Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

Boxe aposta em frica

Guad?ncio Hamelay, no Lubango - 05 de Abril, 2017

Mofu Makhaya Andile (segundo esquerda) apela a investimentos na formao de treinadores

Fotografia: Arimatia Baptista | Edies Novembro

A Associação Internacional de Boxe (AIBA) decreta o ano 2017 como o de desenvolvimento no continente africano. Os resultados negativos obtidos pelos pugilistas africanos nos Jogos Olímpicos estiveram na origem da tomada de decisão. A revelação foi feita pelo presidente da Zona IV da Confederação Africana de Boxe, Mofu Makhaya Andile, durante a visita de inspecção efectuada há dias na cidade do Lubango.

O sul-africano Mofu Makhaya Andile, que constatou “in louco” as condições das infra-estruturas desportivas e hoteleiras criadas no Lubango para albergar entre os dias 25 do corrente a 1 de Maio, o Campeonato Africano da região, citou como exemplo os Jogos Olímpicos de Londres'2012, em que a África não obteve nenhuma medalha. No Rio2016, apenas um pugilista marroquino conquistou a medalha de bronze.

“Talvez seja essa a razão pela qual a Associação Internacional de Boxe declara o ano 2017 como o da África para desenvolver e prestar mais atenção à modalidade”, fez a presunção. 

Mofu Makhaya Andile reconheceu que muitos países africanos não têm equipamentos para treinar, treinadores qualificados e árbitros para enfrentar os gigantes do boxe mundial.

“Se não me engano, em África só temos três treinadores com três estrelas. Por essa razão, a Associação Internacional de Boxe entendeu que tem de haver um trabalho árduo para o desenvolvimento da modalidade no continente africano”, disse.

Mofu Makhaya Andile destacou que constitui uma grande plataforma para se começar bem este ano considerado de África para desenvolver de forma abrangente o boxe com a realização do campeonato da região IV, na cidade do Lubango, província da Huíla.

Explicou que a África está dividida em quatro regiões e acrescentou que a zona IV é a que mais trabalha em prol do desenvolvimento de boxe. “Antes de tudo, tenho de dizer que a zona IV é a que mais trabalha. Digo isso porque em Dezembro do ano passado, o Conselho do Desporto da União Africana realizou os V Jogos da Juventude da Região em Luanda, Angola. Esses jogos são realizados em cada dois anos.

O próximo ano vai ser no Botswana. E em 2020, vai ser no Lesoto. Então, o Conselho de Ministros da SADC, juntaram-se para decidir que esses jogos têm de ter mesmo lugar. Mas a zona IV é a única que promove esses jogos. A nossa região é a única em África que está a organizar anualmente o campeonato africano que a cidade do Lubango vai acolher e nunca falha”, manifestou.

O presidente da Zona IV da Confederação Africana de Boxe, Mofu Makhaya Andile, defendeu ser também intenção introduzir o campeonato para juniores. Por isso, “essa zona está sempre dinâmica em promover eventos de boxe comparativamente às restantes três”. 

O também membro do Comité Executivo da Confederação África de Boxe assegurou que a zona IV podia trabalhar mais no aumento de competições, mas a condição financeira, às vezes, não permite a concretização do projectado. Para o efeito, ressaltou que a região IV é a que possui pugilistas com maiores performances competitivas no continente.

Todavia, indicou, que o campeonato da zona V deve servir de qualificação para o campeonato africano. “Daí, estamos a envidar os esforços para que sirva de qualificação para o campeonato africano, porque quando não é assim, os atletas não dão muita importância a este tipo de competições”, perspectivou.  

MUNDIAL DA ALEMANHA
Congo acolhe prova qualificativa


 O campeonato africano de boxe vai ter lugar entre os dias 25 de Maio e 5 de Junho, na República do Congo, confirmou, há dias no Lubango, o presidente da Zona IV da Confederação Africana de Boxe, Mofu Makhaya Andile.

O sul-africano garantiu que a competição vai qualificar os atletas que vão participar no Campeonato do Mundo, a disputar-se em Setembro, na cidade de Hamburgo, Alemanha.

O dirigente apela a todos os pugilistas que queiram competir no campeonato africano de boxe a efectuarem uma preparação cuidadosa por se tratar de uma importante prova.  Mofu Makhaya Andile, que também é membro do Comité Executivo da Confederação África de Boxe, esclareceu que as competições de zonas não qualificam para o campeonato africano.

“Há zonas que ainda não possuem as condições de realizar os campeonatos africanos locais", disse.Sustentou que a Confederação Africana de Boxe obriga que todas as zonas organizem as competições para dotar aos pugilistas de maior rodagem competitiva.

Tão logo houver as condições de disputarem as provas regionais locais, "os eventos podem servir para qualificar atletas para os campeonatos africanos e mundiais".
Mofu Makhaya Andile referiu que participam do campeonato africano qualquer país membro da Confederação Africana de Boxe.

Ao todo são 54 membros.Por isso, acrescentou Mofu Makhaya Andile, qualquer um dos membros pode participar desde que tenha cumprido com as condições exigidas, sobretudo, o pagamento da quota anual, entre outras condicionantes.