Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

COA garante missão limpa

Silva Cacuti - 26 de Julho, 2016

Missão angolana está preparada para cerimónia de abertura da maior cimeira

Fotografia: kindala Manuel

O Comité Olímpico Angolano (COA) não está preocupado com eventuais testes, a que os integrantes da Missão olímpica angolana possam ser submetidos, no âmbito da participação na 31ª edição dos Jogos Olímpicos que se realizam de 5 a 21 de Agosto, na cidade brasileira do Rio de Janeiro. A despreocupação foi manifestada por António Monteiro, secretário-geral do COA, ao Jornal dos Desportos.

O anti-doping é um assunto incontornável nos Jogos Olímpicos do Rio'2016, em função do caso que envolve a missão russa.

"Estamos tranquilos em relação a isso. Localmente, fizemos controlos aos nossos atletas e posso garantir que a nossa missão está limpa", disse.

António Monteiro proferiu essas declarações, numa altura em que o presidente do Comité organizador dos jogos do Rio'2016, Carlos Nuzman, disse que respeita a decisão do Comité Olímpico Internacional (COI) e das federações internacionais no que se refere aos atletas da Rússia.

"Sempre apoiamos os Jogos limpos, e a tolerância zero, em casos de doping. Essa, é a decisão do COI e das federações internacionais. Nós vamos respeitá-la", disse Nuzman, no domingo, aquando da cerimónia de abertura da vila olímpica.

Em oito participações anteriores nos Jogos Olímpicos, Angola mantém a tradição de levar uma missão "limpa", sem registo de qualquer atleta que caísse nas malhas do doping.

ANGOLANOS NA
VILA OLÍMPICA


A Missão olímpica angolana foi uma das primeiras a dar entrada na vila olímpica do Rio de Janeiro, aberta no domingo, naquela cidade. Os atletas do andebol, vela, natação e remo estão instalados no edifício número 18 daquela vila.

Em falta, estão a judoca Antónia de Fátima "Faia" com chegada prevista para 4 de Agosto, Liliana Neto e Hermenegildo Leite, do atletismo, e Paulo Silva, do tiro, têm chegada prevista para 31 do corrente, segundo António Monteiro, secretário do Comité Olímpico Angolano.

A vila olímpica foi aberta na manhã de domingo. À noite, os angolanos foram recebidos e integram os cerca de 200 atletas. Até ontem, a vila albergava cerca de 900 pessoas de 66 Comités Olímpicos Nacionais e de 20 nacionalidades.

"É com muita alegria e emoção que celebramos este momento. Podemos dizer que marca o início dos Jogos do Rio'2016", disse Carlos Nuzman do comité organizador.

A vila tem 31 edifícios e 3.604 apartamentos, está localizada na Zona Oeste do Rio de Janeiro. Cerca de 17 mil atletas e oficiais de delegações ficam alojados no local, que conta com ciclovias, áreas de convivência e está integrada ao sistema de autocarro expresso do BRT Transolímpico (via expressa da cidade do Rio de Janeiro). A Vila tem ainda um restaurante de 27 mil metros quadrados com a capacidade para atender cinco mil pessoas ao mesmo tempo.

A Missão olímpica angolana é composta por 48 elementos, 26 dos quais são atletas de sete modalidades. Apuraram-se, o andebol e judo feminino, a vela, remo e tiro (masculinos). Estão também o atletismo e a natação em ambas as classes. A andebolista Luísa Kiala é a porta- bandeira da Missão angolana.