Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

Bottas brilha nos primeiros treinos livres na Grã-Bretanha

15 de Julho, 2017

Valtteri Bottas brilhou no primeiro dia de Treinos Livres para o GP da Grã-Bretanha

Fotografia: AFP

Valtteri Bottas fez o melhor tempo em absoluto do primeiro dia de Treinos Livres para o GP da Grã-Bretanha de Fórmula 1, a disputar-se amanhã. A exemplo do que já tinha feito ontem de manhã, o finlandês da Mercedes bateu o seu companheiro de equipa Lewis Hamilton.

Bottas deixou Hamilton a 47 milésimos de segundo (de manhã tinham sido 0.078s), mas para além de o inglês ter reduzido a distância na segunda sessão em que os tempos forma melhores, Hamilton fez a sua melhor marca com pneus macios – enquanto o companheiro de equipa fez a melhor volta com supermacios.

A exemplo do melhor tempo de Bottas, a Mercedes voltou também a mostrar-se mais rápida do que a concorrência na sessão da tarde. Mas com os Ferrari, desta vez, a baterem os Red Bull. E tanto Kimi Raikkonen como Sebastian Vettel (por esta ordem e como os Flecha de Prata) entraram no segundo 28 – algo que Verstappen e Ricciardo ainda não lograram.

O piloto holandês protagonizou, porém, com Felipe Massa, um momento que mereceu a investigação da Direcção de Corrida, pois o Williams do brasileiro e o Red Bull pareceram, a certa altura, estar numa disputa por uma posição como se estivessem em corrida.

ALONSO
Entretanto, o piloto espanhol Fernando Alonso, da McLaren, recebeu ontem uma penalização de cinco lugares na grelha de partida do Grande Prémio da Grã-Bretanha, por ter trocado a bateria do seu carro pela quinta vez. A Federação Internacional de Automobilismo (FIA) confirmou a sanção ao piloto asturiano por utilizar a quinta bateria da temporada, durante a primeira sessão de treinos livres em Silverstone, Inglaterra, na qual Alonso alcançou o oitavo lugar. O bicampeão mundial de Fórmula 1, que venceu o Grande Prémio inglês nas edições de 2006 e 2011, perderá cinco lugares na grelha de partida da corrida de amanhã.

HONDA
Por outro lado, a Honda veio a público assumir o compromisso com a McLaren para a próxima época numa base de «cem por cento» que estende à sua presença na Fórmula 1. A fabricante japonesa de motores reagiu assim aos rumores de que não só a relação com a McLaren podia quebrar-se como deixar a competição.

A Honda tem contrato com a McLaren até 2021 e assumiu o fornecimento de motores à Sauber a partir da próxima época. Nesta semana, além da relação com a Sauber, recuperada depois da entrada de Frédéric Vasseur como novo director, foi também noticiado que a McLaren abordou a Ferrari por causa dos motores.

\"Não contemplamos qualquer opção que não seja continuar na Fórmula 1 com a McLaren no próximo ano. Não é verdade que estamos a avaliar a possibilidade de sair da F1. A cem por cento, vamos continuar a cumprir o contrato que temos. Estamos tranquilos nesse sentido\", declarou a Honda num comunicado feito ao jornal \"Marca\".