Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

Brasil critica juiz após derrota na Davis

14 de Setembro, 2014

O capitão do Brasil na Copa Davis, João Zwetsch não escondeu a insatisfação com o desempenho do juiz de cadeira da partida entre Thomaz Bellucci e Pablo Andújar, na sexta-feira, no confronto entre Brasil e Espanha pelos playoffs do Grupo Mundial, no ginásio do Ibirapuera, em São PauloO duelo, disputado numa série melhor-de-cinco jogos, está empatado a 1-1.

A arbitragem gerou polémica no quinto game do quarto set, quando Bellucci jogava break point para abrir vantagem no placar - perdia por 2 sets a 1. O brasileiro obteve a quebra de saque, mas o juiz mandou voltar o ponto alegando que Andújar cometeu dupla falta por influência dos gritos da torcida no momento da execução do saque.

"Fiquei um pouco exaltado por causa da decisão. Ele podia ter dado uma advertência, não precisava de ter voltado o ponto. Acho que foi uma decisão complicada, num momento complicado do jogo. Não foi a decisão correcta. Ele podia ter apenas advertido, ameaçando tirar o ponto na próxima", criticou o capitão brasileiro.

A decisão do juiz aqueceu a partida porque Bellucci não conseguiu repetir a quebra quando o ponto voltou. Irritada, a torcida brasileira passou a vaiar a arbitragem, interrompendo o jogo por cerca de dois minutos. Os pontos seguintes foram disputados sob novos gritos até que o juiz ameaçou punir o Brasil com a perda do ponto por causa das manifestações. A torcida só se acalmou depois do apelo da organização, via sistema de som, e dos próprios jogadores do Brasil.

A volta do ponto também incomodou Bellucci, que vinha reagindo na partida e poderia obter boa vantagem no set naquele momento. "Não concordei com a decisão. Lógico que a torcida tinha passado do ponto. Mas isso faz parte da Copa Davis. Já jogamos em tantos países com coisas muito piores do que aconteceu hoje (sexta) aqui. Ele podia ter usado aquele artifício num ponto não tão importante. Ali era um momento crucial", reclamou o "número um" do Brasil.


TAÇA DAVIS
Selecção de Portugal
"reforça" Euro-África


A selecção portuguesa da Taça Davis foi despromovida ontem ao Grupo II da Zona Europa/África em 2015, depois da derrota de João Sousa e Gastão Elias no encontro de pares. A selecção portuguesa perdeu por um irreversível 0-3 no playoff diante da Rússia, em Moscovo.

Num encontro em que Sousa e Elias estiveram muito longe do seu melhor, os portugueses foram derrotados de forma clara pelos russos Kostantin Kravchuk e Andrey Rublev, por 6-3, 6-4 e 6-4. Andrey Rublev, número um do ranking mundial de juniores, de apenas 16 anos, foi a grande estrela. Os dois encontros de singulares de hoje servem apenas para cumprir calendário. Em 2015, Portugal regressa ao Grupo II, do qual saiu em 2013.

PRIMEIRO TÍTULO
DE KARIN KNAPP

A italiana Karin Knapp venceu ontem, aos 27 anos de idade, o primeiro título WTA da carreira, ao sagrar-se campeã do Aberto de Tashkent de 2014, no Uzbequistão.

Numa final equilibrada, a italiana, antiga meia-finalista do Open Portugal, bateu a sérvia Bojana Jovanovski, primeira cabeça-de-série e campeã em título, por 6-2 e 7-6 (4), em 1h42min.

Com este título, Karin Knapp vai subir do actual 89º para o 61º lugar do ranking mundial.


Breve
Venus confirma favoritismo no torneio do Canadá

Principal candidata a levantar o troféu de campeão do WTA de Quebec City, Venus Williams confirmou o favoritismo na sexta-feira, quando se apurou par as meias-finais do torneio disputado nos carpetes cobertos. A norte-americana eliminou a checa Lucie Hradecka, por 2 sets a 1, com parciais de 6/3, 4/6 e 7/6 (7-3). Na próxima fase do torneio canadense, Venus denfronta a vencedora do duelo entre a norte-americana Shelby Rogers e a alemã Tatjana Maria. Na outra chave da meia-final da competição, a cabeça de chave 5, a alemã Julia Goerges, defronta a croata Mirjana Lucic-Baroni.