Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

Bolt passeia classe nas preliminares de 100 metros

14 de Agosto, 2016

Os super astro Usain Bolt venceu com tranquilidade a sétima bateria das séries dos 100 m rasos, com tempo de 10 segundos e 07 centésimos,

Fotografia: APF

Os super astro Usain Bolt venceu com tranquilidade a sétima bateria das séries dos 100 m rasos, com tempo de 10 segundos e 07 centésimos, levando ao delírio a numerosa claque que compareceu ao estádio do Engenhão para assistir a sua estreia nos Jogos do Rio.

As séries não podem servir de parâmetro, já que os atletas de ponta não costumam dar o seu máximo para se poupar para as próximas jornadas, mas Bolt ficou com o quatro melhor tempo geral.

O mais rápido foi seu maior rival, o americano Justin Gatlin (10.01), campeão olímpico em Atenas-2004 e actual vice-campeão mundial e olímpico, atrás do jamaicano. Quando Bolt apareceu na pista, o Engenhão foi à loucura, comemorando a chegada do 'Raio' como um golo, no estádio que também recebeu jogos de futebol nas Olimpíadas.

Antes da série, o jamaicano deixou o bloco de largada para dar um breve aquecimento e aproveitou para correr até o meio da pista para acenar para os fãs. O barulho só parou quando o astro foi visto no telão colocando a mão no dedo para pedir silêncio.

Como de costume, o jamaicano não fez uma grande largada, mas ultrapassou um rival atrás do outro e se deu ao luxo de reduzir o esforço bem antes da chegada. O brasileiro Vitor Hugo dos Santos ficou apenas com o 48º tempo geral, com o tempo de 10.36.

Entretanto, enquanto Usain Bolt não teve dificuldades nas séries preliminares, os atletas de menor expressão, de países como Quirguisitão, Micronésia ou Bangladesh estiveram longe dos recordes mundiais.

Os mais lentos foram Richson Simeon, da Ilhas Marshall, e Etimoni Timuani, de Tuvalu, que completaram a distância em 11 segundos e 81 centésimos, mais de três segundos acima do recorde mundial de Bolt (9.58).

As Ilhas Marshall são um pequeno país de pouco mais de 50.000 habitantes localizado no meio do Pacífico, onde os Estados Unidos realizaram testes nucleares no início da guerra fria.

Tuvalu, situado na Polinésia, é ainda menos populoso: são apenas 12.000 habitantes.

Ou seja, seria preciso juntar as duas populações inteiras dos dois países para lotar o estádio do Engenhão, palco do atletismo nos Jogos, que estava com menos da metade dos assentos preenchidos quando aconteceram essas séries preliminares.

Esses atletas não se classificaram por meio do índice olímpico, mas graças a cotas que garantem a participação de um maior número de países aos Jogos. Tradicionalmente, a prova dos 100 m rasos é a que acolhe o maior número de competidores desconhecidos, por isso foram criadas essas séries preliminares, que acontecem antes da estreia dos atletas de elite.

Mesmo sabendo que não têm a menor chance de medalha, os velocistas estavam felizes da vida, alguns levantando os braços na linha de chegada como se tivessem conquistado o ouro.