Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

Congo evolui no estágio em Luanda

05 de Setembro, 2015

Selecção congolesa apresentou forte pressão sobre as angolanas no terceiro jogo amistoso disputado na Cidadela Desportiva

Fotografia: AFP

A selecção sénior feminina de andebol do Congo evoluiu durante os dez dias de preparação feita em Luanda, com vista a participação na XXI edição dos Jogos Africanos, que ontem foi aberta em Brazzaville e disputa-se até a 19 do corrente. A afirmação é do seu seleccionador, Vivaldo Eduardo.

Em jeito de balanço do estágio pré-competitivo, Vivaldo Eduardo sustentou que a equipa congolesa melhorou nas acções defensivas e ofensivas, depois da derrota no segundo jogo diante da selecção angolana por 24-29.

Comparativamente aos 15 dias de preparação realizados no Congo, o estágio em Luanda permitiu superar alguns contratempos, o que facilitou o processo de treinamento. A vantagem reside na realização de três jogos amistosos com o colectivo das vice-campeãs africanas, uma potência do andebol em África.

No último jogo amistoso, as duas equipas empataram a trinta golos. No primeiro, as angolanas superaram as congolesas de Brazzaville por 28-23.

Vivaldo Eduardo disputou a final do torneio, na edição anterior dos Jogos africanos, disputados em Maputo, com a selecção angolana, e a pretensão mantém-se de pé, agora com a selecção congolesa, que joga em casa.

JOÃO FLORÊNCIO
APONTA PRESSÃO

A forte pressão do Congo aplicada sobre a selecção angolana foi determinante para o empate no final do terceiro e último jogo amistoso, disputado no pavilhão principal da Cidadela Desportiva, em Luanda. A afirmação é do seleccionador nacional, João Florêncio.

O técnico de nacionalidade portuguesa assegurou que a pressão das adversárias deixou as angolanas impotentes para contornar a força física imposta pelas congolesas.

A equipa angolana recuperou o discernimento em alguns momentos do jogo ao optar pelo jogo colectivo. Na recta final, a equipa de João Florêncio acusou a responsabilidade de jogar em casa e foi superada pelo Congo, que impôs o seu jogo.

Angola fez alinhar Helena de Sousa, Teresa de Almeida, Dalva Peres, Vilma Neganga, Elizabeth Cailo, Elizabeth Viegas, Maura Galheta, Matilde André, Marta Santos, Azenaide Carlos, Cristina Branco, Wuta Dombaxi, Isabel Guialo, Teresa Leite, Janeth dos Santos, Lurdes Monteiro e Ríssia Oliveira. Para Brazzaville, João Florêncio vai dispensar uma atleta do grupo.


JOGOS AFRICANOS

Ministro Muandumba
descarta candidatura


O Ministro da Juventude e Desportos, Gonçalves Muandumba, descartou, em Brazzaville, a possibilidade de Angola candidatar-se para ser a sede da próxima edição dos Jogos africanos, em 2019.

"Angola não é candidata. Não se candidatou para albergar os jogos de 2019. Não está nos nossos programas e não nos candidatamos", declarou o titular dos Desportos, quando fazia o balanço da reunião dos responsáveis dos desportos da União Africana, realizada na quarta-feira.

O governante referiu que a reunião decidiu que a UA vai continuar a consulta aos países até Dezembro para a decisão sobre as próximas duas edições da competição multidesportiva do continente, que decorre a cada quatro anos.

A abertura oficial dos XI Jogos Africanos Brazzaville2015 decorreu ontem e Angola participa com uma delegação de 158 pessoas.