Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

Chuvas forçam adiamento da jornada

H?lder Jeremias - 01 de Maio, 2017

Campeonato Nacional de Fosso Olímpico

Fotografia: Jornal dos Desportos! Edições Novembro

A quarta jornada do Campeonato Nacional de Fosso Olímpico, prevista para sábado e domingo, no campo do Clube de Tiro Caça e Pescas de Benguela, foi adiada para os dias 13 e 14 do presente mês, em virtude das fortes chuvas que se abateram na província de Benguela, nas últimas semanas de Abril.

De acordo com uma nota enviada ao Jornal dos Desportos,  pela Federação Angolana de Tiro, a direcção do clube anfitrião criou todas as condições administrativas para acolher o certame nas datas previstas, mas o excesso de água nas principais vias que ligam ao local em que está situado o complexo desportivo, está na base da decisão de adiar a empreitada para a semana seguinte.

"O clube de Tiro solicitou o adiamento, e a Federação, ouvindo o seu Conselho Técnico, anucoiu quanto à transferência da prova de Maio, devido às fortes chuvas que assolaram a província, e  que muito prejudicaram as condições existentes no campo", lê-se na nota assinada pelo secretário-geral da Federação, Humberto Jorge.

Alusivo ao aniversário da agremiação benguelense, o certame está a ser projectado com grande perspicácia, por parte das equipas, Interclube, 1º de Agosto, Força Aérea Nacional, Socolil, Clube de Tiro e Caça do Lubango e atiradores individuais, em busca de um  posicionamento mais confortável ao nível da tabela classificativa.

Atiradores como Paulo Guga, Hírio Baião e Tiago Silva encaram o adiamento como uma oportunidade para retemperar energias, depois do regresso  na quinta-feira, do Egipto, onde conquistaram a medalha de bronze no torneio de fosso olímpico do Campeonato Africano de Tiro Desportivo, que a cidade do Cairo acolhe de 19 de Abril a 3 de Maio.

O vice-presidente da Federação Angolana de Tiro, Adelino Chaves "Pigui" mostrou-se solidário com a direcção do Clube de Tiro Caça e Pescas de Benguela, concordou que "as provas devem ser organizadas em condições favoráveis, para que nenhuma das equipas se sintam condicionadas por factores de ordem técnica ou administrativa, mas acrescenta que "tudo deve ser feito para que o certame não sofra outra alteração, sob pena de causar transtornos à calendarização".

O responsável informou que a Federação e a Força Aérea Nacional continuam empenhados na garantia de transporte para os atiradores residentes na capital do país, e outras regiões, em que as aeronaves militares fazem escala regular, tal como é norma em vésperas das competições nas distintas províncias.

"Acredito, que solicitação do clube de Tiro, Caça e Pescas de Benguela tem motivos de força maior, tanto mais que se trata de apenas uma semana de atraso, o que não implica grandes transtornos no nosso programa. As equipas devem aproveitar os dias que antecedem a competição, para aprimorar os níveis de precisão, ao passo que a Federação continua a manter sintonia com a organização no sentido de prover as condições técnicas e administrativas", asseverou Adelino Chaves "Pigui".