Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

Campees no Palcio

Paulo Caculo - 10 de Novembro, 2018

Mundialistas sero recebidos esta manh no palcio presidencial pela mais alta figura da Nao angolana depois de ontem terem participado de uma actividade no CIAM sobre o Dia Internacional da Pessoa com Deficincia

Fotografia: KINDALA MANUEL|EDIES NOVEMBRO

A Selecção Nacional de futebol adaptado, campeã do mundo da categoria, disputada na cidade de Guadalajara, México, é recebida esta manhã, às 10H00, pelo Presidente da República, João Lourenço, no Palácio Presidencial, soube-se do Comité Paralímpico Angolano.
Os mundialistas serão alvos de carinho e reconhecimento por parte do Chefe de Estado, na sequência do feito inédito alcançado no campeonato do mundo, onde obteve a histórica marca de seis vitórias em sete jogos disputados.
No Palácio Presidencial, os campeões vão ser alvos  de incentivo e  agradecimentos, da mais alta personalidade do país pelo troféu conquistado, que já havia manifestado a sua gratidão pela conquista na mensagem que enviou ao grupo, em que fez questão de sublinhar que “o triunfo obtido pela Selecção Nacional de futebol com muletas valoriza o esforço desenvolvido por diferentes estruturas do Estado angolano, com vista à reinserção dos cidadãos com deficiência”.
Ontem, a selecção voltou a ser alvo de uma homenagem, na Fundação Lwini e no Banco Sol, onde recebeu palavras de felicitações. Antes disso, os pupilos de Augusto Baptista “Chieto” participaram de uma actividade no Centro de Imprensa Aníbal de Melo (CIAM), enquadrada nas celebrações do Dia Internacional da Pessoa com Deficiência.
Os campeões do mundo foram elogiados, na ocasião, pelo director geral do CIAM, António Mascarenhas, que considerou o feito como uma prova inequívoca da grande capacidade de superação dos angolanos.
A selecção foi alvo de uma recepção calorosa na passada quinta-feira, no aeroporto internacional 4 de Fevereiro, no regresso do México. Os campeões do mundo foram recebidos com euforia, por várias dezenas de pessoas, depois da conquista do título inédito.
Na parte exterior do aeroporto, os 20 membros da delegação angolana foram surpreendidos com a calorosa recepção preparada pelo Ministério da Juventude e Desportos e o Comité Paralímpico Angolano (CPA).
À saída da sala do protocolo de Estado, onde ouviram palavras de felicitações da ministra dos Desportos, Ana Paula Sacramento e do presidente do CPA, Leonel da Rocha Pinto, atletas, treinadores e membros da delegação emocionaram-se, porque não esperavam pela multidão perfilada no local, com realce para a presença de vários jovens amantes do futebol.
O cenário montado fez com que o \"capitão\" da Selecção Nacional, Hilário Kufula, derramasse algumas lágrimas de emoção, porque era a melhor forma de agradecer o carinho e o calor prestado pela população de Luanda em representação do País.
O momento mais alto da festa aconteceu no Complexo Desportivo da Cidadela, após um cortejo em carro alegórico por algumas artérias da cidade capital. A selecção foi agraciada com várias ofertas, entre as quais um cheque no valor de cinco milhões de kwanzas, entregue pela Fundação BAI, um dos patrocinadores do Comité Paralímpico.

ANA PAULA SACRAMENTO
\"Somos uma nação de batalhadores\"

A ministra da Juventude e Desportos, Ana Paula Sacramento, não conseguiu esconder, quinta-feira, na recepção aos mundialistas, a enorme satisfação e emoção ao tomar contacto com cada um dos integrantes da selecção nacional de futebol adaptado.
A governante disse estar orgulhosa do feito inédito alcançado pelos angolanos no campeonato do mundo do México. \"Somos uma nação de batalhadores. Os angolanos sabem o que querem e quando se propõe em fazer algo em prol de todos, fazem sempre muito bem\", assegurou e prosseguiu:
\"Foi a 11 de Novembro de 1975 que fizemos entoar o hino da República e hasteou-se a bandeira da República. A independência foi conquistada com a força da juventude, a bravura dos angolanos e de todos os combatentes, sob a orientação dos mais velhos. Estamos em Novembro e temos campeões\", acrescentou a governante.
Segundo ainda a ministra da Juventude e Desportos, o título conquistado é fruto do espírito de missão dos jogadores, que garante terem conseguido num momento que considera também histórico para Angola, em virtude de se estar à portas das comemorações dos 43 anos de independência.
\"Sentimo-nos orgulhoso e a nação agradece, porque conseguimos ao mais alto nível da diplomacia fazer entoar o hino e hastear a bandeira em Novembro. A Nação Angolana, como país vencedor, conseguiu ver ao nível da África e do mundo que Angola é um país com potencialidades. Estamos satisfeitos, porque hoje podemos dizer que somos campe

PRESIDENTE DO CPA
Leonel considera momento histórico

A consagração da selecção nacional de futebol adaptado no Mundial do México, marca o assinalar de um momento histórico do desporto angolano. Quem o diz é Leonel da Rocha Pinto, presidente do Comité Paralímpico Angolano (CPA).
Falando quinta-feira, na sala protocolar do aeroporto 4 de Fevereiro, à margem da proeza alcançada pela selecção nacional, o também presidente do Comité Paralímpico Africano fez questão de destacar o facto do título sorrir para Angola, numa altura em que se prepara as festividades dos 43 anos de Independência Nacional.
\"Estamos num momento histórico do nosso país, porque estamos a dois dias da proclamação do aniversário do Comité Paralímpico e a três da nossa independência. Estes bravos atletas, ontem soldados, com arma na mão para defender a nossa pátria e hoje como deficientes de guerra, muitos dos quais militares, com pé atrás de uma boa, defenderam o orgulho de uma nação\", disse Leonel da Rocha Pinto.
\"É motivo para dizer que o Comité Paralímpico tem sido o embaixador digno de Angola. Estes atletas, passaram de vice-campeões para campeões e demonstraram a determinação dos angolanos e a força de vencer dos homens, que sabem o que é a dignidade de uma nação\", acrescentou.
O presidente do Comité Paralímpico enalteceu, ainda, o papel fundamental desempenhado pelo Ministério da Juventude e Desportos e dos demais patrocinadores, em especial a Fundação BAI, para que o sonho de conquistar o campeonato do mundo de futebol com muletas fosse possível.