Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

Clube militar apresenta infra-estrutura

Hélder Jeremias - 02 de Agosto, 2013

Jean Jacques da Conceição presenciou a inauguração do pavilhão com o seu nome pelo ministério Gonçalves Muandumba

Fotografia: Paulo Mulaza

O professor Victorino Cunha e o antigo atleta Jean Jaques da Conceição ficaram eternizados no clube 1º de Agosto, com a inauguração dos pavilhões com os seus nomes, ontem de manhã, nas instalações do Rio Seco.

O general Sachipengo Nunda descerrou a placa do pavilhão Victorino Cunha e coube a Jean Jacques a inauguração do pavilhão com o seu nome. Acompanhado pelo general do Exército França Ndalo, do Chefe do Estado Maior do Exército, general Geraldo Sachipengo Nunda, e do presidente do clube anfitrião, Carlos Hendrick, entre altas personalidades, Gonçalves Mundumba presenciou ao descerrar de ambas as placas.

Tanto Victorino Cunha como Jean Jacques da Conceição agradeceram à direcção do 1º de Agosto pelo reconhecimento do seu contributo à modalidade.
O titular da pasta ministerial disse à imprensa, momentos depois do descerrar das placas de ambos os pavilhões, localizados no Rio Seco, que a grandeza granjeada pelo clube espelha o esforço de um colectivo que tem sabido esgrimir com sabedoria projectos enquadrados nas orientações emanadas pelas instâncias superiores.

O ministro reconhece as dificuldades que o clube teve de enfrentar para concretizar os programas, face à escassez dos recursos, mas sublinhou a capacidade organizativa, como o preceito para que as demais agremiações desportivas proporcionem melhores condições de trabalho aos atletas nacionais, sendo as infra-estruturas a base para o sucesso do desporto em qualquer sociedade.

Gançalves Muandunba afirmou que as imponentes obras em homenagem aos dois ícones do basquetebol nacional não só vão beneficiar o clube proprietário, mas todas as equipas nacionais que vão participar nos campeonatos, algo que vai culminar com a melhoria do nível técnico dos atletas.

“Temos de felicitar a direcção do 1º de Agosto pela singela homenagem aos dois ícones do basquetebol nacional, pois o nível das infra-estruturas vem elevar o nível da modalidade, em geral, tendo em conta que elas vão estar ao serviço de todas as equipas. A necessidade de unirmos esforços é incontestável, daí que no âmbito do cumprimento das orientações superiores, o clube tem sabido fazer o seu papel com a dignidade que lhe é conferida”, disse o ministro.


ACADEMIA
Clube militar apresenta infra-estrutura

A apresentação do projecto da academia desportiva, no qual se destaca o estádio de futebol com capacidade para 15 mil espectadores, é o ponto mais alto das comemorações do 36º aniversário do Clube Desportivo 1º de Agosto, que ontem se assinalou.

Localizado no distrito urbano da Maianga, comuna do Cassequel, na unidade de transmissões das Forças Armadas, a infra-estrutura dispõe, além do estádio, de um pavilhão multiusos, campo de ténis, internato, escritórios, ginásios, piscina olímpica, colégio, creche etc.
O estádio, cuja primeira pedra foi colocada ontem, vai chamar-se França Ndalu, em homenagem a um dos fundadores do clube.

A academia reforça a intenção do Clube Desportivo 1º de Agosto de apostar na melhoria de condições dos seus desportistas, sobretudo nos escalões de formação.
O acto contou, entre outras individualidades, com a presença do chefe do Estado-Maior-General das FAA, Geraldo Sachipengo Nunda.
A formação “militar” movimenta, nos diversos escalões, as modalidades de futebol, basquetebol, andebol, atletismo, judo, karaté, voleibol, natação, xadrez e hóquei em patins.

AFROBASKET
Cabo Verde joga sem Ivan e Joel


Os jogadores Joel e Ivan Almeida vão desfalcar a selecção de Cabo Verde no primeiro jogo amigável frente ao Bridgewater University dos EUA, jogo que se realiza em São Vicente.
De acordo com o jornal “A semana online”, Ivan Almeida foi dispensado e viajou para França, onde vai rubricar um contrato com o Lille. O seu irmão Joel ficou na cidade da Praia a fazer exercícios de recuperação, depois do desgaste que sofreu no Campeonato Cabo-verdiano de Basquetebol, cuja final foi suspensa.

Chegou-se a especular que tinha havido um desentendimento entre Ivan Almeida e Alex Nwora num dos treinos da selecção na Praia e que isso estava na origem da não convocação do atleta para o jogo com um misto de São Vicente, mas fontes federativas negam qualquer desentendimento
Sobre o alegado desentendimento com o treinador, Ivan Almeida estranha as especulações criadas.

De acordo com “A semana online”, o jogador afirmou que Alex Nwora tem autonomia para convocar qualquer jogador que lhe parecer útil para os Tubarões Martelo. O basquetebolista ainda está à espera que a Federação resolva o seu problema com o Lille, para que o clube possa dar-lhe autorização para jogar no Afrobasket 2013.