Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

Comiso de gesto mantm regularidade

Helder Jeremias - 17 de Outubro, 2019

Santos

Fotografia: JOO GOMES | edies ovembro

A festa está montada em surtida. Leonardo Gonçalves está a um passo de celebrar a primeira consagração da carreira no campeonato provincial de motocross de Luanda.
O piloto do Team Sobrinho pode erguer o troféu de campeão da classe moto 4 (450cc) na última prova do calendário da época 2019 prevista para a primeira quinzena de Novembro no circuito Jorge Varela. O evento está inserido nas celebrações do 44º aniversário da independência nacional a ser assinalado no dia 11.
Leonardo Gonçalves espreita o primeiro título, mas Edson Sebastião não pretende entregar de bandeja o prestigiante estatuto. O campeão garante uma prova renhida e os espectadores estão ávidos para testemunhar o fim da competição.
Considerado um ilustre desconhecido nas lides do motocross de Luanda, Leonardo Gonçalves faz um percurso notável entre os pilotos de maior tarimba. Esteve ausente na jornada inicial, em que o campeão em título, Edson Sebastião, arrebatou o primeiro troféu da época, disputada a 25 de Maio no circuito Jorge Varela.
Leonardo Gonçalves descortinou o potencial mercê de uma performance exuberante nas provas seguintes. Na segunda jornada, travou a contenda e relegou para as posições imediatas o representante do Team Trail, Nilton Gama, os pilotos individuais Délcio Bravo, Carlos Alberto e Edson Miranda. Edson Sebastião quedou-se na cauda da tabela classificativa.
O \'ilustre\' desconhecido passou a ser um dos protagonistas mais referenciados da competição com as conquistas de outras duas vitórias consecutivas, mormente, o Grande Prémio Caconda e o Grande Prémio Quilengues, ambas na província da Huíla. Nas terras da Palanca Negra Gigante, Leonardo Sebastião exibiu a veia vencedora e conquistou o Grande Prémio Cidade de Malanje. A disputa com Edson Sebastião e Carlos Alberto foi uma das melhores exibições da época.
O campeão em título, Edson Sebastião, limitou-se ao segundo lugar nas três provas consecutivas, após a estreia auspiciosa e o sétimo lugar na segunda jornada.
Na quinta jornada, Bruno Ferreira \"Agai\", Edson Sebastião e Leonardo Gonçalves completaram o pódio.
Com a desistência do Team Orbel da competição por alegada dificuldades financeiras, assiste-se também as ausências sistemáticas de Edson Miranda \"Roquinho\", detentor de vários títulos provinciais. O atleta foi remetido à quinta posição na segunda jornada e não disputou as três provas seguintes.
Sem hipóteses de lutar pelo título, Roquinho reapareceu no Grande Prémio Paddock e arrebatou o troféu que homenageia o antigo piloto Victor Santos \"Vitó\", umas das referências do motocross nacional. Repartiu o pódio com Leonardo Gonçalves e Edson Bruno Ferreira.

CATEGORIA 250CC
Branquinho Pina aspira troféu da Dipanda


Na festa da Dipanda (independência nacional), Branquinho Pina aspira obter o primeiro troféu na categoria de 250cc do campeonato provincial de motocross de Luanda. O piloto do Team Trevotech pretende encerrar a época 2019 com uma vitória no dia 11 de Novembro no circuito Jorge Varela ao bairro do Gamek, em Luanda.
Formado no extinto Núcleo de Motocross de Luanda, Branquinho Pina representou com brio as cores do Team Dinamith e foi um dos pilotos afectados pela crise económica e financeira. Repescado pela Trevotech, está obrigado a permanecer na condição de assistente desde o começo da competição. Hoje, "aplaude" as consagrações de Fernas Baptista, Augusto Congo "Agugu", Alfredo Chilola, Etelvino Sebastião entre outros que brilham na categoria rainha. 
Os indicadores deixados no GP Cidade de Malanje e o terceiro lugar obtido no Grande Prémio Paddock constituem motivos para aspirar o título na última prova. Branquinho Pina reconhece que o favoritismo da vitória recai ao piloto do Team Transchipeta, Fernas Baptista. O agora campeão provincial havia prometido terminar a época no lugar mais alto do pódio. A concorrência pelo derradeiro troféu estende-se ao Zé Cazenga e Augusto Congo, este último vencedor do GP Paddock.
O slogan do Pina é: "não há vencedores antecipados e a esperança é a última a morrer". É com essa motivação que o piloto individual se estreou na categoria M (motos) do Campeonato Angolano de Rali Raid.
O novo curso da carreira de Branquinha Pina no CARR está a ser escrita com letras de ouro. Na jornada de estreia, subiu ao segundo lugar do pódio do TT Kalandula na província de Malanje. A prova foi ganha pelo colega de equipa, João Catarino. Por questões técnicas, não disputou o TT ROX Dande na província do Bengo.
A promessa do motociclismo nacional voltou a deixar as impressões digitais no TT Baía Azul com um segundo lugar. A bordo da KTM 450 SIX DAYS terminou em terceiro lugar no TT Cuca Nocebo Huambo. Por questões técnicas, não disputou o TT Libangos na província do Bengo.