Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

Bottas conquista pole-position para GP da Áustria

09 de Julho, 2017

Valtteri Bottas foi o elemento surpresa da classificação

Fotografia: AFP

Valtteri Bottas está em alta. É o homem da Mercedes no Red Bull Ring. O finlandês brilhou e cravou ontem a segunda pole-position da sua carreira na F1 e da época 2017 com a marca de 1min04s251. Bottas estabeleceu um novo recorde para o circuito que alberga hoje o Grande Prémio da Áustria.  Como prémio, volta a partir pela segunda vez na liderança da grelha de partida.

Com Lewis Hamilton a cumprir punição pela troca da caixa de velocidade e prejudicado por uma bandeira amarela na parte final da classificação, o piloto nórdico tem a seu lado o líder do campeonato mundial, Sebastian Vettel. O tricampeão britânico fez o terceiro melhor tempo, mas larga em oitavo.

Kimi Raikkönen abre a segunda fila em parceria com Daniel Ricciardo. O australiano vem de vitória na época. Max Verstappen, Romain Grosjean e Sergio Pérez aparecem na sequência, enquanto Esteban Ocon e Carlos Sainz completam o top-10.Felipe Massa larga na 17ª posição. Em declarações à SporTV disse que a equipa está com "problema sério" para "fazer funcionar os pneus da maneira correcta, pois falta a aderência".

"Com tanque vazio e pneu novo é um problema sério”, explicou.Ao explicar sobre o seu desempenho, Valtteri Bottas não poupou elogios ao carro da Mercedes. “Gosto muito de pilotar aqui. Obrigado por todo o apoio. Aproveitei muito hoje (ontem), o carro ficou cada vez melhor e a aderência foi aumentando. A volta não foi tão perfeita, mas foi o suficiente”, disse.

O companheiro de equipa, Lewis Hamilton, não teve tanta sorte. Para Valtteri, ainda tem a oportunidade de conquistar um bom resultado. “Como Vettel disse, deve ser uma corrida interessante e o nosso objectivo é ganhar. Creio que Hamilton tem oportunidades de fazer uma boa prova, vai ter bastante tempo para conquistar bons pontos para a equipa. Estou bastante optimista”, encerrou.

COM BOTTAS
Hamilton descarta jogo de equipa

Depois de deixar o carro da Mercedes no 'cercadinho' do pit-lane do Red Bull Ring, Lewis Hamilton tinha apenas uma meta na cabeça: tentar minimizar os prejuízos. O tricampeão precisou trocar a caixa de velocidade do W08 número 44 e foi punido com a perda de cinco posições na grelha de largada. Na pista, o inglês cravou a terceira melhor marca da fase final da classificação, mas parte do oitavo lugar da grelha.

O principal rival da época e líder do campeonato, Sebastian Vettel, larga da primeira fila ao lado do pole position, Valtteri Bottas, colega de britânico na Mercedes. Em declarações à Sky Sports F1, Hamilton reconheceu a força do finlandês, mas descartou qualquer jogo de equipa para tentar a recuperação na prova austríaca.

"Valtteri foi o mais rápido o fim de semana todo. Fez um trabalho fantástico e estou feliz por ele. E Sebastian foi muito rápido. Hoje (ontem), não era para ser. Amanhã (hoje), espero fazer o melhor trabalho possível e tentar uma dobradinha com Valtteri. Não faz sentido pedir-lhe para que reduza o ritmo.

Tem de largar para vencer", afirmou o piloto. Lewis falou também sobre a estratégia de sair com os pneus super-macios na segunda parte da classificação, quando esses compostos são os mesmos com os quais larga hoje.

"Não creio que vai fazer uma grande diferença, para ser honesto. É um pneu mais lento e a primeira fase da corrida é mais curta também. Muitas coisas podem acontecer, como safety-car, chuva, quem sabe", falou. O vice-líder do Mundial crê também que a recuperação de posições não vai ser muito fácil, apesar do histórico que o mesmo possui na pista austríaca. Em 2014, Lewis Hamilton saiu de nono para a segunda posição.

"Temos de tentar minimizar os prejuízos. Mas creio que, lembrando daquela corrida, havia uma diferença de velocidade muito grande entre os nós e os demais carros. Agora, creio que é mais improvável. Vou fazer o possível para conseguir isso e ficarei feliz se chegar ao pódio", emendou.

FERRARI
Vettel elogia carro


Sebastian Vettel conquistou o segundo lugar na grelha de largada do GP da Áustria. O alemão fez a melhor das suas 17 voltas no treino classificativo no Red Bull Ring em 1min04s293 e ficou a 0s042 de Valtteri Bottas, o dono da pole-position. Após encerrar a classificação, Vettel lamentou que tenha perdido a oportunidade de fazer a sua volta final por conta de uma bandeira amarela causada por problemas com o carro de Romain Grosjean, mas mostrou-se satisfeito com o carro da Ferrari.

“Não fui rápido o bastante, mas fiquei muito feliz. O carro estava realmente bom. Estava à espera pela última tentativa, mas um pouco de anticlímax com as bandeiras amarelas”, disse Vettel. “É uma óptima pista, pena que é curta demais. Mas o carro tem sido fenomenal, estou ansioso por amanhã (hoje). Deve ser uma boa corrida”, concluiu.

RED BULL
Daniel Ricciardo
celebra a grelha

Quarto colocado na grelha de largada para o GP da Áustria, Daniel Ricciardo celebrou a proximidade com Kimi Raikkönen. O australiano fez a melhor da suas 22 voltas em 1min04s896 e ficou a 0s645 de Valtteri Bottas, o dono da pole-position. A largar da segunda fila, Daniel avaliou que a Red Bull conseguiu aquilo que esperava, mas lamentou as bandeiras amarelas accionadas nos instantes finais da sessão por conta de um problema com o carro de Romain Grosjean.

Além disso, o número 3 mostrou-se satisfeito com a proximidade com Kimi Raikkönen, o terceiro classificado, que foi apenas 0s117 mais rápido. “Largar na quarta posição é tão bom quanto esperávamos. Parecemos bem próximos de Kimi. É bom estar nessa caçada. Igualei a minha melhor grelha neste ano”, disse Ricciardo. O australiano disse que está "bem feliz" com a forma como a sessão correu.

“Teria sido bom fechar a sessão, mas tinham algumas bandeiras amarelas”, lamentou.  Animado, Ricciardo também fez uma previsão optimista pela corrida, até pelo facto de Lewis Hamilton largar em oitavo por conta de uma punição. “A pista é rápida, a aderência é alta, os tempos de volta são bem rápidos. Vai ser uma corrida bem interessante. Não creio que vai ser assim complicada. Lewis também vai partir de oitavo”, lembrou.

Quinto classificado na ordem de partida, Max Verstappen foi 0s732 mais lento que o tempo da pole. O holandês admitiu um erro na curva sete do Red Bull Ring e avaliou que a chuva pode ser boa para a equipa dos energéticos. “Na curva sete, tentei ser um pouco agressivo demais com o acelerador e perdi a traseira”, explicou Max. “Não estou certo de que temos ritmo para colocar os dois carros no pódio. Muitas coisas vão ter de acontecer na nossa frente. A chuva pode ser boa para nós”, considerou. “Em termos de ritmo de corrida, não podemos acompanhar as Mercedes e as Ferrari, mas, com uma boa estratégia, nunca se sabe”, concluiu.