Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

Chefe da candidatura revela frustrao

25 de Fevereiro, 2017

Capital da Hungria viu dissipar o sonho de albergar os jogos

Fotografia: AFP

A cidade de Budapeste, ainda chora a desistência, na corrida para albergar os Jogos Olímpicos de 2024, quando competia com Paris e Los Angeles para ser a sede do maior evento olímpico naquele  ano.

O presidente do comité de candidatura de Budapeste para a organização dos Jogos Olímpicos de 2024 lamentou na quinta -feira, que a capital húngara se tenha retirado da corrida, na sequência de um referendo impulsionado por um grupo de cidadãos.

“Desistimos em cima da linha da meta. Estávamos tão próximos, não posso deixar de sentir-me frustrado”, comentou Balázs Fürjes, em declarações à agência de notícias húngara MTI.

A cidade de Budapeste anunciou na quarta-feira, ter retirado a candidatura para a organização dos Jogos Olímpicos de 2024, deixou a ‘corrida’ entregue para as cidades de Paris e de Los Angeles (Estados Unidos).

A candidatura húngara sofreu um forte revés, quando um grupo de jovens activistas recolheu mais de 250 mil assinaturas, para a realização de um referendo sobre a iniciativa, um número de assinaturas muito superior ao exigido.

O ‘momentum’, um movimento não partidário, que se manifestou contra a candidatura, invoca entre outros motivos, os elevados custos do projecto e os riscos de corrupção inerentes.

Em 17 de Fevereiro, Istvan Tarlos admitiu retirar a candidatura aos Jogos Olímpicos de 2024, caso viesse a existir um referendo em relação a essa matéria.

A decisão de retirar a candidatura foi tomada na quarta-feira, depois de uma reunião entre Istvan Tarlos, presidente da câmara e membro do partido conservador no poder, e o primeiro -ministro, Viktor Orbán.

O Comité Olímpico Internacional (COI) disse, entretanto, esperar uma “informação oficial” sobre a retirada da candidatura de Budapeste – “Obviamente, esperamos ser informados oficialmente pelo comité nacional, que é a única entidade que pode retirar a candidatura”, disse Mark Adams, porta-voz do organismo.

O COI vai revelar a 13 de Setembro a cidade escolhida para organizar os Jogos Olímpicos de 2024. A candidata húngara era uma alternativa aos mais fortes, tal como foi dito no lançamento da campanha, no ano passado.

\"Somos uma candidatura alternativa, uma candidatura de média dimensão que pode enviar a mensagem de que os Jogos Olímpicos não são apenas para as grandes cidades, mas também para cidades médias”, disse na altura, o presidente do comité de candidatura, diante dos participantes da Assembleia Geral dos comités olímpicos nacionais, que decorreu em Doha (Qatar).

Balasz Furjes considerou que Budapeste era “a cidade certa, no momento certo”, precisou que foram investidos 55 mil milhões de euros, nos últimos anos, em infra-estruturas na capital húngara.


FÓRMULA 1
Hamilton feliz com a nova Mercedes


A nova temporada do \"grande circo\" está à porta com equipas e pilotos a ultimarem os preparativos para os respectivos mundiais, cujo arranque está previsto para a Austrália com a disputa do Grande Prémio no circuito de Melbourne

Com os olhos focados na conquista de mais  um título mundial, após perder a luta com o então colega Nico Robserg, o piloto britânico Lewis Hamilton testou quinta-feira o novo monolugar da Mercedes, para a temporada de 2017, e descreveu-o como \"a mais detalhada peça de maquinaria\" que alguma vez viu na Fórmula 1.

O tricampeão mundial disse que viu o carro pela primeira vez na quarta-feira e garantiu que \"foi incrível conduzi-lo\".

O esquema de cores do novo Mercedes é semelhante ao das versões anteriores, mas o carro é consideravelmente mais baixo, largo e pesado, características que reflectem a revisão radical das regras técnicas da modalidade que foi feita durante o defeso.

\"As novas regras de 2017 foram pensadas para conseguir tornar os carros da Fórmula 1 nos mais rápidos de sempre, ao melhorar a sua performance aerodinâmica\", disse o director executivo da marca germânica, Toto Wolff.

O objectivo é que os carros proporcionem uma condução \"mais física e mais espectacular para os fãs assistirem\", acrescentou Wolff.

A Mercedes tem dominado a Fórmula 1 desde 2014, tendo conquistado sucessivamente o mundial de piloto, os dois primeiros por Hamilton e o de 2016 pelo alemão Nico Rosberg, e de construtores.

Antes da nova temporada começar, a 26 de Março com o Grande Prémio da Austrália, Hamilton vai voltar a conduzir o novo monolugar em Barcelona, em dois testes de pré-época.


ATLETISMO
IAAF autoriza três russos a competir


Três atletas da Rússia, entre os quais a saltadora a vara,  Anzhelika Sidorova, campeã da Europa em 2014, foram autorizados a competir a nível internacional, de imediato pela IAAF, apesar de continuar a suspensão aplicada ao país. A Associação Internacional das Federações de Atletismo mantém suspenso o atletismo russo há 15 meses, por dopagem institucionalizada, mas começou a analisar pedidos apresentados individualmente por atletas, dá agora luz verde a três e afasta outros seis.

Sidorova, de 25 anos, é o único nome sonante aprovado, já que além do título que alcançou, apresenta-se como a segunda melhor do ano, a vara, em vésperas do Europeu de Belgrado, onde já pode competir sob bandeira neutra. Os outros dois atletas são a velocista de 19 anos, Kristina Sivkova, sem palmarés, e o lançador do martelo de 31 anos, Aleksei Sokirskii, quarto nos Jogos Olímpicos de Londres2012 a competir pela Ucrânia, mas entretanto tornado russo com a anexação da Crimeia, onde vive.