Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

Benguelenses prometem brilhar na São Silvestre

Julio Gaiano,Lobito - 30 de Dezembro, 2014

Federados e estrangeiros vão começar a prova à frente dos populares para evitar constrangimentos registados nas edições anteriores

Fotografia: Jornal dos Desportos

A comitiva benguelense, que vai disputar a 59ª edição da corrida pedestre de fim-do-ano, a “São Silvestre” de Luanda, já respira os ares da cidade capital desde o primeiro dia da presente semana, ultrapassados os constrangimentos de última hora. A intervenção das entidades governativas da província, designadamente, da direcção da Juventude e Desportos, foi determinante para a confirmação na mais popular actividade desportiva do país.

A selecção benguelense tem como objectivo melhorar a marca de Fernando Tchioko (32min09s) estabelecida na edição passada. O grupo é composto por cinco atletas, mormente, Fernando Tchioko, Manuel Ndumbu e Joaquim Gonçalves, Teresa Tchikava e Agricel Costa. Momentos antes de deixar a cidade do Lobito, o fundista Fernando Tchioko manifestou-se confiante em fazer uma boa prova para justificar a confiança depositada pelos prosélitos da modalidade na província.

Tchioko garante estar preparado para fazer frente aos corredores nacionais e estrangeiros. “Na edição passada, podia fazer melhor não fosse o pouco tempo de trabalho que tivemos para a prova. Desta vez, foi diferente. Tivemos todo o tempo do mundo para nos prepararmos e provar o quanto valemos para a empreitada. Apesar do fraco apoio recebido das entidades do governo local, tivemos todo o cuidado de aproveitar ao máximo o tempo, para afinar a máquina e superar as marcas atingidas em 2013”, precisou.

Na presente época, Fernando Tchioko, a maior referência do atletismo benguelense, participou em duas importantes provas nacionais (Luanda e Huambo). Em ambas, conquistou segundo lugar, o que explica o seu estado de forma desportiva. “Isto, é prova de que estamos preparados para fazer mais e melhor do que foi o ano passado. As provas são mais que evidentes. As bases para o sucesso foram lançadas. Por isso, não vai constituir surpresa para ninguém, se conquistarmos os três primeiros lugares na São Silvestre de Luanda”, lembrou a nova coqueluche do atletismo benguelense.

VETERANO
Kamizomba augura revalidação do título


A província de Benguela vai contar com o concurso do veterano, Ernesto Tadeu Bastos “Kamizomba,” que a título individual, promete brilhar na categoria e tentar a reconquista do ceptro. O velho Kamizomba tem a chegada marcada ao palco da competição para as primeiras horas de hoje.
“Vamos lá para correr e mostrar aos miúdos o nosso potencial. Vai ser um despique que promete renhido com os que se prepararam melhor.

Na minha idade, o importante é cortar a meta. Mesmo assim, estou determinado a fazer melhor que fizera no ano passado”, assegurou o velho septuagenário (72 anos de idade) que se junta à comitiva benguelense a partir das primeiras horas de hoje.

No entender de Ernesto Bastos “Kamizomba”, o atraso na chegada ao local da compita está associada a problemas familiares surgidos à última hora. Ainda assim, acredita que  não venha a influenciar pela negativa no seu rendimento pessoal. Antes pelo contrário, as coisas estão acauteladas, até porque o percurso é por si conhecido.

“O objectivo é terminar à frente dos demais concorrentes da minha categoria. Fi-lo, nas últimas edições e creio que desta vez não vai ser diferente, até porque trabalhámos para tal”, garantiu. Questionado sobre as possibilidade de um angolano poder conquistar o pódio na São Silvestre de Luanda, à semelhança do que sucedia nas edições passadas, com as presenças de João Ntyamba, Aurélio Mity, Ana Isabel, para citar apenas estes, o velho Kamizomba franziu a testa e manifestou algum receio.

“É possível, trabalharam para isto. Aliás, não foi por acaso que alguns abdicaram das provas internas para aparecerem melhores na corrida de Luanda. Espero que tenham êxitos e partilhámos a alegria pela conquista de ceptro”, precisou, para quem o atletismo carece de mais apostas e investimento na formação de quadros e infra-estruturas.                                                                                                 
JÚLIO GAIANO- LOBITO

INTERCLUBE
Fundistas da Huíla
confiantes no título


Os fundistas do núcleo do Interclube residentes na província da Huíla encontram-se desde ontem, em Luanda, com o objectivo de subir ao pódio da São Silvestre, que se disputa amanhã. No seio da colectividade, os níveis de confiança estão em alta. Em declarações ao Jornal dos Desportos, antes da viagem, o membro da comissão técnica da equipa da Polícia Nacional , José Leôncio disse que a estratégia passa por constar entre os primeiros angolanos a fim de subir ao pódio.

“As nossas intenções são sempre as mesmas. Lutar para o pódio. Sabemos do nível competitivo dos estrangeiros, o que impossibilita a nossa pretensão, mas vamos constar entre os primeiros angolanos”, prometeu. A preparação efectuada permite que haja sucessos na São Silvestre de Luanda, conforme José Leôncio. O responsável admitiu que pode haver algum desequilíbrio no grupo, em virtude da organização ter optado realizar a prova no período nocturno.

Essa mudança pode influenciar no andamento dos atletas, de acordo com o técnico-adjunto do Interclube. A responsabilidade da boa prestação da equipa do Interclube está entregue a Joaquim Chamane, David Elias, Luís Cuvingua e Ernestina Paulino. Este lote juntou-se a outros dos núcleos de Namibe, Huambo, Cuanza Sul, Bié e Luanda. “A política do Interclube é lutar pela equipa para que saiamos vencedores da prova”, disse.
GAUDÊNCIO HAMELAY- LUBANGO

PROVA DE 2014
Selecção da Huíla
resgata a mística


Adelino da Silva e Isabel Evaristo, atletas do Interclube, são os representantes da Associação Provincial de Atletismo da Huíla para a corrida de fim de ano, a São Silvestre de Luanda. Os seleccionados têm como missão o resgate da liderança da melhor selecção provincial na competição mais importante da África Austral.

O secretário-geral da Associação, José Leôncio, avançou à imprensa que a melhoria de marcas pessoais é outro objectivo do grupo. Depois de longos meses de preparação, a equipa técnica garantiu bom desempenho dos atletas. Adelino da Silva e Isabel Evaristo vão lutar pelos lugares que dão prémios, segundo Leôncio.

O dirigente desportivo afirmou que os atletas seleccionados nunca participaram de uma competição no período nocturno, o que constitui o maior empecilho. Para evitar percalços, o grupo realizou alguns ensaios à noite para avaliar a prontidão dos atletas.  A delegação huílana é composta por 25 elementos, entre técnicos, dirigentes e atletas. O Desportivo da Huíla, Benfica do Lubango, além de atletas populares e paralimpicos, participam da corrida de São Silvestre.
GAUDÊNCIO HAMELAY- LUBANGO

Brasil “capricha” na organização

A 90ª edição da Corrida Internacional de São Silvestre vai realizar-se amanhã, quarta-feira, de manhã. No domingo, os operários vão trabalhar na montagem da plataforma usada para armar o pódio, em frente ao prédio da Fundação Cásper Líbero, na Avenida Paulista. Idealizada pelo jornalista Cásper Líbero, a prova tem largada na altura da Rua Frei Caneca e chegada diante do edifício da Fundação. Além da plataforma usada para armar o pódio, os operários trabalham para montar as bancadas no trecho da calçada entre a Avenida Paulista e a Rua Joaquim Eugénio de Lima.

Na prova masculina, o principal candidato a subir ao lugar mais alto do pódio é o etíope Tariku Bekele, campeão da edição de 2011 da São Silvestre e irmão do astro Kenenisa Bekele. Entre as mulheres, há mais duas antigas ganhadoras, as quenianas Nancy Kipron (2013) e Priscah Jeptoo (2011).
O Brasil não vence a tradicional prova desde 2010, quando Marilson Gomes dos Santos triunfou. Entre as mulheres, a vitória nacional mais recente aconteceu em 2006, com Lucélia Peres.

Os dois não vão  participar da edição de 2014 da disputa pelas ruas da capital paulista. A elite feminina inicia a Corrida Internacional de São Silvestre às 8h40 (de Brasília). Às 9 horas parte a elite masculina e o pelotão geral. A prova a ser realizada  amanhã de manhã e marca a 90ª edição ininterrupta do evento idealizado pelo jornalista Cásper Líbero.