Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

Comit Africano rene hoje

Melo Clemente - 13 de Abril, 2017

Dirigente angolano concorre sua prpria sucesso ao cargo de presidente sem oposio

Fotografia: Dombele Bernardo| Edies Novembro

O Comité Paralímpico Africano (APC) realiza hoje, a partir das 9h45, no Centro de Conferências de Belas, a abertura da Assembleia-Geral Ordinária, que vai culminar amanhã,  sexta-feira, com a recondução de Leonel da Rocha Pinto, para o cargo de presidente de direcção do órgão que supervisiona a prática do desporto adaptado no continente africano, para o ciclo olímpico 2016/2020.

Leonel da Rocha Pinto que preside igualmente o Comité Paralímpico Angolano (CPA), deve ser reconduzido para um terceiro mandato, depois de ter assumido em 2010 os destinos do Comité Paralímpico Africano, substituiu no cargo o egípcio, Nabil Salem, que ocupou o cargo de presidente do Comité Paralímpico Africano, por mais de duas décadas e meia.

Depois da sessão de abertura, a ser proferida pelo ministro  da Juventude e Desportos, Albino da Conceição José (ver peça a parte), os 47 membros, em representação de 39 países, vão discutir e aprovar o relatório de actividades , referentes aos últimos quatros anos. A modificação dos estatutos do Comité Paralímpico Africano, assim como a leitura das minutas da última Assembleia-Geral e a devida aprovação, vão merecer igualmente a atenção especial do conclave da APC.

Entretanto, para o cargo de presidente do Comité Paralímpico Africano (APC), o angolano, Leonel da Rocha Pinto concorre à sua própria sucessão, sem qualquer oposição, ao passo que para o cargo de vice-presidente, estão na corrida seis candidatos, em representação de igual número de países.

Trata-se de Agnes Flora Oluoch, do Quénia, Khaled Mohamed Rgibi, Líbia, Hamid El Aouni, Marrocos, Frank Thorpe, Nigéria, Leon Fleiser, África do Sul, e Henri Tago, da República Centro Africano, respectivamente. Para o cargo de secretário-geral, o cabo-verdiano, Rodrigo Bejareano, que assumiu o cargo em 2010, com Leonel da Rocha Pinto, vai ter como concorrente o rwandês, Dominique Bizimana.

Por seu lado,  António Manuel da Luz, actual tesoureiro do Comité Paralímpico Africano, e secretário-geral do Comité Paralímpico Angolano (CPA), vai ter como concorrentes,  Henri Tago, da República Centro Africana, Bahiru Bezabih Giorgis, Etiópia, e Khaled Mohamed Rgibi, da Líbia.

Para representantes da comunidade de língua inglesa, estão na corrida, Kassahum Haile, Etiópia, Sulayman Colley, Gâmbia, Cornelius Gofie, Ghana, Agnes Oluoch, Quénia, Elijah Aliero, Quénia, Festus Robinson, Libéria, James Chiutsi, Malawi, Michael Hamukwaya, Namibia, Monday Emoghavwe, Nigéria, Frank Thorpe, Nigéria, Leon Fleiser, África do Sul, Mpindi Bumali, Uganda, Michael Bulangango, Zimbabwe, Unisa Kaegbo, Serra Leoa.

Na comunidade francesa, concorrem,  Leopolodo Gbenou, Benin, JOnas Bamana, Congo Brazzaville, Simon Ibovi, Congo Brazzaville, Seydou Doumbouya, Guiné Conakry, Dominique Biziamana, Rwanda, Unisa Kaegbo, da Serra leoa. Para a  zona árabe concorrem Hachefa Mohameed, Argélia, Hayat Khattab, Egipto, Tarek Rajab, Líbia, e Mustapha Fkeoui, Marrocos. O cabo-verdiano, Elton Djon Costa Gonçalves vai concorrer para a representação da comunidade de língua lusófona.