Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

Comissões definem critérios

João Francisco - 23 de Abril, 2015

: António Monteiro representou o presidente do Comité Olímpico Angolano

Fotografia: Nuno Flash

As duas Comissões de trabalho da Academia Olímpica Angolana (AOA), recentemente criadas, no âmbito da nova dinâmica que está a ser empreendida pelo Comité Olímpico Angolano (COA) para o órgão encarregado da investigação cientifica do olimpismo, na sua última reunião, esmiuçou o seu futuro regulamento de funcionamento  com particular destaque para os critérios de admissão dos respectivos membros.

O regulamento em causa define, claramente, que a A.O.A é presidida pelo presidente do COA e, composta por três órgãos, nomeadamente, Assembleia Plenária, Secretariado Executivo e Conselho Pedagógico.

Na reunião em que o Secretário da Comissão Executiva, António Monteiro, representou o presidente do Comité Olímpico Angolano (COA), Gustavo da Conceição, os membros deram a última pincelada no Regulamento de Funcionamento da AOA, que tem seis (VI) capítulos dezassete(17) artigos, onde mereceram especial atenção os capítulos IV ,   V, que corporizam, os Membros( artigo 7º) e, competência da Assembleia plenária ( artigo 8º), respectivamente.

No novo regimento, consideram-se membros da A.O.A, todos os membros fundadores, os directores nacionais da Solidariedade Olímpica (DNSO), indivíduos que declararem querer pertencer a A.O.A ,aceites pela Assembleia Plenária, e que preencham os seguintes requisitos: Terem sido bolseiros da Academia Olímpica Internacional, tenham tido participação efectiva e obtido aprovação final nos cursos organizados pela A.O.A e, indivíduos admitidos em Assembleia Plenária sob proposta de qualquer membro da A.O.A. por relevantes serviços prestados ao Movimento Olímpico.

Já em relação as competências da Assembleia Plenária, o regime determina, que compete a este órgão, eleger os membros para o Secretariado Executivo e Conselho Pedagógico submetendo-os à nomeação/ratificação, pela Comissão Executiva do C.O.A, Aprovar o plano anual de actividades e orçamento da Academia Olímpica Angolana; aprovar as propostas de admissão de membros da A.O.A, propor à Comissão Executiva do C.O.A. a aprovação das propostas de admissão ou exclusão de membros da A.O.A.

ÓRGÃOS
Exercício e poderes


As comissões de trabalho da Academia Olímpica angolana, dedicaram igualmente parte do seu tempo ao exercício ( artigo 15º), bem a delegação de poderes dos órgãos, como por exemplo a Assembleia Plenária que passará a reunir ordinariamente uma vez por ano e extraordinariamente,  sempre que convocada pelo seu presidente ou requerimento por um mínimo de 50% dos membros da A.O.A.;

De resto,  as reuniões da Assembleia Plenária participarão com direito a votos, todos os seus membros, poderão ainda assistir estes fóruns quaisquer pessoas cuja presença não seja julgada inconveniente pela mesa

No final do exercício de cada Assembleia Plenária, no documento que tivemos acesso,  far-se-á constar em acta o teor das deliberações tomadas, e respectivas declarações de voto que sobre elas recaírem. Estas mesmas actas serão aprovadas na reunião seguinte.Em relação ao mandato ( Artigo 16º), está definido que os membros eleitos dos distintos óirgão da A.O.A, terá a terá a duração do período correspondente à Olimpíada ( Quatro anos) para que foram eleitos (...).         
JF