Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

Cadetes acertam técnica individual

Silva Cacuti - 22 de Maio, 2014

Campeonato do Mundo da Macedónia, de 20 de Julho a 3 de Agosto,

Fotografia: José Soares

A pré-Selecção Nacional de andebol em cadetes feminino trabalha desde segunda-feira na projecção da sua participação no Campeonato do Mundo da Macedónia,  de 20 de Julho a 3 de Agosto, com realce para a melhoria da técnica individual ofensiva, disse Quinteiro Teresa, seleccionador nacional.O técnico, que dirige as sessões de treino no recinto do pavilhão anexo número 1 da Cidadela, disse que nestes primeiros dias tem o grupo reduzido pelo facto de algumas atletas estarem também ao serviço da equipa nacional de juniores e outras ao serviço do Petro de Luanda que disputa a Taça das Taças Africanas.

"Tivemos algumas ausências, porque há atletas que trabalham com a equipa de juniores, mas também por questões disciplinares ficámos privados de Imara Kamuela, do Nacional de Benguela. Mas o grupo já está composto. Estamos a dar prioridade à melhoria da técnica individual ofensiva e a trabalhar na táctica colectiva", disse. Quinteiro Teresa está satisfeito com o grupo que tem à sua disposição e pensa apenas em trabalhar para alcançar os objectivos preconizados.

"Temos um grupo bom, que é basicamente o que esteve em Oyo, no Congo Brazzavile, onde conquistámos o campeonato africano e penso que em termos de experiência não nos devemos queixar", acrescentou.Além do mundial, a Selecção Nacional de cadetes vai jogar o torneio dos Jogos Olímpicos da Juventude, de 16 a 28 de Agosto em Nanjing, China.Quinteiro Teresa trabalha com as seguintes atletas: Aminata Kanka, Jocelina Yanda, Vilma da Silva, Dalva Peres, Fernanda Kungulo, Nicol Costa, Sweli Simão, Imara Kamuela, Zolina Santo, Amélia Caluyombo, Alexandra Chaca, Joana Costa, Manuela Paulino, Marília Quinzelete, Vilma Nenganga, Lucinda Ganga, Natália Kamalandua e Alcina Chitangueleca.

20 de Maio
Elizabeth destaca
papel da modalidade


Uma das primeiras referências do andebol angolano, Elizabeth Bondo, considera que a modalidade está a cumprir o papel de dignificar os angolanos através das suas conquistas em provas continentais e mundiais.A antiga jogadora do 1º de Agosto e primeira angolana a jogar na Europa falava ao Jornal dos Desportos, a propósito das festividades do 20 de Maio, dia consagrado à modalidade e chamou a atenção para o percurso que a modalidade viveu.

"Volvidos estes anos todos, tenho a satisfação de ver o andebol como uma modalidade que está a dignificar os angolanos, através das suas conquistas e outros feitos a nível africano e não só. Sinto que valeu o esforço de pessoas que se empenharam para que hoje tivéssemos esta potência. É bom que as novas gerações saibam que não foi fácil chegarmos até este patamar", disse.Integrante da Selecção Nacional durante a década de 80, na qual teve como companheiras Graça Sebastião, Hermínia Coelho, Palmira Barbosa, Ilda Cristóvão, Ana Balbina, Ana Beatriz, Paula Sacramento, Manuela Silva, Chinha Garrido, entre outras, refere que é bom notar que com a prática do andebol, algumas atletas já conseguem ajudar nos orçamentos familiares.

"Naquele tempo não fazíamos nada por dinheiro. Era apenas amor à camisola, mas o nosso objectivo era já que o nosso andebol ganhasse e dignificasse o país", disse.A veterana vai fazer parte de um jogo de velhas glórias previsto para sábado e pede que todos os ex-andebolistas se juntem na Cidadela para a festa da modalidade."Ainda que as pessoas não estejam em condições de jogar, que venham para conversarmos, trocar experiências, reflectirmos sobre o actual estado do nosso andebol."No âmbito dos festejos do 20 de Maio, a Federação Angolana de Andebol (Faand) realiza uma gala, no dia 30, na qual são homenageadas algumas das figuras que marcaram o percurso da modalidade.

 

Associativismo
Fortunato na direcção
do Nacional de Benguela


Manuel Fortunato venceu as eleições para um mandato de quatro anos à frente da direcção do Nacional de Benguela, após o acto eleitoral realizado terça-feira última na sede do clube. Para o cargo de 1º vice-presidente, foi eleito Énio Dias Miranda, para vice-presidente para área administrativa e finanças, Felisberto Carmelino, para os assuntos jurisdicionais, José Cardoso, para o futebol, Edivaldo Garcia e para outras modalidades, Daniel Gamba.Durante o acto foram ainda eleitos os vice-presidentes para comunicação e imagem, Leila Miranda, para assuntos sociais, Belo Xavier, para o património e obras, Afonso Ferreira.

Para o cargo de secretário-geral do clube, foi eleito António Jolima José, enquanto que para vogais, foram eleitos Fernando Ferreira, Miguel Sotto Maior, Esperança Sampaio e Fabrício Maieco "Akwá".   Entretanto, até a eleição do novo presidente, o Clube Nacional de Benguela foi dirigido por uma comissão de gestão, encabeçada por Baltazar Roque durante três meses.O acto eleitoral decorreu na sede do clube, sob coordenação de Pepe Santos, contou com uma lista única e com a participação de 59 sócios, dos quais 58 a favor e um nulo.O Clube Nacional de Benguela tem inscritos 113 sócios.