Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

Brasil prevê receber prova em 2018

21 de Novembro, 2016

Jacarepaguá, no Rio de Janeiro, que recebeu a etapa. Demolido em 2012, o local actualmente abriga instalações dos Jogos Olímpicos de 2016.

Fotografia: AFP

Fora do calendário oficial da MotoGP desde 2004, o Brasil pode enfim voltar a receber o torneio mundial, em 2018. A informação foi dada por Marco Túlio Ferreira, director da pista do Circuito dos Cristais, em Curvelo, a 170km distante da capital Belo Horizonte, ao portal Motorsport.

“Há a intenção de receber o circuito. A Federação Internacional de Motovelocidade (FIM) não homologou a pista, mas recebemos uma visita técnica com representantes do torneio”, afirmou. Franco Uncini, consultor de segurança da MotoGP e Javier Alonso, que representa a Dorna, empresa que rege o campeonato, estiveram no local.

De acordo com o chefe da pista, a dupla avaliou o trajecto e fez comentários, mas o sonho de receber uma etapa da MotoGP não é tão simples. “É necessária uma estrutura grande para receber eventos deste porte”, continuou. Ou seja, será necessária uma reforma na infraestrutura da cidade mineira, que tem cerca de 80 mil habitantes.

A intenção, segundo Ferreira, é preparar a localidade com uma rede maior de hotéis, restaurante e bares, além da estrutura nos transportes. Pela malha rodoviária, o acesso à cidade, saindo da capital mineira, é feito pela Rodovia Presidente Juscelino Kubitschek. Além disso, confirmou que o Circuito dos Cristais foi desenvolvido para receber eventos de motovelocidade.

“Toda a pista foi projectada como um autódromo para motos. Precisamos ajustar alguns locais para aprimorar a segurança, mas recebemos boas críticas no quesito estrutura. Entre os próximos dois anos, muitas reformas e obras serão feitas neste local”, finalizou.

O Brasil sediou eventos da MotoGP entre os anos de 1987 a 1992 e 1995 a 2004. Na primeira oportunidade, chamada Grande Prémio do Brasil, os circuitos de Goiânia e São Paulo receberam as provas. Já no segundo período, que vigorou por nove anos, foi o Autódromo de Jacarepaguá, no Rio de Janeiro, que recebeu a etapa. Demolido em 2012, o local actualmente abriga instalações dos Jogos Olímpicos de 2016.