Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

Brasil afasta dupla campeã olímpica

14 de Março, 2016

Voleibol de praia dos Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro

A dupla campeã olímpica Ricardo/Emanuel vai ficar de fora do torneio de voleibol de praia dos Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro'2016. Ouro em Atenas'2004 e pentacampeões do circuito mundial entre 2003 e 2007, não mereceram a confiança da Confederação Brasileira de Voleibol (CBV) para o evento. Com o afastamento, o país do Samba vai ser representado pelas duplas femininas Larissa/Talita e Ágata/Bárbara e a masculina Alison/Bruno e Evandro/Pedro Solberg.

Com a indicação definitiva, as duplas vão ser ratificadas como representantes do Brasil na maior reunião desportiva do mundo a decorrer de 4 a 21 de Agosto no Rio de Janeiro.

Ricardo e Emanuel retomaram a parceria em Agosto de 2014 com olhos postos numa vaga aos Jogos Olímpicos do Rio'2016. Em toda época de 2015, a dupla não lutou por medalha em nenhuma etapa do circuito internacional. Emnanuel esteve em todas as participações do voleibol de praia desde que foi inserida no programa dos Jogos de Atlanta'1996. Foi o rosto publicitário da candidatura do Rio de Janeiro para receber o evento em 2016.

A antecipação da escolha das duplas deve-se a um desejo da CBV de agilizar a definição do planeamento do voleibol de praia para os Jogos Olímpicos de 2016. A entidade não confirma oficialmente os nomes de Ágatha/Bárbara e de Evandro/Pedro Solberg, mas os atletas já dão como certa a indicação.

Ágatha/Bárbara, actuais campeãs mundiais, são as líderes do ranking feminino da Federação Internacional de Voleibol (FIVB, na sigla em inglês). O conjunto formado por Evandro e Pedro Solberg ocupa a segunda posição na lista masculina e obteve a medalha de bronze no Mundial disputado neste ano. Ambos são estreantes em Jogos Olímpicos.

O desempenho recente não foi o único critério usado pela CBV para eleger as duas duplas. A entidade decidiu indicar os conjuntos que considerasse mais prontos para disputar medalhas nos Jogos Olímpicos de 2016. E esse conceito incluiu aspectos como desempenho contra favoritos de outros países, planeamento de treinos da equipa e até comportamento.

Esse critério menos objectivo chegou a preocupar os atletas indicados, sobretudo, no masculino. Isto porque havia o temor de que o histórico de Ricardo/Emanuel pesasse a favor da dupla veterana na decisão da CBV.