Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

Brasil cai aos ps da Holanda

Silva Cacuti, Rio de Janeiro - 17 de Agosto, 2016

Holanda, venceu o Brasil

Num dia em que as bandeiras estão a meia haste, pelo passamento físico de Stefan Henze, treinador da equipa de canoagem da Alemanha,  o Brasil foi ainda abalado pela notícia da morte de João Havelange, antigo presidente da Confederação Brasileira de Futebol e da Fifa.

Como um mal nunca vem só, o afastamento da selecção feminina de andebol, nos quartos-de- final veio confirmar o o mau dia para as olimpíadas que decorrem aqui Rio de Janeiro.

Tida como favorita à conquista do torneio olímpico, ou no mínimo, ao acesso à zona de medalhas  a anfitriã sucumbiu aos pés da Holanda por, 32-23.Totalmente dominada desde o início da partida, com já desfavoráveis 11-12, ao intervalo, as brasileiras nunca conseguiram mostrar a suadela ambição.

No reatamento a Holanda que tinha feito uma primeira fase longe doseou estatuto de Bronze mundial, mostrou que estava melhor preparada para ir a frente. Maniatou a defensiva alheira e cerrou a sua, dando a ilusão de um campo inclinado para a baliza brasileira.

No final, 32-23, suficientes para mandar as meninas de Morten Soubak para casa e participarem das exéquias de Havelange, sem grandes preocupações.A Holanda aguarda, nas meias-finais o vencedor do jogo entre a França e a Espanha, que também se jogou ontem.

Para completar os quartos-de-final, a Suécia jogou com a Noruega e, no último jogo da noite, a selecção angolana defrontou a similar da Rússia.Na prova masculina os quartos-de-final jogam-se hoje, com os anfitriões a abrirem diante da França. A Alemanha joga com o Qatar. A Dinamarca  mede forças com a Eslovénia e a Croácia com a Polónia.

 

BRASIL
Fé em Deus exaltada
no recorde olímpico


O Brasil conquistou sua segunda medalha de ouro nos Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro. Na final do salto com vara masculino, Thiago Braz superou o favorito Renaud Lavillenie, campeão olímpico em 2012 e recordista mundial, bateu o recorde olímpico e garantiu a medalha de ouro.Nas suas primeiras palavras à imprensa, depois do feito, Thiago encontrou explicação para a sua vitória na fé em Deus.

“Durante a minha carreira, aprendi a ter fé e confiar em Deus, que tudo vai dar certo. Tenho colocado isso em prática e vem funcionando. Para mim, isso é muito especial. Eu trabalho dessa forma: fico quietinho na minha”, disse Thiago Braz em entrevista ao Sportv.Na final do salto com vara, disputada no Engenhão, o brasileiro começou com sarrafo posicionado a 5,65m e passou logo na primeira tentativa. Na sequência, o atleta superou 5,75m na segunda tentativa. Com o sarrafo posicionado a 5,93m, Thiago precisou de duas tentativas para ultrapassar a marca.

Com a falha do norte-americano Sam Kendricks, medalha de bronze, apenas Thiago e Lavillenie estavam na disputa do ouro. Com 6,03m, os dois atletas tiveram três chances para alcançar a maior marca do dia. Campeão olímpico em Londres 2012, o francês Lavillenie não conseguiu passar a marca, já o brasileiro conseguiu na sua segunda tentativa.

Com a marca de 6,03m, o brasileiro, além de conquistar a medalha de ouro, quebrou o recorde olímpico. Aos 22 anos, o paulista de Marília fez história ao conquistar a primeira medalha da história do País no salto com vara nos Jogos Olímpicos.Com uma competição em casa, achei que o público brasileiro me pressionaria um pouco. Porém, quando chegou o momento da prova, senti que estava todo o mundo a meu favor.

Então, isso para mim foi muito interessante. Foi muito emocionante o que eles fizeram e gostaria de agradecer”, festejou Thiago Braz.O jovem atleta é treinado pelo ucraniano Vitaly Petrov, ex-técnico das lendas Sergey Bubka, medalha de ouro em Seul 1988, e Yelena Isinbayeva, bicampeã olímpica em Atenas 2004 e Pequim 2008.