Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

Benguela mancha o "Nacional"

Simão Kibondo no Uíge - 27 de Junho, 2016

Benfica de Luanda dominou Campeonato Nacional de Ciclismo de Estrada

Fotografia: josé Soares


Os Campeonatos Nacionais de Ciclismo Unificado de Estrada de 2016 terminam ontem na cidade do Uíge, com a disputa de um circuito fechado, nas principais artérias da capital do “bago vermelho”. Depois dos campeões nacionais de contra - relógios individual e por equipas, estarem apurados nos dois primeiros dias da competição, foi disputada antes de ontem a prova “rainha” de 120 Km, no percurso do Negage, a passar por Quitexe e  com a meta defronte do Governo da província.

Atrás, ficaram as controvérsias que tornaram a prova numa competição atípica, com a desistência de duas equipas de Benguela, que queriam ganhar na “secretaria” o que não  demonstraram na estrada, no Campeonato de contra -relógio individual. As equipas benguelenses da “ Jair Transportes” e Hotel Luso, a primeira reforçada com os campeão nacional e vice - campeão de contra - relógio individual de Elites (seniores), nomeadamente, Igor Silva e Walter da Silva,  apresentaram protesto que foi considerado procedente, decidiram unilateralmente desistir da competição, por ajuizarem insuficiente o castigo atribuído ao treinador das “águias” da capital, Carlos César Araújo.

 O protesto das equipas benguelenses referia-se ao facto do director desportivo do Benfica de Luanda, Carlos Araújo, não aceitar um dos ficais na sua viatura, que como penalização assumida pelo Colégio de Comissários (órgão fiscalizador da competição), ficou impedido  de dirigir a equipa no contra - relógio da especialidade e ainda multado com uma taxa de infracção no valor de Kz. 50.000,00 (cinquenta mil Kwanzas).

 Os directores desportivos das equipas benguelenses, nomeadamente, Jair Carapinha (Jair Transportes) e Walter Silva (Hotel Luso), sem apresentarem provas no protesto, quiseram fazer crer que a atitude do director desportivo do Benfica de Luanda teve influência no tempo de 30 minutos e 01 segundo de Dário António contra os (30: 08) de Igor Silva, influenciou na decisão da atribuição do título de Campeão Nacional de Velocidade de Angola que pertencia ao ciclista de Benguela.

À semelhança de outras modalidades, a homologação dos resultados de qualquer competição oficial de Ciclismo tem um período regulamentar pré-definido, desde que estes gerem controvérsias. Porém, este processo acontece só depois da competição terminar. Contudo, as equipas benguelenses perderam o direito estatutário ao retirarem-se da prova.

CAMPEÃO DE CRONOS
 O ciclista do Sport Luanda e Benfica, Dário António, é o novo Campeão nacional de contra- relógio de Angola na categoria de Elites (seniores), seguido de Igor Silva, (vice -campeão), na prova disputada no primeiro dia de competição (23.06) na distância de 25 Km, na estrada em direcção ao município do Púri.Na categoria de Juniores, o título na perseguição individual é atribuído a Bruno Araújo ( 31:14) do Benfica de Luanda, seguido de António Vidal, da Jair Transportes ( 34:10) e Luís Rocha, do Hotel Luso (34:26), na mesma distância e direcção.  Mauro Ricardo, também das “águias” da capital, foi o mais rápido da categoria cadete ( 20:11, nos 15 Km, seguido de António Gonçalves, da Jair Transportes ( 21:54) e Pedro João, do Núcleo do Cazenga ( 21:56).

O ciclista juvenil benguelense, Érique Pinheiro ,do Hotel luso, venceu o contra -relógio da sua categoria de 15 Km com o tempo de 24:34, seguido de Jair Carapinhas (25:41) e Luis Carapinhas (26:50), ambos da Jair Transportes.Na categoria de Masters (veteranos), João Cavaleiro da Associação dos cicloturistas (ACT), sagrou-se campeão dos 25 Kms da perseguição individual com 35:04, seguido de Walter da Silva ( 35:38) , da Jair Transportes e Márcio Gourgel ( 36:11), dos ACT.

A ausência das equipas benguelenses permitiu ao Benfica de Luanda controlar a seu bel-prazer, o contra -relógio por equipas de 51,140 Km, com o tempo de 01 hora e 02 segundos, revalidou o título de campeã nacional na perseguição colectiva, seguida do Santos Futebol Clube ( 01:11:39), Núcleo de Cazenga ( 01:19:41), ACT(01:20:04), ainda da Nocebo do Huambo (01:21:55), Clube Desporto Pombo do Uíge (01:44:20) e Escola Macovi/Núcleo do Kilamba Kiaxe (02:1:53).

DOMÍNIO
Dário António e o Benfica conquistam campeonato absoluto


O ciclista Dário António e o Benfica de Luanda foram os campeões absolutos da XXVI edição do Campeonato Nacional de Ciclismo Unificado de Estrada, que se disputou de 22 a 26 na província do Uíge.Os súperes consagrados justificaram os triunfos alcançados. Em todas as frentes foram demolidores. Em duas etapas percorreram 171,22 quilómetros em 3’00´´48.  Os grandes obreiros das conquistas alcançadas no Negage e no Uíge foram as Águias de Luanda e o atleta Dário António.

O eleito melhor ciclista dos nacionais unificados do “Bago do Café” foi líder em  todas as etapas. O atleta Dário António, do Benfica de Luanda, foi superior na prova que gerou a maior confusão, a de contra - relógio individual, de 25 quilómetros. O benfiquista bateu Igor Silva, do Jair Transportes de Benguela, super campeão dos nacionais, com um minuto de distância, registado em 30 minutos e 1 segundo.O atleta campeão confirmou o estado de forma, venceu ao sprint a etapa rainha de 120 quilómetros, realizou o tempo de 2´54”27.  Os ciclistas que foram superados a escassos centímetros do corte da meta, foram os colega de equipa, Mário de Carvalho, Cruz Tuto e Wagner Chiquito.

O titulo absoluto do Benfica de Luanda, campeão do contra - relógio, por equipas, de 51,2 quilómetros em 1´06”21, contou com o corte da meta, em primeiro do Dário António,  e confirmado com o terceiro lugar de Cruz Tuto. O Márcio Gourgel, do ACT, destacou-se no nacional de master, Bruno Araújo, do Benfica de Luanda, em juniores, e Mauro Ricardo, também benfiquista, em cadetes.

Entretanto, o atleta Wagner Chiquito, do Benfica de Luanda, venceu ontem na cidade sede do Uíge a etapa extra do Campeonato Nacional Unificado de Ciclismo de Estrada. O ciclista das águias da capital conquistou a prova de 24 quilómetros com o tempo de 38 minutos e 28 segundos.

A etapa de circuito fechado, sem carácter classificativo para os nacionais unificados, foi consumado em 24 voltas, numa média de 1 minutos e 58 segundos. Nas duas posições seguintes ficaram também os benfiquistas, Bruno Araújo e Dário António. O segundo classificado da competição seniores, Bruno Araújo, venceu a competição juniores, em cadetes foi vencedor o Mauro Ricardo, do Benfica de Luanda, em veteranos foi Fernando Quizela, do ACT.         Álvaro Alexandre