Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

Bolt prevê disputa em Londres

03 de Agosto, 2017

Usain Bolt revelou que a prova mais memorável foi nos 200 metros das Olimpíadas de Pequim

Fotografia: AFP

O jamaicano Usain Bolt, lenda viva da velocidade, admitiu em conferência de imprensa na terça-feira que não seja favorito para o título dos 100 metros livres do Mundial de Atletismo, que começa amanhã em Londres. \"É o que estou a ler, e o que a minha equipa está a dizer. Por isso, tenho de me desafiar mais uma vez\", afirmou o velocista de 30 anos, sem deixar de mandar um recado  aos adversários.

Bolt não começou bem esta temporada, com duas corridas acima da marca dos 10 segundos. Na Liga de Diamante, no Mónaco, correu em 9.95. \"Na última corrida que competi fiz 9.95, o que mostra que estou na direcção certa. É um Mundial. As duas preliminares sempre me ajudam. Estive neste campeonato muitas vezes, e é a hora da verdade. Avante\", comentou Bolt.

O jamaicano quer aumentar ainda a sua lenda. \"Para mim, a melhor manchete desse Mundial, era: Usain Bolt aposenta-se em competições individuais invicto, imbatível, imparável\", contou. Bolt domina a velocidade desde as Olimpíadas de 2008, em Pequim. No total, venceu oito títulos, ao vencer todas as provas de 100, 200 e 4x100 metros.

Nos Mundiais, são 11 títulos. A conquista que escapou foi em Daegu-2011, quando Bolt queimou a largada, e foi desqualificado.
O jamaicano também perdeu um ouro olímpico, porque o companheiro do revezamento 4x100 foi apanhado no antidoping. Bolt não quis revelar que será o seu maior rival na prova mais veloz do atletismo: \"Os sete velocistas que estiverem na final comigo, serão os meus maiores rivais.

Recordista nos 100 metros (9.58) e 200 metros (19.19), o Raio quer que as suas marcas permaneçam por muito tempo. \"Quero gabar-me para os meus filhos quando eles tiverem 15 anos, poder dizer que eu ainda sou o melhor\", brincou. Revelou que a prova mais memorável foi nos 200 metros das Olimpíadas de Pequim. \"Nunca foi claro para mim, se eu conseguia bater o recorde do mundo. Esse, era o meu principal sonho, ser campeão olímpico dos 200 metros. Quando bati o recorde, não sabia como reagir\", indicou.

O jamaicano insistiu que não perdeu a motivação, apesar da extensa carreira. \"A cada ano você encontra algo, que te motiva. Gosto da competição, de evoluir. Gosto que as pessoas corram rápido, para me pressionar. Sinto-me confortável ao dizer que sou uma lenda, porque eu provei isso, para mim mesmo. Não sabia se seria recordista dos 100 metros. Tudo é possível, mas precisa de ter isso em mente, e trabalhar. Não tenho palavras para explicar o que fiz durante os anos, e estou orgulhoso de mim mesmo\", concluiu Bolt sem meias palavras.