Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

Clássico favorece o Petro

Melo Clemente - 05 de Março, 2017

Extremo poste Leonel Paulo liderou as acções ofensivas dos Petrolíferos da capital

Fotografia: João Gomes

Com 22 pontos do internacional angolano, Leonel Paulo, poste, e 17 do extremo poste, Regge Moor, o Atlético Petróleos de Luanda recebeu e venceu ontem, no Pavilhão Principal da Cidadela, o arqui-rival, 1º de Agosto, por 93-90, na partida de maior cartaz da segunda jornada do Grupo A da 39ª edição do Campeonato Nacional de basquetebol em seniores masculino, vulgo BIC Basket.

Com este triunfo sobre o arqui-rival, os Petrolíferos da capital a par do Recreativo do Libolo confirmaram a dupla vitória no final de semana. O Petro havia batido na véspera a Marinha, por 91-85.

Longe dos velhos clássicos, onde a emoção era vivida do primeiro ao último minuto, ontem, petrolíferos e militares proporcionaram um espetáculo razoável, para o desalento do público que acorreu em massa ao Pavilhão Principal da Cidadela Desportiva, principalmente no quarto inicial.

Depois ter vencido na véspera a formação do Grupo Desportivo Interclube, por escasso um ponto de diferença (89-88), na ronda inaugural do Grupo A, a equipa rubro e negra entrou melhor na partida, ao contrário do seu opositor, que se mostrou algo apática, fundamentalmente, nos primeiros cinco minutos do quarto inicial.

Coube ao jovem Mutu Fonseca inaugurar a marcha do marcador com um afundanço, depois de uma assistência primorosa do internacional angolano, Islando Manuel.

As duas equipas melhoram significativamente o seu jogo ofensivo, a entrada do minuto seis, tendo se registado uma igualdade a 20 pontos.

Contra todas as expetativas, os petrolíferos da capital melhoram significativamente a sua defesa no segundo período, e passaram a ser mais acertivos nos lançamento a longa distância, com Regge Moore e Pedro Bastos a serem os principais protagonistas.

A equipa petrolífera que disputou a fase regular da 39ª edição do Campeonato Nacional de basquetebol em senhores masculino, vulgo BIC Basket, apenas com a prata da casa, consegui um parcial de 27-22, o que perfez 47-42, ao cabo dos primeiros 24 minutos.

Nesta etapa, Ricardo Casas, técnico principal da formação militar, discutia sistematicamente as decisões da dupla de arbitragem constituída por António Bernardo e Francisco Tandu, ambos de categoria internacional, mesmo em situações em que os juízes faziam de forma correcta.

Leonel Paulo, Regge Moore e Edmir Lucas, estavam entre os mais destacados por banda da equipa tricolor, com 12, 11 e 10 pontos respectivamente.

Já do lado militar, o inevitável Emanuel Queza liderava as acções, a par do experiente base, Armando Costa, tendo terminado os 24 minutos, com 11 e nove pontos respectivamente.

Com as duas claques a puxarem pelas respectivas equipas no terceiro período, a qualidade de jogo melhor substancialmente para as duas agremiações, que privilegiavam as penetrações, do que os lançamentos a longa distância.

Nesta etapa, o Clube Central das Forças Armadas Angolanas conseguiu um parcial de 28-20, fixando o resultado em 67-70, a favor da equipa visitante.

Tal como no segundo quarto, a equipa tricolor voltou a dominar o quarto derradeiro, conseguindo um parcial de 26-20, fixando a marcha do marcador por 93-90.

O Petro conseguiu 43 ressaltos, contra 36 da equipa visitante. Leonel Paulo e Regge Moore foram os melhores ressaltadores, ambos com dez ressaltos cada. Felizardo Ambrosio consegui oito ressaltos.

A dupla de arbitragem, constutuída por António Bernardo e Francisco Tandu, estiveram em bom plano.

Ainda ontem, para o Grupo A, o Recreativo do Libolo vergou a Marinha de Guerra, por 81-67, ao passo que o Progresso Associação do Sambizanga surpreendeu o Interclube, ao derrotá-lo, por 65-71.

Já para o Grupo B, a formação do Universidade Lusíada que folgou por imperativo de calendário na ronda inaugural, derrotou o Futebol Clube Vila Clotilde, por 62-69.


FICHA TÉCNICA


Pavilhão da Cidadela
Comissário:
Tony Sofrimento
Arbitragem: ANTÓNIO Bernardo e Francisco Tandu
Petro: Childe Dundao (0 ), Edmir Lucas ( 16), Pedro Bastos ( 9), Zola Paulo ( 2), Josué Edindo (0), Leonel Paulo (22), Domingos Bonifácio ( 14), Abou-bakar Gakou ( 0), Hermenegildo Mbunga ( 3), Joaquim Pedro ( 3), Gerson Gonçalves ( 7), Regge Moore (17 ).
Treinador: Lazare Adingono

1 de Agosto:
Armando Costa (9), Bráulio Mirais (3), Johne Pedro (0), Wlademir Ricardino (4), Felizardo Ambrosio (16), Joaquim Gomes Kikas (0), Mutu Fonseca (4), Emanuel Quezada (21), Tarcio Domingos (1), Hermenegildo Santos (16), Islando Manuel (12), Mohamed Malick Cisse (4).
Treinador: Ricard Casas
Marcha do marcador: 20-20, 47-42, 67-70, 93-90.


Reacção
Direcção do Interclube contesta arbitragem


O vice-presidente para o basquetebol do Interclube, Miguel António “Camulogi”, afirmou na sexta-feira, que o trabalho da arbitragem teve influência na derrota da sua equipa, frente ao 1º de Agosto, por 88-89.

Em declarações à imprensa, no final do jogo da primeira jornada da fase de Grupo (A) disputado no Pavilhão Victorino Cunha, disse que a dupla de árbitros constituída por Osvaldo Neto e António Cachiala, foi tendenciosa no ajuizamento dos lances.

De acordo com o responsável, o jogo estava ganho a favor da sua equipa, nos últimos segundo da partida (88-87), mas o árbitro Osvaldo Neto apitou uma falta a favor do adversário, que beneficiou de dois lances livres que deram vantagem ao 1º de Agosto.

Miguel António “Camulogi” frisou, que a direcção do clube vai escrever para conselho nacional de arbitragem, a manifestar o descontentamento pelo comportamento de certos juízes.

Entretanto, o extremo base, Egido Ventura, foi a principal figura da formação orientada pelo professor Alberto Babo que já orientou o Atlético Petróleos de Luanda.

O jovem jogador esteve irrepreensível, fundamentalmente, nos lançamentos a longa distância, onde era bem acompanhado pelo Fidel Cabita.