Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

Competio regressa ao Rio

12 de Outubro, 2019

Fotografia: DR

O Rio de Janeiro vai acolher uma prova de MotoGP durante cinco anos, a partir de 2022, anunciou ontem a Dorna Sports, promotora do Campeonato do Mundo de Motociclismo de Velocidade.
"O novo Rio Motorpark, a construir em Deodoro, acolherá o Grande Prémio", lê-se e a sua conclusão está prevista para 2021.
O autódromo inclui uma pista de 4,5 quilómetros, com um tempo previsto para motos da categoria rainha de 1.38 minutos por volta.
No entanto, a construção deste circuito continua envolta em polémica e as obras ainda não arrancaram.
O projecto localiza-se em terrenos cedidos pelo exército brasileiro, numa zona de Mata Atlântica, utilizado anteriormente para exercícios militares e que está pejado de minas terrestres.
O Ministério do Desporto do Brasil, responsável pelo financiamento das obras, suspendeu o projecto em 2014.Mas, em a 8 de Maio, o presidente brasileiro, Jair Bolsonaro, confirmou o interesse em acolher o Grande prémio do Brasil de Fórmula-1 já em 2020, o que implicaria a quebra do contrato com São Paulo.
O Ministério Público acabaria por pedir a anulação do concurso público, que atribuiu o projecto ao consórcio Rio Motorsports, devido à inexistência de um Estudo de Impacto Ambiental.
A 27 de Agosto, um Tribunal Regional Federal determinou a suspensão do contrato de construção do circuito.
A última vez que o Campeonato do Mundo de Motociclismo de Velocidade passou pelo Brasil foi no circuito de Jacarepaguá, em 2004, demolido para dar espaço ao Parque Olímpico de 2016.