Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

COA tem novo modelo de funcionamento

João Francisco - 10 de Outubro, 2013

Vogal da Comissão Executiva do COA (a direita) foi eleita na primeira reunião da AOA

Fotografia: Jornal dos Desportos

O Comité Olímpico Angolano (COA) adoptou um novo modelo de funcionamento para os seus membros ordinários e extraordinários (100 no total). A partir deste ano, os diferentes membros são convidados a integrar comissões de trabalho de suporte às actividades da instituição.

Com o novo modelo, o COA pretende envolver mais os membros nas suas actividades, a ultrapassarem a inércia dos elencos transactos, em que a participação se resumia às assembleias-gerais ordinárias.

Uma das medidas adoptadas pelo órgão reitor do Olimpismo angolano, presidido por Gustavo Vaz da Conceição, é a decisão dos membros estarem obrigados a pagar uma quotização mensal de mil kwanzas, com efeitos retroactivos a partir de Junho de 2013.

A medida apanhou de surpresa a maioria dos membros do COA, pelo facto de não ter sido aplicada nos anteriores mandatos. A orientação consta dos estatutos da instituição como uma das obrigações.

Noutro ângulo, e de acordo com a determinação do presidente do COA, “todas as comissões de trabalho - criadas recentemente com ajuda de um inquérito submetido aos membros (no qual podiam indicar duas áreas em que melhor podiam dar o seu contributo) – devem reunir durante os últimos meses deste ano, conforme uma calendarização pré-estabelecida (…)”.
Gustavo da Conceição recomenda igualmente que nas reuniões das Comissões de Trabalho deve-se apresentar uma proposta de regulamento e eleger-se um coordenador, um adjunto e um secretário.

“Deve o Coordenador de cada Comissão remeter ao Secretariado do COA as actas das reuniões ao longo deste mês impreterivelmente, pois vai ser o tema de discussão na próxima reunião da Comissão Executiva”, lê-se num comunicado enviado pelo actual secretário-geral do COA, António Monteiro “Bambino”.
                                     JOÃO FRANCISCO


ACADEMIA OLÍMPICA ANGOLANA
“Membros do Comité Olímpico devem ter curso de dirigente”


A formação de todos os membros do Comité Olímpico Angolano (COA) com cursos de dirigentes desportivos consta das propostas aprovadas pela Comissão para a Academia Olímpica Angolana (AOA), na sua primeira reunião realizada na última segunda-feira, em Luanda. Liderada por Sara Tavares, vogal da Comissão Executiva do COA, a proposta foi enviada ao Secretariado do COA.

Periodicamente, o COA promove e organiza cursos de dirigentes desportivos a todos os interessados, com especial atenção aos membros de direcção das diferentes associações e federações desportivas angolanas.

O Jornal dos Desportos apurou que a necessidade de formação dos membros do COA, visa colmatar “o défice de directores da Solidariedade Olímpica (DSO) ” no país. Para a Academia Olímpica Angolana, os membros que já tenham feito um curso de dirigente desportivo devem evoluir para cursos mais avançados como o de DSO.

O curso de DSO é um dos mais avançados no quadro de acções do COA, tem apoio do Comité Olímpico Internacional através da Solidariedade Olímpica e habilita o formando a ser igualmente um instrutor.

A coordenadora da Comissão para a Academia Olímpica Angolana defendeu na primeira reunião “a necessidade de promover mais quadros desportivos do género”, porque contam-se pelos dedos da mão o número de DSO no país.

Entre os 12 membros da Comissão da Academia Olímpica Angolana (AOA), três não têm curso de dirigentes desportivos e a primeira acção do grupo vai ser a promoção de uma acção formativa para qualificar os respectivos membros.

Fazem parte da Comissão para a AOA, Sara Tavares, Isabel Diniz, Carlos Oliveira, Octávio Bráz, Adriano Nunes, Eliseu Major Almeida, Genivaldo Dias, Pedro Agostinho, Domingos Pascoal, João Francisco, Manuel Augusto e Diamantino Leitão.

A Comissão para a Academia Olímpica Angolana é liderada por Sara Tavares, vogal da Comissão Executiva do COA, coadjuvada por Domingos Pedro Pascoal, antigo membro da AOA, e o secretário Eliseu Major Almeida, membro ordinário do COA.                                        SK