Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

Campeonato Nacional pedala desde ontem no Uíge

Álvaro Alexandre - 24 de Junho, 2016

Emoções do melhor ciclismo nacional está a acontecer nas terras cafeícolas do Uíge

Fotografia: José Soares

A estreia da 26ª edição do Campeonato Nacional Unificado de Ciclismo de Estrada ficou marcada ontem com protestos das equipas de Benguela. O Hotel Luso e Jair Transportes manifestaram irregularidades durante a realização da prova de contra-relógio individual que se realizou entre as localidades de Puri e Negagi, numa extensão de 25,4 quilómetros. As equipas das terras das acácias rubras justificam que a vitoria de Dário António, ciclista do Sport Luanda e Benfica, é fraudulenta por ter sido apoiado por um gesto irregular.

Em declarações ao Jornal dos Desportos, Jair Carapinha, presidente da equipa Jair Transportes, assegurou a irregularidade que deu suporte ao protesto apresentado à direcção da competição nacional.

"O carro, que apoiou o ciclista Dário António, tinha de ser obrigatoriamente acompanhado de um fiscal. Infelizmente, não aconteceu assim, violando o regulamento da competição. Para agravar a situação, o director do Benfica de Luanda ignorou o regulamento da prova, arrancou com o carro e desrespeitou a ordem do fiscal", explicou.

No colégio de comissários da corrida, os resultados não tiveram desfecho airoso, em função do protesto apresentado. Dário António, do Benfica de Luanda, terminou a prova na liderabça com 30min01s. Igor Silva, do Jair Transportes, chegou em segundo lugar com o tempo de 31min01s.Face à irregularidade da equipa de Luanda, a de Benguela reclama pela vitória. A direcção da prova viu-se "inerte" para decidir o veredicto e transferiu a decisão final no decorrer da competição nacional.  Até, desconhece-se o primeiro novo campeão.

CONTRA-RELÓGIO
ANIMA ESTRADA DO PURI

As emoções do ciclismo nacional voltam hoje, a partir das 10h00, a agitar a localidades entre Puri e Negage. A segunda etapa faz disputar a prova de contra-relógio por equipas numa extensão de 50 quilómetros.

A organização da competição nacional mobilizou nove equipas. Trata-se de Benfica de Luanda, Santos FC, Núcleo de Cazenga, ACTS, Escola Macovi, Clube Desportivo do Pombo, Hotel luso, Jair Transportes e Nocebo.

A concentração acontece defronte ao Instituto Médio Agrário de Negagi e a partida vai ser efectuada por Justiniano Araújo, director geral da prova. Cada equipa deve seleccionar quatro atletas para buscar o troféu.

Face à evolução das equipas de Benguela, o equilíbrio vai marcar a segunda etapa. O terceiro atleta a cortar a meta tem a responsabilidade de atribuir o título à equipa.