Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

COI hasteia bandeira a meio mastro

16 de Novembro, 2015

Atentados em França mereceram repúdio e a solidariedade do COI

Fotografia: AFP

Um comunicado oficial, do Comité Olímpico Internacional, foi divulgado na manhã de sábado. Assinado pelo próprio presidente Thomas Bach, presta solidariedade às vítimas dos atentados terroristas sofridos em Paris, na noite da última sexta-feira. Com mais de 120 mortos e 200 feridos, a capital francesa foi alvo de ataques simultâneos em diversos locais. “Esses ataques são profundamente chocantes. O COI condena esses actos bárbaros e covardes”, declarou Bach.

Um dos ataques ocorreu nas dependências do Stade de France, onde ocorria o amigável  França - Alemanha. Mais cedo, a selecção alemã foi surpreendida por uma falsa ameaça de bomba, no hotel onde se hospedava. Pelo menos quatro pessoas morreram no estádio. No final da partida, que ocorreu normalmente, o público pôde abriga-se no relvado enquanto a saída não era autorizada pela segurança do local. O presidente da França, François Hollande, foi retirado às pressas do Stade de France assim que foram ouvidas explosões nos arredores.

Em decorrência dos acontecimentos da madrugada, todos os eventos desportivos foram cancelados em França. Em "estado de emergência", o país tem as fronteiras fortemente controladas e regista recolher na capital.Eis, na íntegra, a declaração de Thomas Bach, presidente do Comité Olímpico Internacional.“Isso não é apenas um ataque ao povo francês, este é um ataque à toda a humanidade e todos os valores humanitários e olímpicos. Devemos permanecer unidos com todas as pessoas espalhadas pelo planeta. Nossos pensamentos estão com familiares e amigos dos que foram mortos ou feridos.

Apoiamos o trabalho de todos os homens e mulheres que têm prestado serviço médico e de segurança, assistindo a população neste momento difícil. Em tempos obscuros, precisamos de lembrar-nos de unificar o poder do desporto para manter unidas as pessoas e comunidades,  trazer a paz e a reconciliação. Hoje todas as pessoas de boa índole devem dizer: Somos todos franceses.Mandei uma carta de condolências ao presidente Hollande e já ordenei que a bandeira olímpica fique a meio mastro para lembrar a tragédia.”

RÚSSIA
O representante do Comité Olímpico Russo (ROC), Alexander Zhukov, encontrou-se com o presidente do Comité Olímpico Internacional (COI), Thomas Bach, para discutir as medidas anti-doping que vão ser implementadas na Rússia. Após a punição aplicada pela Federação Internacional de Atletismo (IAAF), o russo garantiu que o ROC vai investigar todos os casos a tempo, da disputa dos Jogos Olímpicos de 2016, no Rio de Janeiro.

O Comité Russo predispôs-se a investigar todos os casos de doping, que ocorreram no atletismo, respeitando as regras impostas pela WADA e pela IAAF. A organização também prometeu uma reforma na Federação Nacional de Atletas (ARAF), punir os responsáveis e proteger os atletas limpos.“Fico feliz pelo ROC pronunciar-se a favor de proteger os atletas limpos e punir os que utilizam o doping, assim como seus técnicos”, disse Bach. “O Comité Olímpico Russo está determinado a levar os seus atletas limpos aos Jogos Olímpicos no Rio de Janeiro. Qualquer um que for culpado por utilizar substâncias ilegais ou qualquer um que facilitar ou for cumplice, será punido”, afirmou Alexander Zhukov.