Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

Carlos Soweto mantm disponibilidade

Helder Jeremias - 05 de Dezembro, 2019

Fotografia: Edies Novembro

O ex-presidente da Associação Provincial de Motocross de Luanda, Carlos Soweto, garantiu a sua disponibilidade em apoiar qualquer direcção que venha a assumir os destinos da modalidade no próximo ciclo olímpico, cuja renovação de corpos sociais pode acontecer no primeiro semestre de 2020.
O antigo piloto e ex-campeão provincial reconhece que a modalidade atravessa um momento muito difícil, em consequência da crise económica que ainda persiste, mas apela a todos amantes do espectáculo sobre rodas a não pouparem esforços para que a situação possa ser ultrapassada a breve trecho, de formas a permitir que as novas gerações de pilotos não fiquem impedidas de mostrar o seu valor para a sociedade e, por via disso, alcançar altos patamares competitivos.
Carlos Soweto, que esteve nas vestes de presidente da APML durante tês anos, teve que abdicar do cargo devido algumas pressões por parte de uma franja de associados que se mostrava descontento com o seu desempenho no que toca a gestão, numa altura em que, segundo afirma, " as pessoas não acreditavam que as actual situação económica estava na base de algumas deficiências que se foram registando", mas considera algo ultrapassado da sua parte, já que, em sua opinião, "o mais importante é olhar para frente".
O Jornal dos Desportos apurou que os associados estão a gizar estratégias em prol da formação de uma nova direcção, depois dos destinos da modalidades terem ficado sobre alçada de uma comissão de gestão, coordenada por Osvaldo Gouveia, em substituição de Carlos Moreira, este que abdicou do cargo devido contradições relacionadas com a gestão das contas bancárias da instituição, tuteladas por personalidades que não faziam parte do quadro orgânica da comissão de gestão.
Apesar do imbróglio, o desempenho da comissão de gestão mereceu "nota positiva", em função da realização de um total de oito provas com palco na província da Huíla, Malanje e Luanda, tendo o piloto da categoria 250cc ao serviço do Team Tranchipeta, Fernas Baptista, alcançado o seu primeiro título ao nível do Provincial de Luanda, depois de ter conquistado aos dois troféus de ambas únicas edições do Campeonato Angolano de Motocross.