Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

Campeão mundial pede apoio

Manuel Baú, Mbanza Congo - 06 de Março, 2014

Por isso, as entidades de direito "devem mudar o actual quadro de premiação.

Fotografia: Adolfo Dumbo

Eduardo Tala Dima pediu apoio ao empresariado nacional para a revalidação do título de campeão mundial de kickboxing, na categoria de 60 kg, no campeonato a realizar-se de 10 a 12 de Maio na cidade argentina de Buenos Aires. De 22 anos de idade, Eduardo Tala Dima venceu a sua categoria
no último campeonato mundial de kickboxing realizado em Madrid, Espanha, em Dezembro de 2013.

A medalha de ouro junta-se a outras cinco, a duas taças e igual número de cinturões, resultante de 37 combates (em provas nacionais e internacionais), dos quais 35 vitórias e dois empates. Motivado pela vitória, o atleta pretende manter alta a bandeira nacional e considera o título
"um estímulo positivo" para o surgimento de novos praticantes no seio de jovens da Província do Zaire e no país em geral.

As sessões de treino decorrem “de modo satisfatório" e espera ganhar forma desportiva antes das três últimas semanas que antecedem a viagem.
O atleta, que já competiu no Canadá, Holanda, África do Sul, Espanha e Portugal, disse que a criação de uma Associação de KickBoxing na Província do Zaire vai permitir maior protagonismo à modalidade.

A instituição vai proporcionar atingir "altos patamares e proporcionar um acompanhamento mais afincado dos praticantes". A divulgação da modalidade no país é feita de "maneira tímida", pois o fraco dinamismo dos agentes desportivos contribui para que as pessoas não tenham
noções sobre o kickboxing, disse Eduardo Tala Dima. “Queremos mais informação da modalidade em todo país, bem como a realização de vários torneios que possam dar azo ao desenvolvimento do kickboxing.”

Eduardo Tala Dima nasceu na Província do Zaire e começou a praticar o kickboxing em 2006, com 14 anos de idade. Trabalha num projecto pessoal que se baseia na formação de atletas no intuito de garantir a manutenção da modalidade na província. No quadro da promoção dos desportos individuais, o campeão mundial apela às entidades de direito para prestarem mais atenção aos desportos com baixo custo, à semelhança dos
desportos colectivos.

Quanto à atribuição de prémios aos desportos olímpicos, Eduardo Tala Dima afirma que "a bandeira nacional que desfralda nos palcos
dessas competições" é a mesma dos outros palcos dos desportos não-olímpicos. Por isso, as entidades de direito "devem mudar o actual quadro de premiação.