Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

Bruno submetido a teste anti-doping

Simão Kibondo ,Casablanca - 25 de Fevereiro, 2016

Bruno Araújo melhor no crono individual

Fotografia: Jornal dos Desportos

O ciclista Bruno Araújo foi o melhor angolano júnior da Seleção Nacional, ao ocupar a oitava posição no contra - relógio individual de 25,2 km, que na terça-feira consagrou o argelino, BengayouAbdelraouf, como campeão africano de 2016 da especialidade, competição que decorre  em Benslimane, na cidade marroquina de Casablanca.

Bruno Araújo cronometrou 38´53”30 ficou a 02´43”75 do medalha de ouro, que foi arrebatada pelo argelino Abdelraouf com 36´09”55, a uma média de 41.62 km hora. Completaram o pódio CrhistopherRougier  das Ilhas Maurícias (36´13”23) e o argelino HamzaMansouri (36” 13”28), com as medalhas de prata e de bronze, respectivamente.

Quanto ao melhor angolano em prova, Bruno Araújo, apenas  pode queixar-se da falta de adaptação ao modelo de andamento(carretos) imposto pela organização para a categoria de júnior, muito diferente do modelo utilizado nas competições internas em Angola, em que a categoria júnior disputa as competições unificadas com os séniores,  usam todos os carretos.

Apesar do incidente de percurso, Bruno Araújo,ficou um pouco abaixo do meio da tabela classificativa, deixou para trás o mauriciano Alexandre Mayer, os rwandeses René Ukiniwabo, Fidel Dukuzumuremyi, o colega de equipa António Vidal e o gabonês Rodney Mouloungui, que não chegou a terminar a perseguição individual.

Entretanto, a competir  consigo mesma, por ser a única concorrente júnior na perseguição individual feminina, a egípcia Dona Mohamed, arrebatou a medalha de ouro da sua categoria. Angola teve duas ciclistas do mesmo escalão em Casablanca, que também podiam ter subido ao pódio.  É oportuno relembrar a necessidade imperiosa de Angola passar nos próximos tempos, do estado de “massificação” - que se encontra neste momento o desenvolvimento do ciclismo feminino- para a competição.
                     
FEMININO
Véra Adrian vence
no contra relógio


A namibiana Véra Adrian que é a segunda melhor posicionada no ranking dos participantes da categoria de elites ou seniores do escalão, sagrou-se campeã africana de contra - relógio individual, na distância de 31 km, com o tempo de 46”47”21, neste terceiro dia das competições em Casablanca.Atrás da medalha de ouro, ficaram a rwandesa D´arcGirinbutu (46” 48”22) e a sul africana Samantha Sanders(46´58”30). A perseguição individual, que encerrou os “cronos” reservados às senhoras, contou ainda com a participação de representes da Eritreia, Zimbabwe, Ilhas Maurícias, Etiópia, Marrocos, Egypto, Zimbabwe e Ghana, num total de 16 concorrentes.

ANGOLANO FAZ
TESTE ANTIDOPING

Os campeonatos africanos de estrada de Casablanca, contam igualmente com uma equipa independente da Associação Mundial de Controle Antidoping, com sede em Lausane (Suiça), que todos os dias no final de cada prova sorteia ou convoca ciclistas dos países participantes, em função da classificação para os referidos testes.

Entre os corredores das duas seleções nacionais de Angola presentes, já passou pelo “crivo” regulamentar mundial para as competições oficiais, o campeão nacional de júnior Bruno Araújo que  foi submetido ao teste de urina. Note-se que os constrolos antidoping podem igualmente ser realizados fora das competições e, no caso dos ciclistas existe ainda o chamado “passaporte biológico”, em que o ciclista mesmo no defeso, pode ser surpreendido, em qualquer lugar onde se encontre, com um  teste destes.