Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

Brasil volta a ter labotarório

22 de Março, 2014

Obras do futuro laboratório antidoping estão em curso no Rio de Janeiro e foram aprovadas por membros do Comité Olímpico Internacional que estiveram em visita ao Brasil

Fotografia: Reuters

O Brasil  volta a ter um laboratório internacionalmente credenciado para exames antidoping nos Jogos de 2016, no Rio de Janeiro, segundo o comité organizador da competição.

O acerto para a construção do laboratório, na Ilha do Fundão, zona norte do Rio, foi finalizado numa reunião do comité organizador dos Jogos com integrantes do Comité Olímpico Internacional (COI), que estão na cidade para uma visita de acompanhamento da preparação para os Jogos Olímpicos.

Os recursos para a construção e equipamento do novo laboratório vão ser custeados de acordo com uma parceria entre o governo federal e o comité organizadorOs valores do novo laboratório, que  deve chamar-se  LBCD (Laboratório Brasileiro de Controlo de Dopagem), não foram revelados.

As obras  estão em curso e devem ser concluídas em meados deste ano. A instalação do equipamento deve acontecer até ao fim de 2014, e a expectativa do comité é de que o laboratório seja credenciado no segundo semestre do próximo ano.O Brasil não tem um laboratório para exames antidoping desde a retirada da  credencial do Ladetec, ligado à Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), pela Agência Mundial Antidoping (Wada) devido a não cumprimento das normas internacionais.

Com a decisão, o Brasil manda os exames para o exterior e durante o campeonato do Mundo deste ano as análises vão ser feitas em Lausanne, na Suíça.De acordo com o presidente da Associação Brasileira de Controlo de Doping (ABCD), Marco Aurélio Klein, o novo laboratório  vai ser de última geração. “ Hoje fazemos  fora e vamos ser  os maiores clientes deles quando estiver a operar novamente”, disse aos jornalistas após participar do encontro.

“Vai ser  um prédio novo, com 12 mil metros quadrados, um investimento significativo e com certeza vai ser  um dos principais legados dos Jogos”,  lembrou  que há no Mundo apenas 33 laboratórios desse tipo,  credenciados, a maioria no hemisfério norte.


Espanha absolve campeã


O Comité de Disciplina da Federação Espanhola de Atletismo absolveu a atleta Marta Domínguez num caso promovido por anomalias detectadas no seu passaporte biológico. O caso vai passar agora à Federação Internacional de Atletismo (IAAF), que o deve  enviar  ao Tribunal Arbitral Desportivo (TAS).

Domínguez foi campeã dos três  mil metros  obstáculos do Mundial de Berlim, disputado em 2009. Na época, apresentou dados irregulares no seu passaporte biológico, segundo informou a IAAF, que propôs uma sanção de quatro anos  a atleta, além da perda do título mundial. A entidade que rege o atletismo deu à Federação Espanhola até o final do mês de Março para resolver a situação.

Recentemente, o presidente do órgão nacional havia dito que confiava plenamente em Domínguez. “Continuo a confiar na honestidade de Marta Domínguez”, afirmou José María Odriozola, director máximo da Federação Espanhola, ao diário ABC.

Em Maio de 2013, a IAAF abriu o processo  contra a atleta depois de receber informações antidoping que diziam que o passaporte biológico da espanhola apresentava valores anormais em 2009 que apontavam uma suposta manipulação sanguínea. A alteração coincidia com o período do Mundial de Berlim.