfica Petróleos do Lubango, pelo presidente do clube, Jacks da Conceição, enquanto em representação do Grupo Empreiteiro do Bloco 17, Laurent Murell, na qualidade de director geral.
 Jacks da Conceição explicou que ao abrigo do referido acordo, as partes acordaram em promover as acções de massificar e fomentar o desporto juvenil na província da Huíla concretamente na cidade do Lubango nas modalidades de futebol onze, basquetebol, atletismo, taekwondó, voleibol, futsal, xadrez, ténis de mesa e ginástica. 
 Acrescentou que constam ainda no protocolo assinado por ambas partes, promover acções de formações ligada às modalidades acima referidas, para os treinadores afectos ao projecto.
 A aquisição do material desportivo e serviços de apoio à massificação desportiva ligada ao projecto é outro benefício que o Acordo de Cooperação assinado traz para o clube encarnado do Lubango, nos próximos três anos.
 “A sustentabilidade do Acordo de Cooperação que veio da TOTAL E&P Angola permite que possamos alavancar essas modalidades com maior personalidade e com objectivos devidamente traçados. É nosso propósito, para que a gente não tenha durante as nossas competições provinciais, muitos solavanco e ausências de crianças nas provas”, apontou.
 Jacks da Conceição referiu que o montante anual a ser disponibilizado pela TOTAL, ao parceiro (Benfica Petróleos do Lubango), será com base no plano anual de actividades elaborado pelo parceiro e aprovado previamente pela TOTAL.
 “E antes de qualquer aquisição de bens e serviços, o parceiro (Benfica do Lubango) deverá submeter à TOTAL, para análise, aprovação e validação os processos de aprovisionamento dos custos”, clarificou.
 Jacks da Conceição destacou que o grande “calcanhar de aquilles” que consistia na ausência de um patrocinador “hoje, estamos a falar de termos conseguido embora só para a massificação das modalidades existentes no clube”.
 O dirigente reconheceu que o clube fundado a 27 de Fevereiro de 1932, deve sentir-se orgulhoso pelos ganhos e as conquistas que até ao presente momento conseguiu trazer para o clube numa altura que celebra os 86 anos da sua existência.
 Enumerou que quando assumiu a liderança do clube encontrou no Benfica 4 modalidades meias moribundas que funcionavam na ordem de quinze porcentos.
  “Hoje estamos a falar em 8 modalidades. Quer dizer. Das 4 que encontramos, conseguimos aglutinar mais o voleibol, xadrez, o ténis de mesa e a ginástica. Portanto, neste momento o Benfica do Lubango tem 8 modalidades na sua agremiação e estamos com 356 atletas e queremos ver a crescer esse número porque temos uma meta a atingir até 2020”, frisou.
 De acordo com o presidente dos encarnados do Lubango, o que se pretende neste preciso momento é garantir por exemplo, a subsistência das modalidades como o futebol, basquetebol e o atletismo.
 Argumentou que essas modalidades de ponto de vista de rentabilidade é possível rentabilizá-las e tirar uma contrapartida do investimento que se pretende fazer a médio e longo prazo.

PERSPECTIVAS
Complexo desportivo está em projecção

O presidente do Benfica Petróleos do Lubango, Jacks da Conceição, revelou que caso o clube consiga um investidor, vai projectar a criação de um futuro complexo desportivo para a agremiação encarnada das terras altas da Chela.
 Jacks da Conceição referiu que no tocante a infra-estruturas, a agremiação que dirige conta com um pavilhão gimno desportivo, sede própria e um campo de futebol relvado.
 Avançou que apesar de possuir essas infra-estruturas, a patrocinadora deu a possibilidade da direcção do clube rever as suas instalações tanto de ponto de vista interno e externo, como a de construção de outras novas.
  “Mas o valor que nos é alocado não nos é permitido, porém, creio que vamos procurar adequa-lo a realidade dos custos. Todavia, o primeiro passo na nossa apreciação é obtenção do terreno depois trabalhar na sua forma de legalização e delimitação. A será possível, conseguirmos um investidor para pensarmos num futuro complexo desportivo para o clube do Benfica do Lubango”, disse.
 O número “um” da “Águia” do Lubango, apontou ser intenção do clube adquirir e ter em sua posse entre 15 a 20 hectares de terra para poder concretizar no futuro a criação de um complexo desportivo preferencialmente na zona da Arimba.
 “Fizemos chegar a nossa preocupação ao governo provincial da Huíla para que consiga localizar uma área e nós até inclusive já indicamos as áreas porque preferíamos na zona norte da província que vai a Arimba onde estão a surgir as novas centralidades”, revelou.
 Aclarou que mesmo o actual campo de futebol do Benfica do Lubango onde todos se sentem orgulhos do ponto de vista de localização, mas na visão de uso, “podemos considerar uma infra-estrutura extremamente ultrapassada”.
 Citou que no campo o Benfica do Lubango não tem um parque de estacionamento onde as pessoas possam sentir-se seguras em ir assistir um jogo e deixar o seu meio de transporte também seguro.
 Confessou que coisas dessas têm à ver muito com a atracão das pessoas que pretendem as vezes deslocar-se aos estádios, face ao momento que estamos a viver de ponto de vista de segurança, emprego e condições sociais.
 “Então, que a nossa visão é ai. Mas sabes que o nosso projecto da obtenção de terras também carece da sua sustentabilidade. A nossa patrocinadora também deu-nos essa possibilidade de revermos as nossas instalações tanto de ponto de vista interno e externo como a construção de outras novas infra-estruturas”, perspectivou.  


ANIVERSÁRIO
Morte de dirigentes
enluta os 86 anos da colectividade

Os festejos do 86º aniversário da fundação do Benfica Petróleos do Lubango, assinalados no pretérito dia 27 de Fevereiro, foram marcados com realização de jornadas de reflexão devido o desaparecimento físico em menos de um mês de dois dirigentes de direcção daquela agremiação desportiva. 
O presidente apontou que a tristeza enlutou o clube com o falecimento de Victor João Cabral (Secretario do Conselho Fiscal) e Manuel António Gomes Figueiredo (director Geral do Clube), dirigentes activo que muito contribuíram.
 “Então, transformamos esta comemoração numa jornada de reflexão e entre elas vários encontros com os encarregados de educação das várias modalidades que estamos a praticar no clube para explicarmos a estes encarregados os objectivos desta direcção e os resultados que pretendemos alcançar com os seus filhos”, explicou. 
Jacks da Conceição pediu a compreensão dos sócios pois em anos anteriores celebravam a com a realização actividades desportivas nas diversas modalidades.
 “Queremos que os nossos sócios, compreendam-nos. Nós por norma gostamos de comemorar a data da fundação com actividades desportivas dentro da nossa realidade, mas este ano, não o faremos, Como é do conhecimento público, o clube perdeu em menos de um mês dois dirigentes na sua direcção. Então, transformamos esta comemoração numa jornada de reflexão”, informou.
 Afirmou que um dos objectivos é explicar aos nossos sócios que não devem esperar apenas o acto eleitoral para se identificarem como sócios do Benfica.
Salientou que o sócio é aquele que esta presente nos momentos bons, maus e se calhar difíceis como estes que o clube está a atravessar. 
Jacks da Conceição adiantou que o sócio é aquele que tem, a sua quota paga em dia. “E é uma quota que vamos dizer que é necessária para o clube, mas não é tão pesada assim que intimida as pessoas em não estarem presentes. O sócio deve estar devidamente identificado”, apelou. 
O dirigente, anunciou que possui um sistema devidamente cadastrado e informatizado onde o sócio através da conta do facebook do clube, pode identificar-se se a sua quota está em dia ou não.