Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

Boxe mostra nova geração pugilistas

Silova Cacuti - 08 de Fevereiro, 2016

Combates da Kibeto Promoções mereceram elogios de atletas e alguns adeptos presentes no Complexo Paz Flor

Fotografia: Jornal dos Desportos

Uma nova geração de pugilistas profissionais está a ser forjada no boxe angolano e pode dar muitas glórias ao país, disse Alfredo Sassa pugilista que venceu o evento principal da gala da Kibeto Promoções, que se disputou  no sábado  no Complexo Desportivo Paz Flor, em Luanda. “O combate é este. Venci-o. Este é o início de uma nova geração e vou lutar por este troféu e as pessoas saibam que há novo sangue no boxe profissional”, disse.

Emocionado pelo combate vitorioso, Alfredo Sassa enalteceu os organizadores pela oportunidade criada para a nova geração. “Quero encorajar a iniciativa da Kibeto Promoções por organizar os cinturões profissionais”, disse. Alfredo Sassa, do Team Kibeto, venceu o veterano Peter Flo, que jogava pelo Palmeiras Boxing Clube, no combate para a categoria dos meio ligeiro (- 66.7kg).

Noutro resultado surpreendente, José Gomes (Jeffo Sport) também perdeu para o jovem Mafisi Kiabua, do África Golf2, que fazia estreia no boxe profissional, na categoria de médios ligeiros (-69,9kg). Diante dos factos, José Gomes rendeu-se, alegou falta de ritmo depois de cerca de quatro anos sem competir.

David Massiala (Jeffo Sport), outro veterano muito a custo venceu o estreante Arnaldo Makengue, que vinha do África Golf2. Noutro combate muito esperado de pesos pesados, Tó Morgado venceu Manuel Mutwa, mas deu uma lição de como se faz boxe sem espectáculo. Pontuou mais com jabes, tanto que a sua vitória mereceu alguma contestação. Tó Morgado parecia fugir ao contacto directo com o opositor. Mutwa deixou-se levar no jogo de Tó e desde o início do combate gastou força a bater na defesa deste, nunca sem o punho do adversário lhe visitar a face antes.

Os combates de boxe tiveram ginga ou esquiva, jabes, ganchos, rectos, uppercuts, swings, clinches, menos o esperado "KO". Os quatro combates foram decididos aos pontos. A organização para uma primeira vez esteve razoável, embora tenha de melhorar no controlo de adeptos.

NOVA GALA
O  boxe profissional e o Kickboxing voltam a animar uma gala da Kibeto Produções, agendada para 28 de Maio, anunciou Márcio Herlander. O promotor falava no final da gala, alusiva ao início da luta armada, realizada no Complexo Desportivo Paz Flor.

“Apressadamente, organizamos este evento para homenagear os nossos heróis; tivemos menos de um mês para isso e esperemos que a próxima gala, a 28 de Maio, seja melhor. Ainda assim, pensamos ter dado um contributo grande à modalidade. A Federação Angolana quer a disputa de cinturões profissionais e vamos trabalhar para chegar a esse patamar”, disse.

Carlos Luís, presidente da Federação Angolana de Boxe mostrou-se satisfeito com o nível dos combates disputados e revelou que a sua instituição perspectiva a criação de selecções de boxe profissional, para as provas internacionais. “Associamo-nos às pessoas com vontade de promover o boxe profissional, uma vez que temos perspectivas de criar uma selecção de boxe profissional para competir na liga da AIBA, e noutras competições internacionais”, anunciou.

COMBATENTES
Kickboxing encheu os olhos


Noite de verdadeira “surra”, foi vista aquando dos combates de kickboxing, onde Wilmer Cruz, da equipa Bráulio Chute, não precisou dos três rounds para despachar Esmael Moxi, da Tiger Force. Esmael, diga-se, começou o combate no tapete e da mesma forma terminou. Logo nos instantes iniciais foi torpedeado por um recto de Wilmer que o atirou ao tapete e obrigou à contagem do árbitro. Wilmer subiu às cordas e comemorava o que parecia o fim do combate, mas Moxi mostrou que estava em condições de continuar a lutar.

A peleja prosseguiu com Wilmer Cruz a maltratar o adversário até não mais, a meio do segundo assalto. Noutro combate, muito aplaudido, Bradley Hilário "Bebucho", da  equipa Bráulio Chute, arrumou por "KO" Peter Strong, da equipa Peter Strong Muay Thai, ao terceiro round. "Bebucho, Bebucho, Bebucho", assim se ouvia aos gritos eufóricos a assistência, ante a recuperação do lutador da Bráulio Chute, aparentemente menos dotado fisicamente.

O "caenche" (entende-se forte) começou o combate de forma demolidora e quando todos estavam convencidos de que Bebucho fosse perder, este enceta recuperação e estafado, Strong teve de desistir da peleja. Noutro combate, Ivan Pepas, da Bráulio Chute, foi espancado por Lourenço Gomba, do África Golf 2. A equipa de Ivan teve de atirar a toalha ao ringue ante a superioridade do adversário.
SILVA CACUTI

ESCRIMA
Federação forma
novos treinadores


A esgrima conta com formadores especializados, depois de ontem ter encerramento o primeiro curso de treinadores de nível I, que decorreu na sala de reuniões do Comité Paralímpico Angolano (aulas teóricas) e no ginásio do Ténis de Mesa (práticas). Durante três dias a acção formativa contou com a participação de 22 integrantes em representação das províncias de Luanda, Malanje, Huíla, Cabinda e Huambo.

Os formadores tomaram conhecimento sobre a filosofia e valores olímpicos, a história da esgrima, a esgrima florete, esgrima sabre, aspectos básicos do florete, fundamentos básicos do florete, aspectos básicos do sabre, aspecto básicos da espada, fundamentos básicos da espada, regras básicas da esgrima, jogos em (florete, sabre e espada), aspectos básicos do treino desportivo, a comunicação e liderança.

Os temas foram abordados pelos prelectores José de Lima, Domingos Pascoal, Frederico de Oliveira, Meven Pereira, Marco Romero, Manuel da Cruz e Mayomona Nzita. Em declarações ao Jornal dos Desportos, o presidente da Federação Angolana de Esgrima, Pedro Pascoal, disse que a primeira acção formativa decorreu com sucesso e bom ritmo.

"Felizmente, terminamos o curso com êxito. Levamos ao conhecimento dos participantes todas as matérias programadas. É o primeiro curso de carácter nacional que se realiza no país ", disse. O presidente deposita grandes esperanças no grupo de treinadores, que vão constituir o primeiro embrião,  de técnicos nacionais. "Acredito que vamos ter uma outra dinâmica na modalidade, após a formação de novos técnicos, com certeza vão colocar à prova tudo o que apreenderam", perspectivou.

Recorde que a modalidade está representada nas províncias de Luanda, Malanje, Cabinda, Cuanza Sul, Lunda Sul e Huambo. A esgrima já conta com um considerado número de atletas. Em Luanda, estão inscritas, a Escolinha de Esgrima do Gamek, Centralidade do Kilamba e o Núcleo do Puniv. Este ano, prevê-se a implementação da prática nas províncias do Namibe, Cuando Cubango e Uíge.
ROSA NAPOLEÃO