Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

Cazaquistão aperta combate ao doping

25 de Outubro, 2014

Cazaquistão aperta combate ao doping

Fotografia: AFP

Os dois organismos emitiram um comunicado conjunto, no qual declaram a intenção de dar “um passo de gigante” no combate ao doping, com  destaque para a aplicação de um programa rigoroso de controlo dos passaportes biológicos.

“Pretendemos ter em 2015, o sistema antidoping mais avançado do mundo, um laboratório equipado com as tecnologias mais recentes e contar com o apoio dos maiores especialistas internacionais”, indicou o presidente federativo, o antigo ciclista Dmitriy Muravyev.

A Astana, equipa do italiano Vincenzo Nibali, foi confrontada com os controlos positivos dos irmãos Maxim e Valentin Ingliskiy, ambos por EPO,  já este mês com uma análise anormal de Ilya Davidenok, por esteroides, o que levou a União Ciclista Internacional (UCI) a solicitar à Comissão de Licenças uma análise profunda às políticas de gestão e antidopagem da equipa.

A formação cazaque, cujo director desportivo é Alexander Vinokourov, campeão olímpico em título e antigo ciclista com um passado polémico relacionado com doping, aguarda a renovação da sua licença WorldTour.


Tour'2015 desenhado
para os trepadores

O mítico Alpe D´Huez regressa ao percurso da prova e assume um papel que pode ser decisivo, com a subida a fazer-se na 20ª e penúltima etapa, um dia antes da consagração do vencedor nos Campos Elísios, em Paris. Depois da desgastante etapa, a caravana vai ser transferida por avião para os arredores da capital gaulesa.

À semelhança do que ocorreu em 2009 (Mont Ventoux) e 2013 (Semnoz), a montanha volta a surgir na derradeira fase da prova, em 2015 tem arranque marcado para Utrecht, na Holanda, a 4 de Julho, e chega a Paris a 26 de Julho.

A 102ª edição da “Grande Boucle”, vai contar com sete etapas de montanha, vai marcar ainda mais a perda de importância dos contra-relógios e vai entrar para a história como a que apresenta menor número de quilómetros desde que a especialidade foi introduzida, em 1947.

O pelotão do Tour2015 vai disputar um total de 42 quilómetros em contra-relógio, 14 individualmente na primeira etapa, com partida e chegada a Utrecht, e 28 por equipas, na nona etapa, que vai ligar Vannes a Plumelec.

Apesar de os regulamentos preverem que o contra-relógio por equipas tenha lugar no primeiro terço da prova, a organização pediu à União Ciclista Internacional que se disputasse oito dias depois do início da corrida, sob alegação de que os 28 quilómetros da etapa não vão colocar muitos problemas, mesmo às equipas que possam estar desfalcadas por abandonos e lesões.