Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

Brasil em risco de ficar sem piloto na prxima poca

09 de Novembro, 2016

Brasileiro Felipe Nasr perdeu vaga na Force India para um piloto francs

Fotografia: AFP

A temporada da Fórmula 1, para 2017, corre o risco de ficar sem nenhum brasileiro no seu corpo de pilotos. Para evitar que isso ocorra, Felipe Nasr precisa de manter-se na categoria, algo que ainda não assegurado. Na segunda-feira, uma das portas que podia servir de opção para o corredor nascido em Brasília fechou-se, já que a Force Índia anunciou outro piloto para ocupar a vaga que estava cotado para Nasr.

O escolhido pela equipa para correr em 2017, foi o jovem francês Esteban Ocon, segundo informações dadas pela emissora SportTV, na manhã de segunda-feira. Ocon é apadrinhado pela Mercedes que fornece motor para a Force Índia, e aceitou usar o piloto como uma troca de favores, além de ser a alternativa mais rentável em termos financeiros.

A definição fecha a dupla de pilotos da equipa inglesa para o próximo ano, que além do francês, pode ter a continuidade do mexicano Sérgio Perez. O alemão Nico Hulkenberg, actualmente na Force Índia, foi quem abriu o espaço para a mudança, porque passa a correr pela Renault depois do final desta temporada.

Felipe Nasr, actualmente na Sauber, pode continuar por mais um ano na equipa da Suíça, mas a permanência não está garantida. Em razão da aposentação de Felipe Massa, está na continuidade de Nasr a esperança  que o Brasil não fique sem representantes na Fórmula 1, algo que não ocorre na categoria desde 1969.

SENNA

O dia 7 de Novembro é sempre lembrado, como uma data importante, para a história do automobilismo brasileiro. Neste mesmo dia, há 23 anos, Ayrton Senna conquistava a sua última vitória na Fórmula 1. A corrida aconteceu em Adelaide, na Austrália.Além de marcar a última vez em que o tricampeão subiu ao posto mais alto do pódio, a corrida foi a última de Senna pela McLaren, equipa pela qual conquistou os seus três títulos mundiais.

O Grande Prémio da Austrália de 1993 foi o último da temporada. Senna estava animado com a vitória no GP no Japão, na prova anterior, e pela pole position em Adelaide. Assim, o brasileiro não deu chance, venceu inclusive o seu principal rival e já campeão mundial daquele ano, o francês Alain Prost.

Na temporada seguinte, Senna assumiu o lugar de Prost, na Williams. Pela equipa, o brasileiro não conquistou nenhuma vitória, e faleceu após o grave acidente em Ímola, na Itália, no dia 1 de Maio de 1994.Durante sua carreira na F1, Senna venceu 41 corridas, é o quinto piloto até hoje a vencer mais Grandes Prémios na categoria. Além disso, facturou três campeonatos mundiais, em 1988, 1990 e 1991.

A McLaren, equipa com que Senna conquistou a última vitória, prestou homenagem numa rede social. Junto com uma foto do piloto a celebrar na Austrália, a equipa britânica escreveu: “Nesse dia, em 1993, o legendário Ayrton Senna conquistou a última vitória numa prova, na sua corrida final pela McLaren, no GP da Austrália”.

PARA DIRECTOT TÉCNICO
Sauber contrata Joerg Zander


A Sauber anunciou na segunda-feira a contratação do alemão Joerg Zander como próximo director-técnico da equipa de Fórmula 1 a partir da temporada de 2017. O engenheiro, de 52 anos, chega à equipa depois de abandonar o mesmo cargo na Audi Sport. O alemão já tinha trabalhado na equipa em 2006 e 2007 e pretende "melhorar e estabelecer a equipa no meio da tabela", aponta em comunicado.

"Uma das minhas tarefas será definir uma organização técnica eficiente e estável que permita evoluir o potencial criativo no desenvolvimento dos carros", acrescenta Zander, que iniciou a carreira na F1 em 1997, na Toyota Motorsport, tendo passado depois pela Honda e Brawn. A Sauber não soma qualquer ponto até ao momento na temporada de 2016. Com 19 corridas volvidas e duas a faltar até ao término da época, os pilotos Marcus Ericsson e Felipe Nasr ainda não conseguiram terminar nos dez primeiros lugares.