Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

Bruyneel suspenso por dez anos

23 de Abril, 2014

Johan Bruyneel é penalizado por conspirar na prática de doping nas equipas lideradas pelo antigo “super-campeão” da Volta a França

Fotografia: Reuters

O belga Johan Bruyneel, director das equipas de ciclismo de Lance Armstrong, anunciou ontem que foi suspenso por dez anos pela Associação de Arbitragem Americana (AAA) na sequência do inquérito da Agência Antidopagem dos Estados Unidos (USADA). De acordo com o painel, também puniu com oito anos os médicos espanhóis Pedro Celaya e José Martí, “as provas demonstram de forma concludente que Bruyneel estava no vértice de uma conspiração para a prática generalizada de doping nas equipas US Postal e Discovery Channel durante muitos anos e a apanhar muitos corredores”.A formulação da acusação remonta a 2012, pelo que o belga fica suspenso até 11 de Junho de 2022, enquanto os médicos completam a sua pena dois anos antes.

“Não nego que há certos elementos da minha carreira que gostava que não tivessem acontecido”, disse Bruyneel no seu blogue, continuando a colocar em causa “a jurisdição da AAA e/ou da USADA” para julgá-lo. Em Junho de 2012, a USADA acusou Bruyneel, Lance Armstrong, os médicos espanhóis Luis García del Moral, Pedro Celaya e José Martí e o italiano Michele Ferrari de múltiplas infracções de doping, incluindo a posse e tráfico de substâncias dopantes.Armstrong foi suspenso de forma permanente e viu anulada a maioria dos resultados da sua carreira, incluindo as sete vitórias na Volta a França (1999-2005), enquanto Bruyneel recorreu aos tribunais para contestar a jurisdição da USADA, alegando que devido a sua nacionalidade, só a Federação Belga pode fazê-lo.

“Estou a ponderar o meu próximo passo. Posso continuar a contestar a decisão da AAA no Tribunal Arbitral do Desporto, embora isso implique confiar de novo na arbitragem. Brevemente vou decidir se continuo a lutar e a tentar expor a hipocrisia daquilo pelo que a USADA me fez passar a mim e a outros”, acrescentou Bruyneel na plataforma virtual.