Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

COI exige definies do oramento

23 de Março, 2014

COI quer os gastos pblicos pormenorizados para a realizao dos Jogos Olmpicos que vo decorrer em solo brasileiro no ano de 2016

Fotografia: Reuters

N a tarde de sexta-feira foi encerrada, na sede do Rio 2016, a visita de integrantes da Comissão de Coordenação do Comité Olímpico Internacional (COI) para os Jogos Rio 2016. O director-executivo da entidade, Gilbert Felli, foi enfático ao cobrar do governo federal, estadual e municipal o orçamento detalhado dos gastos públicos de cada esfera de governo para a realização dos Jogos Olímpicos.

A Matriz de Responsabilidade Fiscal, documento onde devem  constar todas as informações dos gastos públicos, assim como as obrigações de cada um, foi divulgado pela metade, no final de Janeiro deste ano, pelo presidente da Autoridade Pública Olímpica (APO), General Fernando Azevedo e Silva.

 «Chega uma hora que é preciso ter definições, para evitar atrasos nas decisões que possam comprometer os prazos para os projectos. Confiamos no trabalho, mas é preciso que seja resolvido o mais rápido possível a responsabilidade de cada um», argumentou Felli.

Já a presidente da Comissão do COI, a marroquina Nawal El Moutawakel, afirmou que uma reunião no dia 27 de Março em Brasília deve ser primordial para o andamento dos projectos olímpicos.

«No dia 27 de Março vai  acontecer um encontro crucial entre as autoridades federais e dos Jogos. Vão  estar  presentes as principais partes interessadas, em Brasília. Nessa reunião espera-se que as responsabilidades de  cada projecto dos Jogos sejam relacionadas e esclarecidas. Assim como,  o respectivo financiamento para evitar mais atrasos significativos na entrega dos projectos» ressaltou.

De acordo com a marroquina, a visita de três dias (quarta, quinta e sexta-feira) dos representantes da Comissão do COI foi intensa e algumas melhorias foram implementadas desde a última visita em Setembro de 2013. Nawal ressaltou que alguns problemas foram encontrados nas visitas, mas não revelou quais.

 «Foi uma visita intensa, mas gratificante. Recebemos muitas informações e vimos melhorias e progresso desde a última visita em Setembro de 2013.  Alguns problemas foram encontrados, mas com certeza os Jogos do Rio 2016 vão deixar  um legado importante para a população, disse Nawal, que confirmou que mais de 75 hotéis vão ser construídos para os Jogos.

Sobre a questão de segurança, principalmente, os ocorridos em favelas de áreas com UPPs (Unidades de Polícia Pacificadora), Nawal afirmou que mantém a confiança na segurança dos Jogos apesar dos últimos ataques.

«Ouvimos o que aconteceu nas favelas. Mas nós continuamos a acreditar  em nossos parceiros do governo. A segurança é uma prioridade máxima para eles e para o COI. Eles garantiram e nós confiamos nisso», defendeu Nawal, que se disse comovida com a situação na cidade.