Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

Circuito tem medidas de segurana

Gaudncio Hamelay, no Lubango - 07 de Setembro, 2019

 O vice-presidente para o Motociclismo e Karting da Federação Angolana dos Desporto Motorizado, Augusto Diogo, informou que desde a independência, a prova dos 200 km da Huíla em automóveis e motos registou um incidente que resultou na perca de vidas humanas e causou vários feridos.
 Sem revelar o número de vítimas causadas nesse incidente ocorrido em 2006 provocado por um despiste de uma viatura de marca Porsche Carreira 3.800 na altura conduzido pelo piloto José Gomes mas conhecido por Gouveia, de Luanda, o dirigente federativo explicou que de lá para cá nunca mais houve pois a organização do evento tem trabalhado com cautela no quesito segurança. “E temos um circuito com um nível de segurança bom devido as medidas adotadas pela organização”, assegurou.
Em motos EVO600 centímetros cúbicos, acrescentou Augusto Diogo, “só tivemos a vítima de um piloto que despistou em 2013 tendo embatido numa árvore ao fazer uma curva”.
 Augusto Diogo apontou que a organização dos 200 km da Huíla em automobilismo e motociclismo edição 2019 disputado domingo passado, teve um balanço positivo apesar de alguns pequenos acidentes e incidentes ocorridos na pista sem gravidade, o que considerou “normal para o desporto motorizado” e felicitou o trabalho desenvolvido pelo Instituto de Emergências Médicas da Huíla (INEMA) liderado pelo Dr. Paulo Luvangamo que souberam dar a pronta intervenção.
  “Temos que dar parabéns ao nosso INEMA que hoje mais do que nunca provou que está em condições de estar em qualquer circuito para atender anomalias que acontecerem e fazer cobertura médica a esses eventos. De resto, a competição aconteceu da melhor maneira possível”, enalteceu.
 Independemente da crise e dificuldades, considerou Augusto Diogo, “podemos avaliar que este ano os 200 km da Huíla foram bem melhor comparativamente as edições anteriores principalmente em termos de despique entre pilotos. Os concorrentes manifestam-se já preocupados em melhorar as suas máquinas”.
 Citou que a Huíla “infelizmente está com a falta de apoios para os seus concorrentes. Por isso, acrescentou, “olha andamos bem e noutros casos mal nestas provas pontuáveis para o campeonato angolano de velocidade”.
Augusto Diogo reconheceu existir grandes pilotos na província da Huíla, mas precisam apenas de alguns apoios e acredita que doravante possam surgir esses incentivos. No tocante ao circuito citadino de Nossa Senhora do Monte, o vice-presidente para o Motociclismo e Karting da Federação Angolana dos Desporto Motorizado informou que o mesmo não precisa de muitas melhorias.
 “Nós estamos em condições e temos feito de facto, o melhor que podemos. Por isso é que infelizmente desde a independência tivemos um incidente na qual se perdeu vidas. De resto nunca mais houve porque temos trabalhado no quesito segurança”, assegurou.       

Automobilismo
Pilotos do Cunene competem nos 200 kms da Huíla em 2020 


A edição de 2020 da tradicional prova dos 200 km da Huíla em automobilismo e motociclismo, vai poder contar com pilotos a representar a província do Cunene, garantiu no Lubango, o governador provincial daquela circunscrição, Vigílio Tyova.
 “O próximo ano, vamos promover que haja um piloto nas motos tanto nas viaturas a representar a província do Cunene”, assegurou o governante.
 O governador provincial do Cunene que assistiu as tradicionais corridas dos 200 km da Huíla em automobilismo e motociclismo inseridas nas Festas de Nª Sr.ª do Monte que decorrem anualmente no mês de Agosto, disse que este ano, já realizaram provas em karting e em motorizadas em duas classes naquela província.
Por isso, prometeu, continuar a organizar este tipo de eventos em karting e motorizadas o próximo ano, mas provas em automobilismo, ainda não por inexistência de pista para o efeito. “E, isso ainda não é prioridade para a província do Cunene. Temos problemas ainda muito sérios que precisamos resolver para podermos passar por questões mais de lazer”, salientou.  
O governador da provincial da Huíla, Luís Manuel da Fonseca Nunes, que considerou ter sido das melhores festas realizadas até aqui na província, prometeu tudo fazer para que as corridas sejam melhoradas a cada ano.
  “Para mim, foram das melhores festas realizadas até hoje na província da Huíla. Mas tudo faremos para que as coisas sejam melhor todos os anos. Ainda bem que tudo correu bem. Queremos que o público goste e que as corridas corram sem incidentes”, destacou.
 Luís Manuel da Fonseca Nunes afirmou que independentemente do desporto motorizado precisar investir em mais carros, acredita que a organização dos 200 km da Huíla está a melhorar de ano para ano. “Nos próximos anos se depender de nós, tudo faremos para melhorar”, garantiu.
Para o governador do Namíbe, Carlos Cruz a província que dirige já é uma tradição no desporto motorizado. “Tivemos aqui concorrentes e viemos assistir o evento para dar primeiro o apoio emocional, moral e solidário aos nossos corredores do Namíbe, bem como solidarizarmo-nos com os demais”, frisou.
Apontou que a região sul especificamente nas cidades do Lubango e de Moçâmedes há tradição do desporto motorizado particularmente quando se comemoraram as Festas do Mar e de Nossa Senhora do Monte “estamos sempre presente. Por isso, há desporto neste sentido”, ressaltou Carlos Cruz.