Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

Casablanca acolhe Africano

20 de Janeiro, 2016

Seleccção Nacional júnior masculina vai ser a primeira a fazer estreia no campeonato africano na prova de contra-relógio por equipas

Fotografia: Jornal dos Desportos

A Confederação Africana de Ciclismo (CAC)  agendou a XXI edição do Campeonato Africano de Ciclismo de Estrada e de pistas de 2016, entre 15 e 26 de Fevereiro  para Casablanca. As estratégias da participação de Angola, no evento africano, vão ser definidos nas próximas reuniões semanais da direcção da Federação Angolana de Ciclismo (FACI), liderada por Diógenes de Oliveira.

A apesar da crise financeira no país, existem condições para assegurar a participação das selecções nacionais nas provas oficiais mais importante do calendário africano, segundo apurou o Jornal dos Desportos de uma fonte federativa. A FACI adoptou uma gestão rigorosa nos últimos anos que permitem a presença do país nos eventos de mérito.

Contudo, por razões técnicas e alheios à FACI, não foi possível a participação das selecções nacionais nas primeiras provas do calendário oficial da CAC, mormente, no Tour do Egipto e do Gabão “Amissa Bongo”, competições realizadas entre a última quinzena de Dezembro e a primeira quinzena de Janeiro deste ano. Os eventos deviam servir de “antecâmara” para os campeonatos africanos.

A indicação do nome do treinador do Sport Luanda e Benfica, Carlos César Araújo, para dirigir a selecção nacional, reúne consenso entre os membros da área técnica da FACI. Nos próximos dias, o técnico vai ser convidado a tomar conhecimento das condições existentes para a assumpção ou não do compromisso.

Angola é um dos países aguardados com grande expectativa, depois de ter sido colocada na rota dos interesses internacionais da modalidade. À margem da I edição da Volta a Angola, o presidente da Confederação Africana de Ciclismo e vice-presidente da União Internacional Ciclista (UCI), o egípcio Waghi Azzam, realizou a primeira visita oficial ao país e enalteceu a Federação Angolana de Ciclismo, em particular, e as autoridades angolanas, no geral.

Waghi Azzam prometeu a Angola a construção do centro de formação de juízes, comissários e treinadores de ciclismo para os Países Africanos de Língua Oficial Portuguesa. A promessa foi expressa no final de uma audiência com o ministro da Juventude e Desportos, Gonçalves Muandumba, durante a qual considerou existir em Angola condições básicas para que a pretensão seja um facto. O egípcio não avançou  datas para o arranque da formação.

"Angola vai ser o centro de formação para os outros países africanos de língua portuguesa", disse, e de seguida explicou que numa primeira fase vão ser formados especialistas, visando avanços significativos da modalidade com base sólida. Azzam referiu que se pretende desenvolver outras modalidades com bicicletas, que possam envolver as crianças e os jovens. O vice-presidente da UCI prometeu prestar, doravante, todo o apoio técnico neste sentido.

O responsável egípcio abordou com o governante angolano aspectos ligados à primeira edição da "Volta a Angola em bicicleta", uma iniciativa da Federação Angolana de Ciclismo (FACI), levada a cabo nas celebrações dos 40 anos da independência nacional assinalados a 11 de Novembro.

CALENDÁRIO
Cronos arrancam sem angolanos na pista

As provas de qualificação dos contra-relógios por-equipas, também designadas de cronos, nas categorias juniores e seniores, em masculino e feminino, abrem os campeonatos africanos de Ciclismo de Casablanca entre 15 e 19 de Fevereiro. As provas de pista iniciam com "perseguições individuais", a partir das 9h00 locais no primeiro dia.

À tarde, realizam-se as primeiras finais de cronos masculinos. As finais de cronos femininos realizam-se no dia seguinte a dos masculinos.
As provas de pista coberta, no velódromo marroquino, não vão contar com presenças de ciclistas angolanos. A especialidade não é praticada no país por falta de infra-estruturas.

Os ciclistas angolanos podem estrear-se apenas nos "africanos"  a 21 de Fevereiro com a disputa de contra-relógios por equipas em juniores masculinos, na distância de 31 quilómetros. No dia seguinte, participam do crono colectivo de elites (seniores) de 68 quilómetros. A participação da classe feminina angolana está posta de parte por se encontrar em fase embrionária.

No dia 23 de Fevereiro, realizam-se os contra-relógios individuais em juniores masculinos na distância de 31 quilómetros. No dia seguinte, os seniores entram em acção com a prova de 45,2 quilómetros. No dia 25, o calendário reserva uma prova em linha de 120 quilómetros para juniores. No dia seguinte, os seniores percorrem 180 quilómetros e fecham o quadro de competições.
 
QUOTA DE PARTICIPANTES
Podem participar ou ser inscritos no Campeonato Africano de Ciclismo de Casablanca, para a especialidade de estrada, seis ciclistas juniores (17 e 18 anos), nascidos entre 1998 e 1999, dos quais quatro são efectivos. Nas provas de elite (seniores ou sub-23), cada nação pode inscrever dez ciclistas, dos quais oito efectivos.Nas provas de contra-relógios por-equipa são inscritos cada corredor por nação e nos “cronos” individuais são admitidos apenas dois corredores.

O vencedor de cada categoria é-lhe atribuído o título de campeão continental e recompensado com a camisola e a medalha de ouro. Se um corredor com menos de 23 anos for o vencedor da classificação geral é-lhe atribuído o título nas duas categorias. O regulamento aplica-se para o apuramento do segundo e terceiro classificados.Sk

Caleb Ewan vence
no Tour Down Under


O ciclista australiano, Caleb Ewan (Orica-GreenEdge), venceu ontem a primeira etapa do Tour Down Under, primeira prova do WorldTour, com os portugueses Nelson Oliveira (Movistar) e Tiago Machado (Katusha) a terminarem no pelotão. O jovem australiano, de 21 anos, já tinha vencido o circuito de Adelaide, no domingo, prova que serve de apresentação para o Tour Down Under, e foi hoje o mais rápido no final dos 130,8 quilómetros, que ligaram Prospect e Lyndoch, Austrália.

Caleb Ewan gastou 3:24.13 horas para cumprir o percurso, corrido sob temperaturas a rondar os 40 graus, bateu o australiano Mark Renshaw (Qhubeka) e holandês Wouter Wippert (Cannondale), tem agora quatro segundos de avanço sobre o compatriota e sobre o francês Alexis Gougeard (AG2R).

Na prova que marca a estreia com a camisola da Movistar, Nelson Oliveira foi 60.º, com o mesmo tempo do vencedor, tal como Tiago Machado (Katusha), que foi o 71.º a cortar a meta. Hoje, os corredores vão ligar Adelaide a Stirling, num circuito de 132 quilómetros.

Caleb Ewan vence
no Tour Down Under

O ciclista australiano, Caleb Ewan (Orica-GreenEdge), venceu ontem a primeira etapa do Tour Down Under, primeira prova do WorldTour, com os portugueses Nelson Oliveira (Movistar) e Tiago Machado (Katusha) a terminarem no pelotão. O jovem australiano, de 21 anos, já tinha vencido o circuito de Adelaide, no domingo, prova que serve de apresentação para o Tour Down Under, e foi hoje o mais rápido no final dos 130,8 quilómetros, que ligaram Prospect e Lyndoch, Austrália.

Caleb Ewan gastou 3:24.13 horas para cumprir o percurso, corrido sob temperaturas a rondar os 40 graus, bateu o australiano Mark Renshaw (Qhubeka) e holandês Wouter Wippert (Cannondale), tem agora quatro segundos de avanço sobre o compatriota e sobre o francês Alexis Gougeard (AG2R).

Na prova que marca a estreia com a camisola da Movistar, Nelson Oliveira foi 60.º, com o mesmo tempo do vencedor, tal como Tiago Machado (Katusha), que foi o 71.º a cortar a meta. Hoje, os corredores vão ligar Adelaide a Stirling, num circuito de 132 quilómetros.