Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

Carrard no comité de Reforma

13 de Agosto, 2015

O Comité de Reforma integra além de François Carrard dois representantes nomeados por cada uma das seis confederações

Fotografia: DR

O suíço François Carrard foi escolhido pela FIFA para presidir ao Comité de Reforma do organismo que gere o futebol mundial e que deve apresentar as suas propostas a 26 de Fevereiro. “É vital para o futuro do futebol restaurar a integridade e reputação do seu órgão máximo. Como presidente independente comprometo-me a colocar em marcha um pacote de reformas credíveis, trabalhando com representantes do futebol e de toda a sociedade”, refere François Carrard, num comunicado divulgado pela FIFA.

Francois Carrard, de 77 anos, foi director-geral do Comité Olímpico Internacional, tendo liderado grandes reformas no movimento olímpico, nomeadamente depois do escândalo relacionado com a escolha de Salt Lake City para os Jogos de Inverno de 2002. Em comunicado, a FIFA destaca o “prestígio internacional e a experiência” de François Carrard, que também merece elogios do presidente demissionário do organismo, o também suíço Joseph "Sepp" Blatter.

“Acreditamos que Carrard é a pessoa adequada para liderar o processo de reformas como presidente independente. Tem trabalho feito em reformas de estruturas de governo”, referiu Joseph Blatter, no mesmo comunicado divulgado da FIFA. Joseph Blatter foi reeleito em Maio para um quinto mandato, mas acabou por se demitir dias depois, na sequência de um escândalo de corrupção.

Entretanto, o suíço comprometeu-se a deixar o cargo após as eleições marcadas para 26 de Fevereiro. O Comité de Reforma integra, além de François Carrard, dois representantes nomeados por cada uma das seis confederações que compõem a FIFA.O grupo de trabalho deve apresentar um plano prévio ao Comité Executivo da FIFA, que vai reunir a 24 e 25 de Setembro.

A FIFA vive "mergulhada" num escândalo de corrupção, divulgado após uma investigação do Departamento de Justiça dos Estados Unidos, segundo o qual vários dirigentes e ex-dirigentes do organismo estarão envolvidos em actos de conspiração e corrupção nos últimos 24 anos, cujos subornos podem ascender a 151 milhões de dólares (quase 140 milhões de euros). O actual presidente da UEFA, Michel Platini, e o empresário sul-coreano Chung Mong-joon, proprietário do grupo Hyundai, já manifestaram a intenção de se candidatar à presidência da FIFA.

ITÁLIA
Ex-dirigente impedido
de entrar em estádios

O ex-presidente do Catânia, Antonino Pulvirenti, acusado de viciação de resultados para evitar a despromoção do clube de futebol, foi terça-feira  proibido de participar em manifestações desportivas e de entrar em estádios durante cinco anos. A decisão foi tomada pelo chefe da Polícia de Catânia, Marcello Cardona, que aplicou o protocolo Daspo, que proíbe o acesso a manifestações desportivas.

Em conferência de imprensa, Marcello Cardona explicou que a medida tem como objectivo impedir Antonino Pulvirenti e o ex-administrador delegado Pablo Cosentino de entrarem em estádios “onde a sua presença pode representar um perigo para a ordem pública”. O responsável policial lembrou que vários adeptos do Catânia se têm manifestado publicamente contra Antonino Pulvirenti e outros antigos dirigentes do clube.

Marcello Cardona disse ainda que pretende alargar a medida a outros cinco antigos dirigentes implicados no escândalo de viciação de resultados.
O presidente do Catania foi detido a 23 de Junho com mais seis pessoas pela polícia italiana, sob acusação de ter "comprado" os resultados de  jogos da Serie B (segunda divisão) para impedir a descida de divisão da equipa.