Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

Cidade de Sequele est sem espaos para o desporto

Jessuares Francisco - 11 de Maio, 2019

Centralidade, o Sequele no tem campo para a prtica do desporto

Fotografia: Edies Novembro

A Centralidade do Sequele, pertencente ao Distrito Urbano do mesmo nome, no município de Cacuaco, vive um dilema complicado devido à falta de espaços com dimensões oficiais, para a prática desportiva, facto que obriga as autoridades administrativas locais a recorrerem aos campos escolares, quando há necessidade.

A explicação foi dada pelo director da Acção Social, Cultura e Desporto daquela urbe, Paulo Inácio, em curta entrevista que concedeu, recentemente, ao Jornal dos Desportos.

“Olha, contrastando com o que é o estatuto dessa Centralidade, o Sequele não tem campo para a prática do desporto, em especial a modalidade de futebol, porque aquando da sua construção, não foram projectados espaços para o efeito. Contudo, existe um campo que normalmente utilizamos, que pertence à uma escola, à qual temos recorrido em função das boas relações que existem entre nós e a direcção daquela instituição escolar”, disse Paulo Inácio.

Indagado sobre que passos são dados pelas autoridades administrativas locais, no sentido de se inverter este quadro, o dirigente que atende pela Acção, Cultura e Desporto do Sequele explicou, que têm-se limitado na elaboração de relatórios para a solicitação de terrenos para o efeito.

“Temos contactado a Administração Municipal e o GTI, empresa responsável pela gestão de espaços, no sentido de que nos concedam espaços, de entre os terrenos baldios existentes aqui a nível do Sequele, porque a situação impõem certa urgência. Existem garantias e estamos a aguardar, para ver se nos próximos tempos, nos façam alguns campos de futebol e algumas quadras multiusos na Centralidade”, respondeu.

Segundo Paulo Inácio, a situação é muito mais complicada ainda, a nível dos bairros que circundam a cidade, porque todos os espaços antes reservados a este tipo de infra-estruturas, foram invadidos e utilizados para construção de casas.

“As pessoas só pensam em construir e acabam por ocupar as parcelas de terra, que podiam servir para criar campos de futebol e outros meios de lazer para os munícipes. Nesta cidade há muitos bons talentos, em termos das modalidades de futebol, de basquetebol e nas outras práticas desportivas. Mas o nosso grande dilema é mesmo este,  da falta de campos e espaços para a prática”, elucidou.

Dirigente avança, que a Centralidade em causa precisa desses espaços, em função da elevada demanda de praticantes de desporto, que se assiste naquela urbe.

“Precisamos de campos para a prática das modalidades de futebol, basquetebol, atletismo, quadras para a prática de judo, e até de ginástica, visto que esta é uma modalidade que também tem boa aderência aqui no Sequele”, deu a conhecer.                

ANIVERSÁRIO
Agenda desportiva  preenche actividades

Um leque de actividades desportivas preenche a agenda das autoridades administrativas da cidade do Sequele, em alusão ao sexto aniversário do surgimento da Centralidade, que se comemora no dia 12 de Agosto do corrente ano, conforme explanou  Paulo Inácio, ao Jornal dos Desportos.

“Tendo em vista o dia 12  de Agosto,  data  em que a Centralidade do Sequele completa mais um ano de existência,  temos em agenda um leque de actividades desportivas, com apoio de algumas  Associações provinciais, no sentido de motivar os praticantes aqui residentes e não só. Ainda este ano de 2019, já recebemos uma solicitação para ser criada a pista de motocrosse, dentro do Sequele”, revelou.

Apesar dos constrangimentos actuais que aquela urbe distrital vive, no que tange às infra-estruturas desportivas, o dirigente acredita que a Administração pode receber muitas surpresas boas, para a diversão dos moradores.Criada no âmbito do programa de descongestionamento populacional da cidade de Luanda, do Governo Central, a Centralidade do Sequele foi inaugurada em 2014, tal como a sua similar do Kilamba.