Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

Clube de Ténis interdita treinadores devedores

Helder Jeremias - 29 de Junho, 2016

Empresas vão pagar para utilizar as quadras

Fotografia: M. Machangongo

A direcção do Clube de Ténis de Luanda interditou os treinadores particulares a utilizar as suas quadras por desrespeitarem os acordos firmados com a instituição. A violação do regulamento e o não pagamento regular dos emolumentos estão na base da decisão.

Em comunicado tornado público ontem e assinado por Hélio José, director executivo, o Clube de Ténis de Luanda justifica que as receitas arrecadadas com os emolumentos visam a manutenção das infra-estruturas. Por outro lado, tem notado a existência de um leque de treinadores com conduta que se esbarram com princípios emanados do regulamento interno. A má conduta causa danos à organização interna e atrapalha os trabalhos administrativos da instituição.

Nesta conformidade, os incumpridores ficam banidos do acesso às quadras até que regularizarem o vínculo contratual. Os treinadores respeitosos dos preceitos estampados nos estatutos do Clube de Ténis de Luanda estão autorizados a realizar os seus trabalhos.

O Jornal dos Desportos apurou junto da direcção que o CTL leva a cabo o saneamento administrativo e financeiro no sentido de salvaguardar o auto-sustento, a garantia fundamental para o funcionamento cabal. Nesta altura da conjuntura económica do país exige-se a tomada de medidas profiláticas.

Doravante, o Clube de Ténis de Luanda passa a cobrar taxas simbólicas às entidades que queiram realizar torneios nas instalações, no âmbito dos respectivos programas de massificação. A justificação é que, além de implicarem a alteração dos programas da instituição, causam desgastes
ao material.

O director executivo, Hélio José "Dedé", informou que o clube está a trabalhar em harmonia com o Ministério da Juventude e Desportos no sentido de conferir à instituição as condições condignas para acolher eventos internacionais. Está em curso a manutenção com vista a acolher os Jogos da SADC a decorrerem no próximo mês de Dezembro.

O sistema de iluminação, a reparação do piso sintético, a pintura, jardinagem e melhoria das zonas de serviço fazem parte de algumas tarefas levadas a cabo graças à intervenção do Minjud, de acordo com Hélio José "Dedé".

PROGRAMAÇÃO
Letargia ofusca
Erikson Morais

O campeão provincial de ténis de Luanda, na categoria Sub-17, Eduardo Morais "Erikson", está preocupado pelo grande período de defeso que as competições provinciais e nacionais estão a observar por falta de calendarização das instituições reitoras.

Depois de conquistar o título provincial de Luanda e sagrar-se vice campeão nacional de Sub-18, Eduardo Morais "Erikson" integrou a equipa da Federação Internacional de Ténis que participou do Campeonato Africano de cadetes em Março último, na África do Sul. Desde então, se viu-se privado de dar seguimento à preparação por falta de uma equipa de suporte e da letargia dos instituições.

Perante a situação, Erikson Morais colmata a lacuna com a realização de partidas particulares com veteranos e amadores. Os adversários de ocasião aproveitam a sua técnica para ganharem alguma rodagem e manutenção física em busca de melhor condição de saúde. Os convites para jogar nem sempre merecem o respaldo. O horário escolar de Erickson nem sempre permitem aceder a todos os convites.

Considerado como um dos mais jovens promissores do ténis nacional e dotado de técnica invejável, Eduardo Morais tem sido desperdício devido à falta de iniciativas consentâneas de quem de direito.

A precária preparação a que tem sido sujeito em vésperas das competições internacionais redundam em pálidas prestações. Sem o apoio da antiga equipa, Proctetor, o atleta tem merecido a solidariedade dos admiradores.